Nos siga nas redes sociais

Cotidiano

Artistas criticam proibição do Projeto Som na Rural

Projeto comandado por Roger de Renor foi cancelado por conta da ocupação irregular de uma calçada na Rua da Aurora

Avatar

Publicado

Roger de Renor na sexta-feira, tentando negociar com guarda da CTTU. Foto: Bernardo Dantas/ DP/D.A.Press

O cancelamento do projeto musical Som na Rural, na sexta-feira (7), por conta da ocupação irregular de uma calçada da Rua da Aurora, Centro, motivou uma enxurrada de críticas à Prefeitura do Recife nas redes sociais e o surgimento de outros eventos em apoio ao projeto, neste fim de semana. O Som na Rural, que é organizado pelo produtor cultural Roger de Renor, foi abortado de última hora porque não teria autorização da Secretaria-Executiva de Controle Urbano (Secon) para funcionar. 

“A solicitação para esse tipo de evento, que deve ser feita com 15 dias de antecedência, só foi realizada na última quarta-feira (5)”, alegou o órgão da prefeitura por meio da assessoria de imprensa. Na noite de sexta-feira, 25 oficiais, três viaturas da Polícia Militar, duas viaturas da CTTU e um caminhão da Dircon impediram a realização do projeto musical, que ocuparia as proximidades do Ginásio Pernambucano. 

A partir de então, críticas à intervenção começaram a se multiplicar nas redes sociais. Na página do Facebook do Diario, mais de 300 leitores comentaram o incidente, a maioria contrária à operação da prefeitura.

Uma das iniciativas que estão sendo organizadas pela internet em apoio ao Som na Rural é o “Vamos pra Praça! Roger tá convidado”. O encontro foi marcado para este domingo (9), a partir das 15h, na Praça de Casa Forte, na Zona Norte. “Vai ter som e microfone aberto a todos! Levem suas bebidas, crianças e pendrives! Roger tá convidado!”, diz a descrição do evento, criado pela rede social. O grupo que organiza informou ainda que havia pedido autorização na 11º Batalhão da Polícia Militar de Pernambuco, sediado no bairro de Apipucos.

Em nota enviada à redação na sexta-feira, a Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano do Recife esclarece que “o Som na Rural teve autorização para funcionar durante três sextas-feiras do mês de janeiro, sendo a última dia 31, no estacionamento da Rua da Aurora”. A assessoria pontuou, ainda, que “por estar em cima da calçada no início da noite de sexta, a Rural foi notificada de acordo com o artigo 181, inciso VIII, do Código de Trânsito Brasileiro (infração grave, R$ 127 de multa e 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação)”.

Confira abaixo o posicionamento de alguns artistas do estado sobre a polêmica:

Hilton Lacerda (diretor do filme Tatuagem):
“As políticas de ocupação de espaços públicos são tratadas por ações que lembram o Estado de Sítio. A segurança não está em jogo, mas a saúde mental das pessoas que acreditam que ocupar esses espaços é uma política positiva de retomada da cidadania.
Perde a cidade, a alegria da cidade, as pessoas nas ruas da cidade, os encontros, as possibilidades. Ganha… Quem ganha?
Os pequenos passos de uma dança estranha nos empurram para trás de um muro insolitamente construido.”

Melina Hickson (organizadora do Porto Musical):
Tratar a rural como se fosse um carro comum em cima de uma calçada é igual a tratar um maracatu como se fosse um evento qualquer. Coincidência ou não, tudo isso faz parte da mesma coisa e é uma coisa feia, muito feia.

Fábio Trummer (banda Eddie):
“O Poder publico contra o povo, esta é a sensação em Recife, Olinda, Jaboatão, Paulista, em todo o estado de PE, proibir as manifestações culturais é crime contra a nação, vão cuidar da saúde, educação e ineficiência da maquina publica, senão este estado que já é capenga, estaciona.”

China:
“Eu prefiro o som na rural de Roger Renor tocando bem alto, do que os carros de som que os políticos usam na época de campanha eleitoral.”

Júnio Barreto:
“Quanta mediocridade!”

Siba:
“Toda vez que eu dou um passo. Alguém me manda voltar”

Karina Buhr:
“O secretário João Braga entende como um simples carro. O secretário João Braga não entende é nada!”

