Nos siga nas redes sociais

Pernambuco

Covid-19: Em novo boletim Pernambuco tem 8.156 mortes e 144.940 casos confirmados da doença

Além disso, o boletim registra um total de 126.888 pacientes recuperados da doença. Destes, 16.467 eram pacientes graves, que necessitaram de internamento hospitalar, e 110.421 eram casos leves.

Marcos Philipe Passos

Publicado

Covid-19: Em novo boletim Pernambuco tem 8.156 mortes e 144.940 casos confirmados da doença. (Foto: Hélia Scheppa/SEI/Divulgação)

Covid-19: Em novo boletim Pernambuco tem 8.156 mortes e 144.940 casos confirmados da doença. (Foto: Hélia Scheppa/SEI/Divulgação)

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) registrou, neste sábado (26.09), 672 novos casos da Covid-19. Entre os confirmados hoje, 24 (3,6%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e os outros 648 (96,4%) são leves, ou seja, pacientes que não demandaram internamento hospitalar. Agora, Pernambuco totaliza 144.940 casos confirmados, sendo 26.198 graves e 118.742 leves, que estão distribuídos por todos os 184 municípios pernambucanos, além do arquipélago de Fernando de Noronha.

Além disso, o boletim registra um total de 126.888 pacientes recuperados da doença. Destes, 16.467 eram pacientes graves, que necessitaram de internamento hospitalar, e 110.421 eram casos leves.

Também foram confirmados laboratorialmente 27 óbitos (sendo 14 do sexo masculino e 13 do sexo feminino). Os novos óbitos confirmados são de pessoas residentes nos municípios de Abreu e Lima (2), Camaragibe (6), Catende (1), Exu (1), Igarassu (2), Ipubi (1), Jaboatão dos Guararapes (2), Moreno (1), Olinda (3), Paulista (2), Recife (1), Santa Cruz do Capibaribe (1), São José do Egito (1), São Lourenço da Mata (1), Trindade (1) e Tuparetama (1). Com isso, o Estado totaliza 8.156 mortes pela doença.

Do total de mortes do informe de hoje, apenas 10 (37%) foram registradas neste mês de setembro. Os outros 17 registros (63%) ocorreram entre os dias 14/04 e 23/08.

Os pacientes tinham idades entre 26 e 86 anos, além de um bebê de um mês de idade do sexo masculino. As faixas etárias são: 0 a 9 (1), 20 a 29 (1), 40 a 49 (2), 50 a 59 (4), 60 a 69 (6), 70 a 79 (9), 80 anos ou mais (4). Dos 27 pacientes que vieram a óbito, 14 apresentavam comorbidades confirmadas: doença cardiovascular (8), diabetes (4), obesidade (4), tabagismo/histórico de tabagismo (3), doença renal (3), hipertensão (2), câncer (2), etilismo (1), doença respiratória (1), doença pulmonar (1), doença neurológica (1), doença de Parkinson (1), doença de Alzheimer (1), doença hepática (1), doença autoimune (1) – um paciente pode ter mais de uma comorbidade. Os demais estão em investigação.

Com relação à testagem dos profissionais de saúde com sintomas de gripe, em Pernambuco, até agora, 21.772 casos foram confirmados e 36.009 descartados. As testagens entre os trabalhadores do setor abrangem os profissionais de todas as unidades de saúde, sejam da rede pública (estadual e municipal) ou privada. O Governo de Pernambuco foi o primeiro do país a criar um protocolo para testar e afastar os profissionais da área da saúde com sintomas gripais.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pernambuco

Escolas particulares protestam por retorno das aulas presenciais

De acordo com José Ricardo Diniz, presidente do Sindicato das Escolas Particulares do Estado, o intuito é cobrar ao governador Paulo Câmara a imediata reabertura

PortalPE10 Com informações FolhaPE

Publicado

Movimento pede retorno das aulas presenciais – Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Familiares e diretores de escolas particulares em Pernambuco realizam na manhã desta quinta-feira (29) um movimento em frente ao Palácio do Campo das Princesas, na Praça da República, área central da cidade, em prol do retorno das aulas presenciais nas instituições de ensino.

