Nos siga nas redes sociais

Esportes

Fifa paga o preço por ignorar sinais de perigo no Brasil

Temas como a obsoleta infraestrutura brasileira, problemas sociais e a violência foram colocados de lado

Avatar

Publicado

 A Fifa tem se esforçado para esconder a irritação com os problemas nos preparativos do Brasil para a Copa do Mundo deste ano, mas a entidade que comanda o futebol mundial não pode dizer que não foi alertada.

Os sinais de perigo eram claros desde 2007, quando o Rio de Janeiro sofreu para organizar os Jogos Pan-Americanos.

Estouros de orçamentos, uma expansão do metrô que nunca aconteceu, atrasos e problemas constantes na construção dos locais de competição –muitos dos quais finalizados no último minuto–, deveriam fazer soar o alarme em Zurique.

Mesmo assim, apenas três meses depois, o único candidato a sediar a Copa de 2014, sob o então sistema da Fifa de rotação do torneio pelos continentes, levou a competição sem oposição.

Arena Pantanal

   Temas como a obsoleta infraestrutura brasileira, problemas sociais e a  violência foram colocados de lado, em meio aos elogios feitos ao Brasil  pelas conquistas dentro de campo.

   Nos seis anos e meio que se passaram, aconteceu com a Copa do  Mundo muito do que ocorreu com o Pan.

   Sem poder fazer muito, a Fifa assiste aos organizadores brasileiros não  cumprirem prazos, ignorarem os orçamentos iniciais e engavetarem  projetos de infraestrutura que representariam um legado da Copa.

   Num exemplo recente, a Fifa alertou em maio passado que todos os 12  estádios da Copa do Mundo deveriam estar prontos no fim de 2013 e  que atrasos não seriam tolerados. Seis estádios não cumpriram o prazo,  e mesmo assim a Fifa nada fez.


RECURSOS PÚBLICOS

O tempo tem sido particularmente cruel com o relatório de inspeção no qual a entidade baseou sua decisão de entregar a Copa do Mundo de 2014 ao Brasil.

“O modelo brasileiro para a Copa do Mundo é dar prioridade ao financiamento privado na construção e nas reformas dos estádios por intermédio de concessões de longo prazo e parcerias público-privadas”, afirmaram na época os inspetores da Fifa.


Arena da Baixada“O objetivo é construir estádios modernos que sigam os requisitos da Fifa, enquanto os recursos públicos são usados em infraestrutura básica, principalmente segurança, aeroportos, estradas e hospitais.”

Em vez disso, recursos públicos foram usados para construir estádios, diretamente ou por meio de isenções e empréstimos subsidiados, e muito da infraestrutura prometida não foi viabilizada.

O transporte aéreo tem sido uma grande dor de cabeça, mesmo assim o relatório da Fifa disse no passado que não havia motivos para preocupação.

“A equipe de inspeção concluiu que o Brasil tem a infraestrutura de transporte aéreo necessária para lidar com o número de visitantes internacionais, assim como com o público que desejar viajar de uma sede para a outra para assistir às partidas”, disse o documento.


ENVOLVIMENTO

Quando a África do Sul foi sede da Copa há quatro anos, a Fifa se envolveu mais no processo.

O Brasil, no entanto, fez as coisas do seu jeito, de uma maneira que poucos imaginariam, especialmente considerando que a Fifa sobrevive em boa parte dos recursos da Copa do Mundo.

A Fifa queria de oito a dez sedes para reduzir os problemas logísticos, mas acabou concordando em permitir que o Brasil usasse 12.

Os organizadores locais então decidiram que as seleções viajariam pelo país em vez de disputar os jogos da fase de grupo numa única sede, aumentando o pesadelo logístico.

A Fifa periodicamente ameaçou e criticou os anfitriões, mas depois recuou diante das previsíveis reações indignadas do Brasil, que se orgulha de ser o “país do futebol”.

“A Fifa não tem o controle que gostaria sobre a Copa no Brasil”, afirmou Christopher Gaffney, pesquisador e professor visitante da Universidade Federal Fluminense, no Rio de Janeiro. “Pode ter havido uma falta de entendimento sobre o jeitinho brasileiro”, acrescentou.

“A opinião geral no Brasil é que a Fifa tem feito tudo o que quer em termos de benefícios fiscais e políticos e deve deixar os brasileiros tomarem conta da realização do torneio.”


MENOS DEMOCRACIA

A frustração da Fifa com as três esferas de poder no Brasil, a municipal, a estadual e a federal, foi exposta de maneira pouco sábia por seu secretário-geral, Jérôme Valcke, em abril.

“Menos democracia é às vezes melhor para organizar uma Copa do Mundo”, disse ele. “Quando você tem um forte chefe de Estado, que pode decidir, como talvez Vladimir Putin possa fazer em 2018, isso é mais fácil para os organizadores.”

Joseph Blatter

   Segundo Gaffney, a Fifa parece desorientada.

   “A complexidade da estrutura governamental brasileira para o evento  faz  com que mesmo a Fifa não tenha ideia de onde buscar respostas.”

   Diante de tal cenário, tudo que a Fifa pode fazer é cruzar os dedos e  falar de confiança mútua.

