Nos siga nas redes sociais

Política

Em despedida, general elogia Ustra e promete apoio a Bolsonaro

O general Mourão deixou a Secretaria de Economia e Finanças do Comando do Exército nesta quarta e passou à reserva.

Avatar

Publicado

Imagem relacionada
No seu discurso de despedida do Exército, nesta quarta (28), o general do Exército Antonio Hamilton Mourão, chamou de “herói” o coronel Carlos Brilhante Ustra (1932-2015), ex-chefe do DOI-CODI do II Exército, um dos principais órgãos da repressão durante a ditadura militar e acusado de inúmeros crimes pela Comissão Nacional da Verdade.

O general Mourão deixou a Secretaria de Economia e Finanças do Comando do Exército nesta quarta e passou à reserva, após ter dado declarações públicas com sugestão de uma intervenção militar e críticas ao presidente Michel Temer. Após a solenidade, indagado pela reportagem sobre a menção a Ustra, Mourão disse que ele foi seu comandante, “combateu o terrorismo e a guerrilha, por isso ele é um herói”.

Na entrevista, Mourão atacou a intervenção determinada pelo governo no Rio e disse que o interventor, o general Braga Netto, é “um cachorro acuado” porque a intervenção deveria ter também afastado o governador Luiz Pezão (MDB). “A intervenção no Rio de Janeiro é uma intervenção meia-sola. Vamos lembrar do século 19, houve várias intervenções nas províncias. O interventor era o ‘Caxias’. Assumia o quê? O poder político e o poder militar. O [general interventor] Braga Netto não tem poder político. O Braga Netto é um cachorro acuado, no final das contas. Não vai conseguir resolver o problema dessa forma. E nós só vamos apanhar”, disse Mourão.

O general afirmou que, agora que deixou o Exército, será candidato a presidente do Clube Militar, no Rio, e vai trabalhar na candidatura do presidenciável Jair Bolsonaro. Disse que, “se preciso”, “subirá no palanque” em prol do candidato. Mourão disse que o “regime que nós vivemos” é frágil, “onde a moral e as virtudes foram enxovalhadas. As pessoas entram na política não para servir, mas para se servir, esse é o recado. Se não mudarmos a moral do nosso regime, o nosso país não vai ter futuro”.

O general disse que o Judiciário deveria “expurgar da vida pública aquelas pessoas que não têm condições de participar”. Indagado se ele incluiria o presidente Michel Temer (MDB) nesse cenário, Mourão respondeu que sim. “O [cineasta] José Padilha foi muito feliz ao definir que existe um mecanismo nesse país. Esse mecanismo tem que ser desmontado. Se não for, nós vamos continuar eternamente a ser o cachorro comendo o rabo.”

Em dezembro, Mourão irritou Temer ao dizer que o presidente “vai aos trancos e barrancos” e tenta se equilibrar no governo “mediante o balcão de negócios”. Três meses antes, ele havia dito em uma palestra promovida pela maçonaria em Brasília que seus “companheiros do Alto Comando do Exército” entendem que uma “intervenção militar” poderia ser adotada se o Judiciário “não solucionar o problema político” do país. 

A saída de Mourão do posto havia sido oficializada em ato de Temer três dias após as declarações sobre o presidente. Em 2015, Mourão foi exonerado do Comando Militar do Sul, em Porto Alegre, e transferido para Brasília após também fazer críticas ao governo de Dilma Rousseff.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pernambuco

Eleição foi a mais tranquila dos últimos tempos, diz presidente do TRE-PE

Uma mesária foi presa em Paulista, fazendo campanha. Apenas duas urnas foram substituídas.

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Reprodução/TV Globo)

O segundo turno das eleições 2020 no Recife e em Paulista, na Região Metropolitana, foi das votações mais tranquilas dos últimos tempos, de acordo com o presidente do Tribunal Regional Eleitoral em Pernambuco (TRE-PE), Frederico Neves.

Pouco depois das 17h, ele afirmou que, em todo o pleito, houve duas urnas quebradas, uma mesária presa em Paulista e algumas denúncias de compra de votos.

“Nunca ninguém viu eleições mais tranquilas do que essas em Pernambuco. Estou dizendo isso graças à experiência das pessoas do TRE-PE, que estão acostumadas a vivenciar as eleições. Em tempos de pandemia, com toda a dificuldade que o TRE enfrentou, essas eleições foram das mais tranquilas dos últimos tempos”, afirmou o desembargador.