De acordo com José Ricardo Diniz, presidente do Sindicato das Escolas Particulares do Estado, o intuito é cobrar ao governador Paulo Câmara a imediata reabertura das aulas nos ensinos Infantil e Fundamental uma vez que, segundo ele, a escola é o espaço de menor risco de contágio da Covid-19.

“Desafio a qualquer pessoas apontar insegurança nas escolas, que têm seguido com rigidez os protocolos de segurança. Não há risco aos estudantes. Queremos uma resposta do governador, que silencia sobre isso. Há outros lugares que precisam ser observados e que sim, colocam em risco a população, a exemplo das campanhas e das praias lotadas”.

Uma comissão formada por pais e mães de alunos, assim como por representantes de escolas, foi recebido no Palácio do Campo das Princesas e, do lado de fora, o movimento segue à espera de uma resposta.

“ Exigimos a reabertura e que seja dada a alternativa aos pais de levar seus filhos de volta às salas de aula ou mantê-los com ensino remoto. O que não aceitamos é a imposição de não ter aulas presenciais”, complementa José Ricardo.

Continuar Lendo

Pernambuco

Com relaxamento de medidas preventivas, pandemia pode voltar a ganhar a corpo em Pernambuco

Embora ainda não apresentem subida sustentada, números de infectados e ocupação de leitos estão aumentando

PortalPE10 Com informações FolhaPE

Publicado


Na semana que países europeus tomam novas medidas de fechamento por conta de uma forte alta dos casos do novo coronavírus, Pernambuco começa a dar sinais que a pandemia pode voltar a ganhar a corpo. Um dos indicativos é a ocupação de leitos destinados a pacientes com Covid-19 no Estado. Em 18 de outubro, a taxa de ocupação de enfermarias era de 38%. Ontem, chegou a 48%. Já nas UTIs, havia doentes em 65% dos leitos, na quarta (21), e em 75%, ontem. Profissionais de saúde também afirmam que vem crescendo o número de atendimento a pessoas com sintomas da doença.

Embora ainda não apresentem uma subida sustentada, os números estão aumentando. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), análises epidemiológicas das últimas semanas revelam um suave aumento de 1,1% nas suspeitas de casos leves nos últimos 15 dias. Segundo o pesquisador e professor do Departamento de Estatística e Informática da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Jones Albuquerque, Pernambuco está entrando no nível de alto risco de infecção.

“As estatísticas nos dizem que o mundo está em ebulição e nós vamos começar a entrar também. Ainda não é possível afirmar quando exatamente, mas a estimativa é que entre duas e três semanas a gente sofra esse efeito galopante como está acontecendo na Europa”, alerta o pesquisador, que também é vice-coordenador do Instituto para Redução de Riscos e Desastres de Pernambuco (IRRD) da UFPE. Jones chama atenção para a taxa de contágio do coronavírus que atualmente está em 1,12 em Pernambuco. Isso revela que mais pessoas estão infectadas e o número de doentes subindo. O ideal seria que estivesse abaixo de 1.

O infectologista e chefe da Triagem de Doenças Infecciosas do Hospital Oswaldo Cruz (Huoc), Filipe Prohaska, afirma que tem notado aumento de pacientes com sintomas de Covid-19, mas não de casos graves. “No começo havia a orientação que só deveriam procurar uma unidade de saúde quando tivesse sintomas mais intensos. Isto tem sido a diferença quando comparamos com a situação de abril e maio”, comenta. Para o médico o fenômeno é reflexo da retomada das atividades econômicas e sociais. “Com essa reabertura é esperada a alta de casos. Era o que todos falavam no começo do ano de se tornar uma doença endêmica”, fala.

