Nos siga nas redes sociais

Brasil

Presidente da Caixa fala sobre extensão do Auxílio Emergencial até dezembro

Em entrevista no Palácio do Planalto

Ministro da Cidadania também participa

Marcelo Passos

Publicado

Ministro Paulo Guedes durante entrevista coletiva com o presidente da CEF, Pedro Guimarães e o Ministro da Cidadania, Onix Lorenzoni. Sérgio Lima/Poder360 03.04.2020

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, e o secretário do Ministério da Cidadania, Antônio Barreto, falam nesta 3ª feira (29.set.2020), no Palácio do Planalto, sobre o calendário de pagamentos das 4 parcelas de R$ 300 do auxílio emergencial.

O calendário foi divulgado em edição extra do Diário Oficial da União dessa 2ª feira (30.set.2020). Segundo o Ministério da Cidadania, 27 milhões de pessoas receberão R$ 300 ou R$ 600 (no caso de mães monoparentais). O número de beneficiários representa apenas 56,25% dos que tiveram direito às 5 parcelas do auxílio emergencial.

Assista ao vivo:

Brasil

Fotos mostram Dr. Jairinho e Monique ao darem entrada na prisão pela morte de Henry

PortalPE10 com informações G1

Publicado

Fotos obtidas pelo Portal G1 mostram o vereador Dr. Jairinho e sua namorada, Monique Medeiros, logo depois da entrada no sistema penitenciário.

Os dois foram detidos no dia 8 de abril pela morte do filho dela, Henry Borel, de 4 anos.

As fotos do parlamentar estão no sistema da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária. Jairinho está preso no Complexo de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio. Segundo a Seap, ele está em isolamento por 14 dias pela Covid-19.

Monique está no Instituto Penal Ismael Silveiro, em Niterói, na Região Metropolitana.

Continuar Lendo

Brasil

Jovem dá à luz a gêmeas, contrai Covid-19 e morre sem conhecer as filhas no litoral de SP

Redação PortalPE10

Publicado

Após um mês internada, uma jovem de 28 anos morreu por complicações da Covid-19, sem poder conhecer as filhas gêmeas a quem havia dado à luz. Nathanny Ribeiro da Silva morava em Guarujá, no litoral paulista, e teve o parto realizado no dia 25 de março, mas precisou ser intubada logo em seguida em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por conta da doença.

De acordo com Ana Paula Maria Ramos, de 40 anos, gerente da Unidade de Saúde da Família (USF) do bairro Sítio Conceiçãozinha, Nathanny fez o pré-natal e tinha toda sua gravidez acompanhada pela unidade. Em entrevista ao G1 neste sábado (17), ela explicou que a jovem possuía problemas de tireoide, glândula localizada na parte inferior do pescoço, por isso, passava por uma gravidez de risco.

Além disso, o fato de ela estar grávida de gêmeas também gerou complicações. No dia 22 de março, ela começou a passar mal em casa, sem conseguir respirar, e foi levada por familiares ao Hospital Guilherme Álvaro, em Santos, também no litoral de São Paulo.

No dia 25 do mesmo mês, ela deu à luz às gêmeas. Porém, antes do procedimento, os médicos detectaram uma mancha no pulmão dela, por isso, logo após o parto, ela precisou ser intubada, sem conseguir sequer segurar as filhas no colo. Posteriormente, foi confirmada a Covid-19.

Continuar Lendo

Brasil

Ministério recomenda adiar gravidez após constatar que variante do vírus é mais agressiva em gestantes

PortalPE10 com informações UOL

Publicado

 

O secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde, Raphael Câmara, disse que a variante do coronavírus no Brasil tem se mostrado mais agressiva em grávidas. A pasta recomenda postergar a gravidez nesse período crítico da pandemia.

A declaração foi dada em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (16). Apesar de não mostrar estudos que comprovem que a nova variante do coronavírus seja mais agressiva, ele disse que a pasta já está trabalhando nisso.

“Estudo nacional ou internacional não temos, mas a visão clínica de especialistas mostra que a variante nova tem ação mais agressiva nas grávidas. Antes, [a gravidade] estava ligada ao final da gravidez, mas, agora, vê uma evolução mais grave no segundo trimestre e até no primeiro trimestre.”

Câmara disse que a recomendação é para que as grávidas avaliem postergar a gestação no período de pico pandêmico, como aconteceu no período da epidemia da zika no Brasil.

“Caso possível, postergar um pouco a gravidez para um melhor momento para que você possa ter a gravidez mais tranquila. É lógico que a gente não pode falar isso para quem tem 42, 43 anos, mas para uma mulher jovem que pode esperar um pouco, o mais indicado é esperar um pouco.”

Na ocasião, ele anunciou uma portaria que destina R$ 247 milhões para apoiar estados e municípios para implementação de medidas para apoiar gestantes.

A quantia pode ser utilizada para hospedagem de gestantes e puérperas que não possuem condições de isolamento domiciliar. Como exemplo citou hotéis, casas de gestantes.

Além disso, o valor pode ser disponibilizado para reforçar a atuação das equipes de atenção primária para fazer a identificação precoce e monitorar gestantes com suspeita ou com casos confirmados de Covid-19. Ele também vai possibilitar o encaminhamento de gestantes para o pré-natal odontológico.

Como mostrou matéria da Folha, o número de mortes maternas por Covid-19 mais do que dobrou nas 13 primeiras semanas de 2021 em relação à média semanal do ano passado. Passou de 10,4 óbitos (449 mortes em 43 semanas de pandemia de 2020) para 22,2 nas primeiras semanas deste ano, com 289 mortes.

Embora estudos mostrem que a gestação e o pós-parto aumentam o risco de complicações e morte por Covid-19, no Brasil, o alto número de óbitos maternos associados à doença é atribuído, principalmente, à falta de assistência adequada.

Desde o início da pandemia, uma em cada cinco gestantes e puérperas (22,6%) mortas por Covid não tiveram acesso à UTI e 33,3% não foram intubadas, último recurso terapêutico para os casos graves da Covid-19.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2021 PortalPE10. Todos os direitos reservados.