Nos siga nas redes sociais

Política

Campos anuncia Marina como vice na disputa presidencial

Pré-candidato espera que votos da ex-senadora sejam transferidos para ele. Formalização vai ocorrer somente na convenção

Avatar

Publicado

com Veja

Foto: Reproduçãio/Facebook/Eduardo Campos

O PSB anunciou nesta segunda-feira o nome da ex-senadora Marina Silva como candidata à vice-presidente de Eduardo Campos. O anúncio, embora previsto desde que a ex-senadora se filiou ao PSB em outubro de 2013, é interpretado pelos socialistas como a largada para que ela transfira de vez o capital político para o ex-governador de Pernambuco. Estacionado nas pesquisas de intenção de votos com 9% dos eleitores, conforme pesquisas Datafolha, Campos espera que parte dos quase 20 milhões de votos que Marina obteve nas eleições de 2010 sejam transferidos para ele e o permitam desbancar o tucano Aécio Neves e disputar o segundo turno contra Dilma Rousseff. A aliança oficial entre Campos e Marina será homologada em junho, na Convenção Nacional do PSB.

“Nós anunciamos que estamos juntos para construir um novo Brasil. Esses são compromissos de vida que assumimos com a trajetória que temos, porque ao meu lado [a Marina] não só vai estar na campanha, mas vai estar no governo”, disse Campos. “O que vamos ouvir e falar pelas ruas do Brasil é exatamente o que vamos fazer para que esse país saia da situação em que se encontra. Temos certeza de que esse não foi o caminho mais cômodo para que pudéssemos trilhar. Se quiséssemos remanso, o caminho seria outro. Esse é o caminho mais desafiador, mas esse é o caminho para contribuirmos com o Brasil.”

O ex-governador de Pernambuco, que deixou o governo local para disputar a corrida pelo Palácio do Planalto, reuniu aliados e personalidades em Brasília para a confirmação de Marina no posto de vice-presidente.

Cúpula do PSB na apresentação da pré-candidatura de Campos e Marina

Embora ainda haja reuniões para debater as linhas gerais da campanha eleitoral de Campos, a chapa Eduardo-Marina lançou nesta segunda-feira princípios gerais de campanha eleitoral para discutir, entre outros pontos, propostas para ampliar a participação da sociedade em debates, defender a transparência da gestão pública e avançar nas conquistas econômicas e sociais obtidas nos últimos 20 anos. O ato de anúncio da chapa de pré-candidatura contou com presença de políticos e personalidades como Luiza Erundina, o escritor Ariano Suassuna, a ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Eliana Calmon e o ex-jogador e deputado Romário. Na solenidade, houve apresentações do pianista Arthur Moreira Lima e do poeta Antonio Marinho.

Com um capital político de 19,6 milhões de votos em 2010 (19,3% dos votos válidos), Marina aparece em todas as simulações de intenção de voto como a mais bem colocada na tentativa de reeleição da presidente Dilma. Embora não seja uma adversária direta da petista, sua presença na corrida presidencial é considerada crucial pela oposição para forçar a disputa de um segundo turno. A ex-senadora é apontada como uma das principais representantes de uma autointitulada “nova política” e tem proximidade com o eleitorado evangélico, cada vez mais importante nas eleições.

O papel de Marina nas eleições deste ano começou a ser redesenhado em outubro de 2013, quando o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou registro partidário à Rede Sustentabilidade porque a agremiação não conseguiu cumprir o requisito básico de recolher o mínimo de 492.000 assinaturas certificadas em cartórios eleitorais. 

Alinhamento – Desde que Marina se filiou ao PSB, socialistas e militantes da Rede têm trocado farpas sobre a construção de palanques regionais. A falta de alinhamento total entre os “marineiros” e o PSB esbarra, segundo os socialistas, na resistência de Marina em formar alianças partidárias. Em São Paulo, por exemplo, o PSB insiste em lançar o nome do deputado Márcio França ao governo, enquanto a Rede tem outros candidatos, como o deputado Walter Feldman.

Eduardo Campos e Marina Silva, na chegada ao evento, acompanhados da deputada Luiza Erundina (PSB-SP) e do senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) (Foto: Felipe Néri/G1)

 

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Começa hoje (21) o período de apresentação da prestação de contas para as Eleições 2020

Candidatos e partidos devem apresentar despesas e recursos até o dia 25 de outubro

Marcelo Passos

Publicado

Candidatos a Prefeitura de Palmares nas Eleições 2020. - (Foto: Reprodução/PortalPE10)

Candidatos a Prefeitura de Palmares nas Eleições 2020. – (Foto: Reprodução/PortalPE10)

Os candidatos e partidos na disputa pelas Eleições 2020 devem apresentar, de hoje (21) a 25 de outubro, a prestação de contas parcial de campanha. Nela, devem ser discriminadas todas as despesas e recursos arrecadados, desde o início da campanha até o dia 20 de outubro — incluindo as transferências do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC).

