Nos siga nas redes sociais

Cotidiano

Dieta rica em gordura pode elevar risco de câncer de mama

Estudo encontrou relação entre consumo exagerado de gordura saturada e incidência de determinado tipo de tumor nas mamas

Avatar

Publicado

Alguns estudos científicos já encontraram uma relação entre o consumo de grandes quantidades de gordura e o risco de câncer de mama. No entanto, essa associação ainda não foi confirmada porque outras pesquisas chegaram a conclusões diferentes sobre o assunto. Agora, um novo trabalho pode ajudar a entender melhor de que forma a alimentação interfere na doença. De acordo com pesquisadores da Itália, consumir muita gordura, especialmente a saturada, está ligado ao aumento do risco de câncer de mama – mas apenas de alguns tipos do tumor.

Os especialistas chegaram a essa conclusão após observar que a incidência da doença é maior em mulheres que seguem esse tipo de alimentação do que entre as que ingerem menos gordura.

Análise — O estudo, realizado pelo Instituto Nacional do Câncer da Itália, se baseou em dados de aproximadamente 337 000 mulheres de dez países europeus, que foram acompanhadas num período de onze a doze anos. Durante esse tempo, cerca de 10 000 participantes foram diagnosticadas com câncer de mama.

Segundo os resultados da análise, as mulheres que consumiam mais gordura, em comparação com as que menos ingeriam, apresentaram um risco 28% maior ter câncer de mama do tipo receptor de estrogênio positivo, cujo crescimento depende desse hormônio. O padrão foi o mesmo quando analisado o consumo apenas de gordura saturada, que é encontrada principalmente em alimentos de origem animal, como carne vermelha, manteiga e queijo.

No entanto, a alimentação parece não interferir no risco de as mulheres desenvolverem os tipos de câncer de mama que não possuem receptores de estrogênio – ou seja, quando o tumor não depende do hormônio para se desenvolver.

Segundo os autores do estudo, é possível que o consumo de muita gordura aumente os níveis de hormônios sexuais no corpo, o que ajudaria a explicar essas conclusões. No entanto, os resultados, publicados na edição deste mês do periódico Journal of the National Cancer Institute, ainda não permitem afirmar que a dieta rica em gordura é uma das causas para o câncer de mama. O que a pesquisa mostra é que existe algum tipo de relação entre gordura e a doença.

 

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Mulher recebe comanda que a identifica como ‘moça do peitão’ em bar

“Um total abuso e desrespeito. Eu nunca imaginei que isso iria acontecer na minha vida”, afirmou ela.

PortalPE10 com informações G1

Publicado

(Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)

Patrícia Melo, de 42 anos, moradora do Rio de Janeiro, estava reunida com o marido e amigos em um bar em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, quando, ao pedir a conta, ficou sem acreditar no que estava escrito na comanda de consumo.

Entre os itens consumidos, a comanda tinha a referência “moça do peitão”. O caso aconteceu no último dia 10 de janeiro.

“Um total abuso e desrespeito. Eu nunca imaginei que isso iria acontecer na minha vida”, afirmou ela.

Patrícia também utilizou as redes sociais para relatar o constrangimento.

O caso foi registrado na Delegacia do Consumidor (Decon) e um processo por danos morais será aberto contra o estabelecimento, segundo o advogado de Patrícia.

De acordo com Patrícia, ao ser questionado, o gerente do bar pediu desculpas e disse que era prática “comum” identificar os clientes utilizando características físicas.

“Um verdadeiro absurdo como mãe, mulher, consumidora e um assédio para mim como cliente! […] Minha indignação é por mim e por tantas mulheres que sofrem diariamente tais abusos e simplesmente se calam… Você não tem que se calar. O desrespeito bate a nossa porta! Não brinque. Nem ache engraçado. Podia ser com você! […] Já sofri muito para ficar quieta. Sou mulher e mereço respeito”, declarou ela.

O que diz o estabelecimento

Em nota, a Ambev, empresa responsável pelo estabelecimento, informou que tem reforçado o treinamento de toda a equipe para que situações como essa não se repitam e que adotou “as medidas cabíveis com os colaboradores envolvidos’.

“Assim que soubemos do ocorrido conversamos com a cliente para pedir desculpas. Lamentamos profundamente pela ocorrência dessa situação – que não reflete o respeito, que é um dos nossos principais valores – e reforçamos publicamente nosso pedido de desculpas. Informamos ainda que apuramos internamente o caso e adotamos as medidas cabíveis com os colaboradores envolvidos, bem como estamos reforçando os treinamentos com toda a equipe para que situações assim não voltem a ocorrer”, declarou a empresa.

Continuar Lendo

Cotidiano

Incêndio atinge prédio que fabrica vacinas contra Covid-19 na Índia, mas produção não é afetada

A unidade que pegou fogo faz vacinas contra o rotavírus.