Frederico Neves informou que houve uma urna quebrada em Paulista e outra no bairro de Casa Amarela, Zona Norte do Recife.

“Um dos problemas foi de teclado, na digitação. Esse teclado foi substituído. Outro problema foi na zerézima, o documento expedido pela urna, que atesta que a urna está totalmente zerada. Não foi possível emitir e ela foi substituída”, declarou.

No caso da mesária presa em Paulista, o desembargador afirmou que a mulher estava, dentro de um local de votação, tentando angariar votos para um determinado candidato.

“É preciso apurar isso com mais verticalidade, mas a mesária não estava a se comportar adequadamente, estava aliciando alguns eleitores, dentro do local de votação. Esse fato foi denunciado e ela foi imediatamente retirada do local. O juiz decretou a prisão da mesária, e é assim que deve ser. As pessoas devem cumprir as leis, eu sou intransigente nesse ponto. Ela haverá de responder pelas suas atitudes e cumprir com as determinações da justiça eleitoral”, disse.

*Com informações G1

Continuar Lendo

Brasil

Balanço do TSE diz que 194 urnas já foram substituídas neste segundo turno no País

O maior número de ocorrências foi em São Paulo, onde o segundo turno ocorre em 16 cidades.

Redação PortalPE10

Publicado

Urnas eletrônicas - (Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters)

Urnas eletrônicas – (Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou às 10h seu primeiro boletim informativo relativo ao segundo turno das eleições municipais, neste domingo (29). Até o momento, 194 urnas foram substituídas.

O maior número de urnas com mau funcionamento que precisaram ser trocadas foi anotado em São Paulo, onde o segundo turno ocorre em 16 cidades, incluindo a capital. Foram 65 equipamentos substituídos, o que representa 0,13% das urnas mobilizadas no estado.

Em seguida, vem Rio de Janeiro, onde há segundo turno em cinco cidades, incluindo a capital. Lá, 56 urnas foram substituídas nas primeiras horas de votação. Outros 15 equipamentos foram trocados no Ceará, onde ocorre votação em Fortaleza e Caucaia.

Mais urnas trocas

No Rio Grande do Sul, em que há votação em Porto Alegre e outras quatro cidades, foram 11 urnas trocadas. Menos do que em Sergipe, onde o segundo turno acontece em apenas uma cidade – Aracaju – onde 14 urnas foram trocadas até o momento.

Ao todo, o TSE reservou 97.024 urnas para votação em todas as 57 cidades brasileiras em que há segundo turno nas eleições deste ano. Outras 48.231 foram separadas para ficar de reserva. Neste domingo, 38 milhões de brasileiros estão aptos a votar para escolher o próximo prefeito de sua cidade.

Continuar Lendo

Pernambuco

Em Paulista, mesária tem prisão decretada por orientar eleitores a votarem em um candidato

Segundo informações iniciais, a mesária orientava eleitores a votarem em um candidato específico, cujo nome não foi divulgado. A prisão foi solicitada por meio das promotoras eleitorais Rafaela Melo e Julieta Batista.

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Divulgação)

No município do Paulista, Região Metropolitana do Recife, o Ministério Público do Estado de Pernambuco (MPPE) solicitou a prisão de uma mesária na Escola Estadual Maria Alves Machado, na Seção n.º 99 da 114ª Zona Eleitoral.

Segundo informações iniciais, a mesária orientava eleitores a votarem em um candidato específico, cujo nome não foi divulgado. A prisão foi solicitada por meio das promotoras eleitorais Rafaela Melo e Julieta Batista.

Além disso, em frente ao mesmo Colégio Eleitoral, duas pessoas foram presas por realizar aglomerações. Também foi identificada a ação de boca de urna, com distribuição de santinhos e dinheiro para eleitores. O homem que fazia a boca de urna também foi encaminhado à delegacia para assinar Termo Circunstanciado de Ocorrência.

Policiamento

Ainda em Paulista, na 146ª Zona Eleitoral, o MPPE, por meio da promotora eleitoral Christiana Ramalho, solicitou reforço do policiamento e deslocamento de ônibus do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) após denúncias de compra de voto e realização de boca de urna em frente aos Colégios Eleitorais da região.

*As informações são do Blog da Folha PE

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.