Paulo André (organizador do festival Abril Pro Rock):
“A Prefeitura Do Recife cancelou o Som Na Rural dessa noite, e ainda armou um circo com 2 viaturas da CTTU, 2 viaturas da Patrulha do Bairro, caminhão da Dircon, e caminhão reboque. Pra que isso?” 

Jarmeson de Lima (organizador do festival do Coquetel Molotov):
“Prefeitura fazendo besteira mais uma vez”

Mariana Lacerda (diretora do filme Menino-Aranha):
“Recife é contra as pessoas. Essa cidade é contra as pessoas.”

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Mãe que arrancou os olhos da filha e um pedaço da língua com tesoura diz que a criança estava possuída

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Reprodução/YouTube)

Em depoimento concedido aos policiais da Delegacia Regional de Santana do Ipanema, Josimare Gomes da Silva, de 30 anos, que matou a própria filha nesse domingo (24), na cidade sertaneja de Maravilha, disse que a criança estava possuída por demônios.

Segundo a suspeita, que arrancou os olhos e parte da língua da filha com uma tesoura, apenas o demônio morreu e a criança estaria viva.

“Os olhos caíram no ralo depois que eu arranquei, mas foi do demônio, minha filha está viva”, teria dito ela, com demonstrações claras de que sofre de problemas psiquiátricos.

Josimare está sob efeitos de medicamentos e segue presa na Delegacia de Delmiro Gouveia, onde permanece à disposição da Justiça.

Policiais que atenderam a ocorrência se surpreenderam ao encontrar a criança sem os olhos, já morta, e a mãe rezando sobre o corpo.

Sobre o caso:

Na noite deste domingo (24) uma mãe que apresentava um quadro grave de depressão e outros problemas psiquiátricos, matou a própria filha de apenas cinco anos de idade. O caso foi registrado no município de Maravilha, no Sertão alagoano.

De acordo com informações, após matar a menina, a mãe, que não teve a identidade revelada, ficou ao lado do corpo da filha, rezando um terço. Ela foi presa em flagrante sem resistir à prisão. Policiais do 7º Batalhão de Polícia Militar (7GBM) encaminharam a mulher até à Delegacia Regional de Polícia Civil.

*Com informações 7Segundos

Continuar Lendo

Brasil

(Vídeo) Mãe amarra bebê com corda e chama filha de “ratazana”

Conselho Tutelar encaminhou o bebê aos cuidados da avó materna.

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Reprodução/YouTube)

Uma denúncia de maus tratos a uma bebê resultou na prisão da mãe da criança. O caso foi registrado neste domingo (24) em Girau do Ponciano, no Agreste de Alagoas.

A denúncia foi feita pela avó da criança, que mora na zona rural do município.

A Patrulha Maria da Penha foi acionada e quando os policiais chegaram ao local da denúncia, a avó mostrou o vídeo onde a criança está com as mãos e pés amarrados. Durante o vídeo gravado pela própria genitora, a menina é chamada de “ratazana”.

Os policiais acionaram o Conselho Tutelar que encaminhou o bebê aos cuidados da avó paterna.

A idosa relatou que o filho dela, pai do bebê, mora em outro estado e é separado da mãe da criança.

*Com informações 7Segundos.

Continuar Lendo

Cotidiano

Após 32 anos, Faustão deixa a Rede Globo em dezembro

O contrato de Faustão não sera renovado, e chega ao fim em dezembro de 2021. O motivo seria a renovação da grade de programas da Globo no ano seguinte, o que não está nos planos do apresentador.

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Reprodução/TV Globo)

O apresentador Fausto Silva chegou a um consenso com a Rede Globo, e deixará o comando do ‘Domingão do Faustão’. Ao todo, foram 32 anos no ar liderando a audiência nos domingos. As informações são do portal R7.

O contrato de Faustão não sera renovado, e chega ao fim em dezembro de 2021. O motivo seria a renovação da grade de programas da Globo no ano seguinte, o que não está nos planos do apresentador.

Ainda é estudado se o ‘Domingão’ será mantido no ar ou não. Faustão chegou a receber uma proposta de um programa nas noites das quintas, em um horário diferente, mas recusou.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.