Nos siga nas redes sociais

Pernambuco

Com relaxamento de medidas preventivas, pandemia pode voltar a ganhar a corpo em Pernambuco

Embora ainda não apresentem subida sustentada, números de infectados e ocupação de leitos estão aumentando

PortalPE10 Com informações FolhaPE

Publicado


Na semana que países europeus tomam novas medidas de fechamento por conta de uma forte alta dos casos do novo coronavírus, Pernambuco começa a dar sinais que a pandemia pode voltar a ganhar a corpo. Um dos indicativos é a ocupação de leitos destinados a pacientes com Covid-19 no Estado. Em 18 de outubro, a taxa de ocupação de enfermarias era de 38%. Ontem, chegou a 48%. Já nas UTIs, havia doentes em 65% dos leitos, na quarta (21), e em 75%, ontem. Profissionais de saúde também afirmam que vem crescendo o número de atendimento a pessoas com sintomas da doença.

Embora ainda não apresentem uma subida sustentada, os números estão aumentando. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), análises epidemiológicas das últimas semanas revelam um suave aumento de 1,1% nas suspeitas de casos leves nos últimos 15 dias. Segundo o pesquisador e professor do Departamento de Estatística e Informática da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Jones Albuquerque, Pernambuco está entrando no nível de alto risco de infecção.

“As estatísticas nos dizem que o mundo está em ebulição e nós vamos começar a entrar também. Ainda não é possível afirmar quando exatamente, mas a estimativa é que entre duas e três semanas a gente sofra esse efeito galopante como está acontecendo na Europa”, alerta o pesquisador, que também é vice-coordenador do Instituto para Redução de Riscos e Desastres de Pernambuco (IRRD) da UFPE. Jones chama atenção para a taxa de contágio do coronavírus que atualmente está em 1,12 em Pernambuco. Isso revela que mais pessoas estão infectadas e o número de doentes subindo. O ideal seria que estivesse abaixo de 1.

O infectologista e chefe da Triagem de Doenças Infecciosas do Hospital Oswaldo Cruz (Huoc), Filipe Prohaska, afirma que tem notado aumento de pacientes com sintomas de Covid-19, mas não de casos graves. “No começo havia a orientação que só deveriam procurar uma unidade de saúde quando tivesse sintomas mais intensos. Isto tem sido a diferença quando comparamos com a situação de abril e maio”, comenta. Para o médico o fenômeno é reflexo da retomada das atividades econômicas e sociais. “Com essa reabertura é esperada a alta de casos. Era o que todos falavam no começo do ano de se tornar uma doença endêmica”, fala.

Conforme o Painel Índice de Isolamento Social do Ministério Público de Pernambuco, anteontem a taxa no Estado era de 35,6%. O município de Terezinha, no Sertão, possuía o melhor índice, com 59,1%. No Recife, a taxa está em 36,1%. Ou seja, todos distantes do que autoridades de saúde consideram como ideal, que seria em torno de 70%. “Não diria que devemos começar a fechar tudo novamente neste momento, mas devemos cogitar esta possiblidade. Se tudo correr como aconteceu antes, daqui a duas ou três semanas Pernambuco sofrerá as consequências”, afirma Jones Albuquerque.

Distanciamento social e uso de máscaras ainda são as melhores armas contra a Covid-19, segundo o infectologista Filipe Prohaska. “Os protocolos são objetivos e claros sobre como se deve proceder com relação aos cuidados em cada local. Mas não adianta ter uma organização governamental e não ter os dois lados obedecendo, tanto estado quanto população”, fala.

Por meio da assessoria de imprensa, a SES afirmou que mantém as informações divulgadas pelo secretário estadual de Saúde André Longo. Ele afirmou que o aumento de quadros respiratórios leves na última semana pode ser impacto, inclusive, da falta de cuidados da população durante o feriado do dia 12 de outubro. “Durante o processo de convivência com a doença, flutuações podem acontecer, mas, até agora, essas oscilações estão dentro de um patamar esperado, sem configurar tendência clara de aumento, ou de recrudescimento, ou de uma segunda onda da Covid-19”, falou Longo em vídeo enviado à imprensa.

Mata Sul

Justiça eleitoral nega recurso e mantém cassação de prefeito e vice de Joaquim Nabuco

Redação PortalPE10

Publicado

 

Neto Barreto (PTB) e Eraldo Veloso (MDB), prefeito e vice-prefeito de Joaquim Nabuco, na Mata Sul de Pernambuco.

