Nos siga nas redes sociais

Esportes

Corinthians goleia o Paraná na Vila Capanema e fica no topo da tabela

O atual campeão brasileiro está em alta na edição de 2018 do torneio

Avatar

Publicado

O atual campeão brasileiro está em alta na edição de 2018 do torneio. Após estrear com vitória por 2 a 1 sobre o Fluminense, o Corinthians fez o seu primeiro jogo como visitante na manhã deste domingo e somou mais três pontos. Goleou o Paraná por 4 a 0 na Vila Capanema, com gols de Rodriguinho e Sidcley no primeiro tempo e Clayson e Gabriel no segundo.

O resultado deixou o Corinthians no topo da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, com 6 pontos, aguardando o complemento da rodada. O Paraná, que havia sido derrotado por 1 a 0 pelo São Paulo na esteia, ainda não pontuou.

Vindo de um triunfo fora de casa também na Copa Libertadores da América, sobre o Independiente, o Corinthians terá outra competição com que se preocupar neste meio de semana. Enfrentará o Vitória na quarta-feira à noite, no Barradão, pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

Pelo Brasileiro, o próximo adversário corintiano será o Atlético-MG, no domingo, que vem, no Independência. No mesmo dia, o Paraná voltará à Vila Capanema para tentar se reabilitar diante do Sport.

O jogo – A torcida do Paraná fez uma bela festa para o primeiro jogo como mandante no retorno à Série A do Campeonato Brasileiro. O time que enfrentaria o atual campeão foi recepcionado no gramado do seu estádio com fumaça tricolor, foguetório, bandeiras de mastro e muita cantoria.

Entusiasmado pela Vila Capanema lotada, o Paraná tomou a iniciativa de atacar o Corinthians. A equipe de Rogério Micale se movimentava bastante no setor ofensivo e, com uma rápida troca de passes, envolvia os visitantes, que tinham dificuldades para transpor o meio-campo.

As primeiras chances de gol do Paraná não demoraram a aparecer. Aos nove minutos, Jhonny Lucas avançou pela intermediária e arriscou o chute colocado. A bola passou perto da meta. Aos 15, Raphael Alemão fez ainda mais bonito ao aplicar um chapéu em Balbuena dentro da área e finalizar sem deixar a bola cair. Cássio defendeu.

Ao melhor estilo do time campeão brasileiro em 2017, o Corinthians soube sofrer. Sem perder a paciência com o ímpeto dos donos da casa, o time de Fábio Carille ocupou o campo de ataque aos poucos, principalmente pela esquerda, onde estava Mateus Vital, e marcou dois gols em sequência.

O primeiro saiu aos 24 minutos. Vital percebeu a passagem de Sidcley pela esquerda da área e enfiou a bola. O lateral esquerdo girou o corpo e bateu cruzado. Livre na pequena área, Rodriguinho voltou a preencher com maestria o espaço que seria de um centroavante e empurrou para dentro.

Dois minutos mais tarde, Sidcley resolveu tudo sozinho. O jogador emprestado pelo Atlético-PR, rival do Paraná, recebeu a bola na lateral esquerda, passou no meio de dois marcadores, invadiu a área em velocidade e concluiu na saída do goleiro Richard para calar momentaneamente o público paranista.

O Paraná acusou o golpe. Abatido, o time da casa começou a aceitar a troca de passes defensiva do Corinthians, que valorizava a posse de bola e só acelerava o jogo vez ou outra – como quando Rodriguinho foi lançado nas costas da defesa por Jadson, já aos 40 minutos, e bateu por cima do gol.

Para piorar a situação do Paraná, Micale foi obrigado a gastar uma alteração no intervalo, por lesão do goleiro Richard, substituído por Luis Carlos. No Corinthians, com Carille satisfeito com a evolução dos seus atletas na etapa inicial, a ordem era não alimentar qualquer chance de reação do adversário.

Como o Corinthians estava sendo bem-sucedido em sua estratégia, Micale mexeu novamente no Paraná aos 15 minutos. Matheus Pereira, meia revelado pelo clube paulista, entrou na vaga de Wesley Dias. Logo em seguida, Raphael Alemão levou perigo com um chute forte de longa distância. A bola desviou em Sidcley e acertou o lado externo da rede.

Carille respondeu com a troca do desgastado Jadson por Sidcley, ao mesmo tempo em que Micale apostou a sua última ficha em Vitor Feijão, substituto de Raphael Alemão. O que permanecia inalterado era o panorama da partida – o Paraná tinha mais disposição para atacar, mas não criava boas oportunidades para descontar.

O Corinthians parecia até displicente ofensivamente. Clayson, por exemplo, protagonizou um lance bizarro ao cair na cobrança de um escanteio e jogar a bola para tiro de meta. Aos 34 minutos, porém, ele se redimiu. Fagner cruzou da direita, e o atacante escorou. A bola bateu na trave e entrou.

O Paraná se entregou de vez a partir de então. Tranquilo, o Corinthians ainda conseguiu transformar a vitória em goleada aos 40 minutos. Já com Marquinhos Gabriel no posto de Romero, Clayson pedalou do lado esquerdo da área e rolou a bola para trás. Gabriel dominou e chutou no canto para acertar a rede, fazendo a torcida da casa, antes em festa, protestar contra a diretoria.