Conforme o Painel Índice de Isolamento Social do Ministério Público de Pernambuco, anteontem a taxa no Estado era de 35,6%. O município de Terezinha, no Sertão, possuía o melhor índice, com 59,1%. No Recife, a taxa está em 36,1%. Ou seja, todos distantes do que autoridades de saúde consideram como ideal, que seria em torno de 70%. “Não diria que devemos começar a fechar tudo novamente neste momento, mas devemos cogitar esta possiblidade. Se tudo correr como aconteceu antes, daqui a duas ou três semanas Pernambuco sofrerá as consequências”, afirma Jones Albuquerque.

Distanciamento social e uso de máscaras ainda são as melhores armas contra a Covid-19, segundo o infectologista Filipe Prohaska. “Os protocolos são objetivos e claros sobre como se deve proceder com relação aos cuidados em cada local. Mas não adianta ter uma organização governamental e não ter os dois lados obedecendo, tanto estado quanto população”, fala.

Por meio da assessoria de imprensa, a SES afirmou que mantém as informações divulgadas pelo secretário estadual de Saúde André Longo. Ele afirmou que o aumento de quadros respiratórios leves na última semana pode ser impacto, inclusive, da falta de cuidados da população durante o feriado do dia 12 de outubro. “Durante o processo de convivência com a doença, flutuações podem acontecer, mas, até agora, essas oscilações estão dentro de um patamar esperado, sem configurar tendência clara de aumento, ou de recrudescimento, ou de uma segunda onda da Covid-19”, falou Longo em vídeo enviado à imprensa.

Continuar Lendo

Pernambuco

Com casos em Sirinhaém e Joaquim Nabuco, Pernambuco totaliza 24 casos da Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica

Houve, até esta quarta (28), duas mortes provocadas pela doença. Os outros 22 doentes tiveram alta hospitalar, segundo o governo.

Marcos Philipe Passos

Publicado

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Pernambuco confirmou, nesta quarta-feira (28), mais um caso de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P), doença rara associada à Covid-19. Com o novo registro, o estado totalizou 24 ocorrências, notificadas desde o início da pandemia. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), dois pacientes morreram e 22 ficaram curados.

O novo caso registrado é de um menino de 8 anos, morador de Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco. Segundo a SES-PE, a criança teve sintomas da doença no fim de setembro e, na primeira quinzena de outubro, foi curado e recebeu alta hospitalar.

Os dois primeiros casos de SIM-P em Pernambuco foram divulgados em agosto. As duas mortes são de meninas moradoras do Recife. A primeira tinha 11 anos e a segunda, 1 ano e 11 meses.

Do total de 24 casos, 22 testaram positivo para a Covid-19 e um teve contato comprovado com pessoas com resultado de exame positivo para o novo coronavírus.

Vinte e dois pacientes são moradores de Pernambuco e dois são pessoas de Alagoas e do Piauí, que foram atendidas no estado. Os pernambucanos são do Recife (7, entre eles 2 óbitos), Caruaru (2), Ipojuca (1), Jaboatão dos Guararapes (3), Goiana (1), Sirinhaém (1), Joaquim Nabuco (1), Limoeiro (1), Timbaúba (1), Flores (1), Santa Cruz do Capibaribe (1), Vitória de Santo Antão (1), Serra Talhada (1).

A SIM-P se apresenta com sintomas como febre insistente, dores abdominais, manchas na pele, irritação dos olhos, entre outros sinais. Dos casos registrados até o momento, 13 são do sexo masculino e 11 do feminino, com idades entre 1 e 14 anos.

A confirmação da síndrome geralmente ocorre de forma retrospectiva. A notificação foi instituída no início de agosto e os serviços de saúde começaram a fazer um resgate dos casos que podem se enquadrar com a doença.

Coronavírus em Pernambuco

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) confirmou, nesta quarta-feira (28), 807 novos casos e 12 óbitos por Covid-19 em Pernambuco. Com mais esses dados, o estado chegou a 161.161 pacientes que receberam confirmação da doença, além de 8.587 mortes de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. A contagem é feita desde 12 de março.

*Com informações G1

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.