Com a publicação do acórdão que nega provimento ao recurso eleitoral interposto pela coligação União por Joaquim Nabuco, encabeçada pelo prefeito eleito Neto Barreto (PTB), o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) determina que o presidente da Câmara de Vereadores de Joaquim Nabuco, Charles (SD), seja comunicado da sentença e seja empossado como prefeito interino.

Entre os pontos destacados pelo relator do caso, Rodrigo Cahu Beltrão, e votado por unanimidade pelos membros do TRE-PE, está: “Constatação de uso ostensivo e direto de dinheiro como meio de conquista de votos, o que configurou, no caso, não somente a ilicitude do art. 41-A da Lei n.º 9504/97 como também abuso de poder econômico, conceito mais amplo do que a captação sufrágio.”

Isso fez com que a Corte concedesse “parcial provimento ao recurso eleitoral apenas para afastar a condenação do tesoureiro do partido, mantendo nos demais termos a sentença recorrida”. Com isso, o prefeito Neto Barreto, o vice Eraldo Veloso (MDB) e o candidato a vereador José Luiz de Souza, conhecido como Irmão Luiz (SD), foram cassados.

Por unanimidade, TRE mantém cassação de prefeito e vice que jogou dinheiro para eleitores, em Joaquim Nabuco

Continuar Lendo

Mata Sul

Ministério da Saúde lança campanha contra covid 15 meses após 1º caso e mais de 425 mil mortes acumuladas

Redação PortalPE10

Publicado

 

Após 14 meses de pandemia, o Ministério da Saúde lançou nesta quarta-feira (12) uma campanha sobre medidas de prevenção contra a Covid. A pasta também anunciou a médica infectologista Luana Araújo como a nova titular de uma secretaria criada para enfrentamento à doença.

Segundo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a nova área deve concentrar as ações de controle da epidemia no país.
Formada em medicina pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Araújo tem residência em infectologia pela mesma instituição e é pós-graduada em epidemiologia pela Universidade John Hopkins.

Em discurso, ela prestou solidariedade a familiares de vítimas da Covid e disse que pretende adotar ações com base em evidências científicas. “Minha experiência hoje é trabalhar com preparo e resposta de sistemas de saúde ao redor do mundo em relação a pandemias, e isso foi o que me trouxe hoje para essa posição”, afirmou.

Continuar Lendo

Pernambuco

Pernambuco suspende vacinação de grávidas sem comorbidade após orientação do Ministério da Saúde

Redação PortalPE10

Publicado

Após orientação do Ministério da Saúde, a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) determinou a suspensão da vacinação contra a Covid-19 de mulheres grávidas e puérperas sem comorbidades no Estado.

Apenas as gestantes e mulheres que tiveram filhos há 45 dias e que tenham doença pré-existente devem continuar sendo vacinadas contra o coronavírus – e com o imunizante da Pfizer e a CoronaVac/Butantan.

O uso da vacina da AstraZeneca/Oxford/Fiocruz segue suspenso para todas as grávidas e puérperas.

A SES-PE informou ainda que reúne de forma extraordinária, nesta quarta-feira (12), o Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação contra a Covid-19 e a Comissão Intergestores Bipartite (CIB).

Na reunião, será debatido e pactuado o processo de vacinação no Estado diante da problemática envolvendo grávidas e puérperas.

O Ministério da Saúde deve divulgar, nos próximos dias, uma nota técnica com mais esclarecimentos sobre a vacinação no público de mulheres gestantes e puérperas, inclusive sobre o cumprimento do esquema vacinal daquelas que já fizeram a primeira dose com a AstraZeneca.

A suspensão da vacinação em todo o País de mulheres grávidas e puérperas ocorre como precaução em meio à investigação de um óbito por acidente vascular cerebral (AVC) de uma gestante de 35 anos que recebeu a vacina no Rio de Janeiro. A relação desse caso com a vacina, porém, ainda não foi comprovada.

Até o momento, ao menos 22.295 gestantes já foram vacinadas no País, segundo os dados do Ministério da Saúde. Dessas, 15.014 receberam a vacina da AstraZeneca; 3.414, a CoronaVac e 3.867, a vacina da Pfizer.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2021 PortalPE10. Todos os direitos reservados.