PortalPE10 com informações G1

Publicado

Incêndio em prédios do Instituto Serum, na cidade de Pune, na Índia, em 21 de janeiro de 2021 — (Foto: AFP)

Um incêndio atingiu um edifício do Instituto Serum, a empresa da Índia que produz vacinas com tecnologia da AstraZeneca e da Universidade de Oxford, nesta quinta-feira (21), na cidade de Pune.

O estoque de vacinas e a indústria onde elas são feitas estão seguras, segundo o jornal “Times of India”. Atualmente, o Instituto Serum produz cerca de 50 milhões de doses da vacina por mês em outras unidades do complexo.

A empresa também vai começar a produzir as vacinas desenvolvidas pela empresa norte-americana Novavax.

Segundo o diretor-executivo da empresa, Adar Poonawalla, a unidade que pegou fogo produz vacinas para o rotavírus. Ele estima que a perda nessa linha de produção será de até 40% do volume de doses.

As redes de TV indianas mostram uma coluna de fumaça cinza acima da sede da empresa.

Em uma rede social, Poonawalla, o diretor-executivo, agradeceu a todos pela preocupação e pelas orações.

“Até agora, o mais importante é que não houve vidas perdidas e nem grandes lesões por causa do fogo, apesar de alguns andares terem sido destruídos”, afirmou.

Os bombeiros afirmaram que ao menos cinco caminhões foram enviados para combater o fogo no prédio e que o fogo foi controlado.

Ainda não se sabe o que causou o incêndio.

Maior produtor do mundo

O Instituto Serum é o maior fabricante de vacinas do planeta. Lá são produzidas 1,5 bilhão de doses de para várias doenças, de poliomielite a caxumba. A estimativa é que seis em cada dez crianças no mundo recebam pelo menos uma vacina fabricada pela empresa indiana.

Nesta semana, a Índia começou a exportar as vacinas produzidas pelo Instituto Serum para seis países, mas não para o Brasil.

Questões diplomáticas

O Brasil espera a liberação da exportação de dois milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca que estão na Índia, mas as relações diplomáticas entre os dois governos enfrentam dificuldades há três meses por causa da posição assumida pelo Brasil numa reunião na Organização Mundial do Comércio (OMC).

A reunião foi em meados de outubro de 2020.

A África do Sul e a Índia apresentaram um pedido ao Conselho de Propriedade Intelectual da Organização Mundial do Comércio para suspender temporariamente os direitos de patentes de insumos e equipamentos médicos para combater a Covid-19, até que a maioria da população mundial estivesse vacinada.

O acordo de propriedade intelectual da OMC já prevê a flexibilização dos direitos de patentes em casos como esse, mas é preciso liberar um produto de cada vez em cada país, e o argumento era de que não havia tempo a perder.

Os representantes do governo brasileiro se manifestaram dizendo que “não estavam convencidos que a suspensão dos direitos de propriedade iria garantir a nós um aumento significativo de acesso aos produtos, e poderia dar um sinal errado a inovadores e até prejudicar esforços para produzir as soluções que precisamos”.

Continuar Lendo

Cotidiano

Depen retoma provas de concurso público para 309 vagas

Cargos são de nível médio e superior; salários vão até R$ 6.030,23.

PortalPE10 com informações G1

Publicado

(Foto: Reprodução)

O Departamento Penitenciário Nacional (Depen) retomou as provas objetivas e discursiva do concurso público, que estavam previstas para setembro do ano passado e foram suspensas devido à pandemia. Agora, as provas serão aplicadas no dia 28 de fevereiro deste ano.

A retomada do concurso seguirá todas as regras de prevenção à Covid-19 em todas as etapas e as medidas de prevenção ao coronavírus serão divulgadas no edital de consulta aos locais de provas, bem como nos demais editais de convocação para cada fase, no site https://www.cebraspe.org.br/concursos/DEPEN_20.

Veja o edital no site do Cebraspe

O concurso público do Depen oferece 309 vagas em cargos de nível médio e superior.

Veja os cargos:

  • Nível superior: Especialista Federal em Assistência à Execução Penal, especialidades de Enfermagem, Médico Clínico, Médico Psiquiatra, Odontologia, Psicologia, Serviço Social e Terapia Ocupacional.
  • Nível Médio: Agente Federal de Execução Penal

Vagas:

  • 15 vagas para Especialista Federal em Assistência à Execução Penal
  • 294 vagas para Agente Federal de Execução Penal

Salários:

  • R$ 6.030,23 para o cargo de agente
  • R$ 5.865,70 para o cargo de especialista

Locais das vagas:

Os candidatos serão lotados na sede do Depen, em Brasília/DF, ou em uma das cinco penitenciárias federais, localizadas nas cidades de Brasília/DF, Campo Grande/MS, Catanduvas/PR, Mossoró/RN e Porto Velho/RO, de acordo com o interesse e a necessidade da administração.
As prova objetivas e discursiva para ambos os cargos serão realizadas nas 26 capitais e no Distrito Federal, além dos municípios de Mossoró (RN) e Catanduvas (PR).

Haverá ainda exame de aptidão física, avaliação de saúde, avaliação psicológica, investigação social e Curso de Formação.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.