De acordo com Marcos Andrade, chefe da Seção de Contas Eleitorais do TRE-PE, esse é um momento fundamental para o processo eleitoral. “É de uma importância para a sociedade, principalmente os eleitores, que vai muito além da análise dos números”, explica. “Se fala muito em observar as propostas, a índole, mas o eleitor deve saber quem está financiando o candidato e como ele está fazendo uso desses recursos”.

Segundo a Resolução TSE nº 23.607/2019 (com alterações acarretadas pela Resolução 23.624/2020), a prestação de contas deve ser elaborada por meio do Sistema de Prestação de Contas Eleitorais (SPCE).

O SPCE-Cadastro é o sistema desenvolvido pela Justiça Eleitoral para auxiliar candidatos e partidos na construçãoda prestação de contas de campanhas. Os dados inseridos, relativos à movimentação de campanha, devem ser encaminhados à Justiça Eleitoral, pela internet, por meio do próprio sistema.

Continuar Lendo

Pernambuco

Professor Lupércio, prefeito de Olinda, é internado e anuncia que está com Covid-19

Professor Lupércio (Solidariedade) deu entrada no Hospital Esperança, na cidade. Ele gravou vídeo e confirmou que teve diagnóstico positivo, nesta terça (20).

Marcelo Passos

Publicado

O prefeito de Olinda, Professor Lupércio (Solidariedade), foi internado no Hospital Esperança, localizado na cidade, com sintomas de infecção pelo novo coronavírus. O chefe do Executivo municipal, que tem 48 anos, informou, nesta terça-feira (20), que teve resultado positivo para a Covid-19 e que está cumprindo isolamento social

A informação sobre o internamento foi confirmada pela assessoria de imprensa do prefeito. O gestor confirmou que está doente, por meio de um comunicado transmitido pelas redes sociais. No vídeo, ele afirmou que se sente bem e que o exame que fez para detectar a doença deu positivo.

“Meu exame para Covid-19 deu positivo. Estou me sentindo bem e seguindo todas as recomendações médicas, inclusive de isolamento social. Continuarei a acompanhar todas as ações da prefeitura”, afirmou o prefeito, que tenta a reeleição.

Continuar Lendo

Pernambuco

Mais de 80% dos candidatos a vereador não têm curso superior

e um total de 19.693 postulantes a uma vaga nas câmaras municipais de Pernambuco, quase metade (8.682, ou 44,09% deles) têm somente o ensino médio completo.

Marcelo Passos

Publicado

Urnas eletrônicas - (Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters)

Urnas eletrônicas – (Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters)

Dos quase 20 mil candidatos a vereador em Pernambuco, apenas 18,45% (ou 3.364) têm ensino superior completo. E 77,62% nunca entraram numa universidade, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). De um total de 19.693 postulantes a uma vaga nas câmaras municipais de Pernambuco, quase metade (8.682, ou 44,09% deles) têm somente o ensino médio completo. Há até mesmo um candidato que se declara analfabeto (o que configuraria inelegibilidade, segundo a Constituição).

Os que declaram apenas saber ler e escrever somam 3,49% das candidaturas (687 pessoas). Já os que afirmam ter ensino fundamental incompleto respondem por 13,82% dos candidatos (2.721). Os que completaram o fundamental representam a parcela de 11,33% (2.232), enquanto os que não concluíram o ensino médio são 4,88% (962). Os que chegaram a iniciar o ensino superior são 3,93% (774 candidatos).

Homem, casado, entre 40 a 44 anos, pardo e com ensino médio completo. De acordo com o TSE, este é o perfil médio dos candidatos. São mais de 2 mil a mais do que em 2016 (eram 17.918). O número de homens (13.129) candidatos é o dobro do de mulheres (6.564). Entretanto, houve um crescimento das candidaturas femininas em relação às últimas eleições municipais. Na ocasião,
eram 5.572 mulheres tentando o cargo de vereadora no estado.

Em relação ao estado civil, os candidatos casados são mais da metade (51,31%, ou 10.104), seguidos pelos que se declararam solteiros (39,24%, ou 7.728). Na faixa etária, que concentra candidatos entre 16 e 90 anos, o grupo entre 40 e 44 anos tem o maior número de representantes: são 3.296, respondendo por 16,74% das candidaturas.

Já no quesito cor/raça, o número de candidatos que se declaram brancos (34,57% ou 6.808), negros (11,03%, ou 2.172) e pardos (52,88%ou10.413), com mais de 98%, é a esmagadora maioria, ao contrário dos que dizem ser amarelos (0,29% ou 58), indígenas (0,61% ou 121) ou ainda sem informação (0,61% ou 121).

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.