FICHA TÉCNICA

PARANÁ 0 X 4 CORINTHIANS

Local: Estádio Durival Britto e Silva, em Curitiba (PR)

Data: 22 de abril de 2018, domingo

Horário: 11 horas (de Brasília)

Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (PE)

Assistentes: Clovis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE)

Cartões amarelos: Jhonny Lucas (Paraná); Romero (Corinthians)

Gols: CORINTHIANS: Rodriguinho, aos 24, e Sidcley, aos 26 minutos do primeiro tempo; Clayson, aos 34, e Gabriel, aos 40 minutos do segundo tempo

PARANÁ: Richard (Luis Carlos); Alemão, Jesiel, Rayan e Mansur; Jhonny Lucas, Wesley Dias (Matheus Pereira), Raphael Alemão (Vitor Feijão), Caio Henrique e Silvinho; Carlos

Técnico: Rogério Micale

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Henrique e Sidcley; Gabriel, Renê Júnior, Romero (Marquinhos Gabriel), Jadson (Clayson), Rodriguinho e Mateus Vital (Pedrinho)

Técnico: Fábio Carille

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Um dia vamos bater bola no céu, diz Pelé sobre morte de Maradona

PortalPE10 com informações UOL

Publicado


Pelé se manifestou em publicação nas redes sociais sobre o falecimento de Maradona, ocorrido nesta quarta-feira, pouco depois da confirmação do falecimento. O Rei do Futebol declarou ter perdido um “grande amigo”, afirmando esperar que “possam jogar bola juntos no céu”.

“Que notícia triste. Eu perdi um grande amigo e o mundo perdeu uma lenda. Ainda há muito a ser dito, mas por agora, que Deus dê força para os familiares. Um dia, eu espero que possamos jogar bola juntos no céu”, escreveu Pelé, em publicação no Instagram com foto de Maradona com a taça da Copa do Mundo de 1986, vencida pela seleção argentina.

Maradona ficou internado por cerca de dez dias no início de novembro, onde se detectou uma hematoma no cérebro, do qual foi operado com êxito. Depois disso, vinha se recuperando na sua residência, em Tigre, na região metropolitana de Buenos Aires, faleceu depois de sofrer uma parada cardíaca, nesta quarta. Ele tinha 60 anos.

Maradona teve ao longo da sua vida uma relação de amor e ódio com Pelé. Nos últimos anos, no entanto, os dois selaram a paz e até trocaram afagos em público. No centro do embate entre o argentino e o Rei do Futebol esteve principalmente a disputa em quem foi o maior jogador de todos os tempos. Apesar de para a ampla maioria dos fãs do futebol de todo o mundo não haver dúvidas de que não existiu ninguém maior do que Pelé, na Argentina muitos colocam Maradona como o melhor jogador da história.

No último dia 23 de outubro, Maradona deu os parabéns a Pelé pelo seu aniversário em uma mensagem publicada nas redes sociais. Pelé retribuiu a gentileza no dia 30, quando Maradona completou 60 anos, e publicou uma foto de ambos antes da final do Copa de 1990, na Itália com a seguinte legenda: “Meu grande amigo, eu vou sempre te aplaudir. Eu vou sempre torcer por você. Que a sua jornada seja longa e que você continue sempre sorrindo, e me fazendo sorrir também!”

 

Continuar Lendo

Esportes

Morre aos 69 anos o jornalista Fernando Vanucci

Profissional teve passagem pela Globo e cobriu seis Copas do Mundo

PortalPE10 com informações UOL

Publicado

Morreu nesta terça-feira em São Paulo, aos 69 anos, o jornalista Fernando Vanucci. Locutor, apresentador e comentarista esportivo, Vanucci deixa quatro filhos. A causa da morte não foi divulgada. Velório e sepultamento devem ocorrer no Rio de Janeiro.

O jornalista passou mal pela manhã, socorrido pela empregada e levado ao Pronto Socorro Central de Barueri, na Grande São Paulo. No entanto, não resistiu.

Vanucci havia sofrido um infarto em 2019 e colocado um marca-passo. Desde então, tinha a saúde comprometida.

Fernando Vanucci trabalhou na Globo Minas entre 1973 e 1977. Em seguida, passou a trabalhar no Rio de Janeiro, apresentando diversos programas, como Globo Esporte, RJTV, Esporte Espetacular, Jornal Nacional, Jornal Hoje e Fantástico.

Na passagem pela Globo, Fernando Vanucci cobriu seis Copas do Mundo: 1978, 1982, 1986, 1990, 1994 e 1998. Ainda ficou marcado pela criação do bordão “Alô, você!”.

Ele também trabalhou em TV Bandeirantes, TV Record, Rede TV e Rede Brasil de Televisão.

Continuar Lendo

Esportes

Maradona terá alta do hospital nesta quarta-feira, afirma advogado

Ex-atleta seguirá em recuperação em uma casa adaptada em Buenos Aires.

Marcos Philipe Passos

Publicado

O ex-jogador de futebol Diego Maradona “está inteiro” e terá alta ainda nesta quarta-feira (11) do hospital no qual está internado, devido a uma operação na cabeça e outros problemas de saúde, anunciou seu advogado.

Maradona, de 60 anos, foi operado na semana passada de um hematoma subdural e depois, por decisão familiar e médica, permaneceu hospitalizado devido a uma “baixa anímica, anemia e desidratação” e um quadro de abstinência devido ao vício em álcool, segundo os primeiros informes médicos.

“O resultado foi ótimo, Diego está inteiro e com vontade de se recuperar, e hoje está prevista a alta”, disse Matías Morla aos repórteres na porta do hospital. “O bom é que Diego está inteiro, Diego está firme, Maradona ainda dura um tempo.”

Assim que deixar a clínica, Maradona continuará sua recuperação em uma casa especialmente adaptada nos subúrbios da zona norte de Buenos Aires (Argentina), à qual só terão acesso poucas pessoas, informou Morla.

“Diego talvez tenha passado o momento mais duro de sua vida, e acho que foi um milagre que se tenha detectado este derrame em sua cabeça, que poderia lhe ter tirado a vida”, opinou o advogado.

*Com informações Agência Brasil

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.