   “Não há problemas”, disse o presidente da entidade, Joseph Blatter, na  quinta-feira, após encontro com a presidente Dilma Rousseff na sede da  Fifa, em Zurique.


   “No fim das contas, tudo estará em ordem em todos os lugares do  Brasil.” 

 

 

informações de; Reuters Zurique 

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Goleiro Bruno, condenado por homicídio, e mais 19 atletas têm intoxicação alimentar

Condenado pela morte de Eliza Samúdio, ex-goleiro do Flamengo apresenta um dos quadros mais graves, segundo o Rio Branco, do Acre

Lucas Passos

Publicado

REPRODUÇÃO/ REDES SOCIAIS

Vinte atletas da equipe de futebol Rio Branco, do Acre, entre eles o goleiro Bruno, ex-jogador do Flamengo condenado por homicídio, foram internados na madrugada deste domingo (18/10) por intoxicação alimentar.

Os jogadores passaram mal após jantar na noite desse sábado (17/10). Eles foram levados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Bragança (PA), onde estavam hospedados, por causa da situação.

O Rio Branco jogaria na tarde deste domingo contra a equipe do Bragantino, do Pará, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro da Série D, mas a partida foi adiada. O clube registrou um boletim de ocorrência.

“Casos mais agravantes são do goleiro Bruno, os zagueiros Wallinson e Paulinho e do meia Guilherme Campana”, detalhou a equipe acreana, em nota publicada na tarde deste domingo, em uma rede social.

Os sintomas apresentados pelos integrantes da delegação são náuseas, vômitos, febre e tontura. Os atletas chegaram a Belém (PA) na noite de sexta-feira (16/10), mas só passaram mal após o jantar desse sábado.

No total, a delegação do Rio Branco tem 24 pessoas. Quatro delas, os atacantes Cassiano e Vandinho, o treinador interino Walter Clay e o ídolo Chicão, não foram acometidas. Eles não jantaram na última noite.

O clube acreano ressaltou que, em nenhum momento, acusou o Hotel Ibis, onde estão hospedados desde sexta, o adversário da rodada, Bragantino, ou a população da cidade paraense.

“Realizamos um boletim de ocorrência notificando o ocorrido. Não cabe ao Rio Branco fazer qualquer acusação, somente o relato”, esclareceu o clube. A Polícia Civil do Pará (PCPA) e a Vigilância Sanitária apuram o caso.

“Chegamos a Belém na noite de sexta-feira e fomos muito bem recepcionados pelo hotel, não havendo nenhum problema até o fim da hospedagem, na manhã de sábado. Só temos elogios ao Íbis Hotel”, informou o time.

“Também informamos que não houve nenhuma acusação ao Bragantino e a qualquer membro do clube. Entendemos que o adiamento da partida também é prejudicial ao time paraense e temos profundo respeito com a instituição”.

“Também não houve críticas ou acusações aos cidadãos de Bragança. Pelo contrário. Fomos muito bem recebidos na cidade e não temos crítica alguma à população”, finalizou a equipe de futebol, na nota.

A partida entre Rio Branco e Bragantino foi remarcada para segunda-feira (19/10), mas poderá ser novamente adiada. O confronto vale a liderança do grupo – o time paraense está apenas um ponto à frente do adversário.

“O jogo foi adiado pela CBF [Confederação Brasileira de Futebol] para amanhã, porque os atestados médicos indicaram um dia de repouso a todos. Entretanto, a data ainda pode ser alterada”, ressaltou a equipe.

Fonte: Metrópoles

Continuar Lendo

Esportes

Galvão Bueno volta atrás e diz que negocia com Globo para narrar Copa-2022

A decisão de Galvão tem muita relação com o fato de, pela primeira vez nos últimos 46 anos, ele estar tanto tempo sem narrar.

Marcos Philipe Passos

Publicado

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

O narrador Galvão Bueno, que havia dito no programa “Altas Horas”, da TV Globo, que não estaria na Copa do Mundo de 2022 como narrador, usou o mesmo programa para dizer que está repensando aquela decisão. Em papo com Serginho Groisman, ele contou que já conversa com a emissora para redefinir os planos.

“Como eu já disse muita coisa no seu programa, confessei que sou torcedor do Flamengo no seu programa, rapaz… Esse ano parado já está me fazendo pensar um pouco. E já estamos conversando, direção da Globo e eu. Quem sabe aquela notícia que eu te dei não vale mais”, afirmou Galvão, para comemoração de Serginho.

“Quem em 2022 você esteja tinindo pra gente conseguir mais um caneco e ouvirmos suas emoções”, disse o apresentador.

Durante a conversa, o “Altas Horas” recuperou o trecho de março deste ano, em que Galvão havia revelado: “Hoje eu disse pela primeira vez que não vou narrar a Copa de 2022. Vou estar lá. O que vou fazer, não sei. Mas não vou narrar”, afirmou, na ocasião.
COVID-19

A decisão de Galvão tem muita relação com o fato de, pela primeira vez nos últimos 46 anos, ele estar tanto tempo sem narrar. Sete meses, segundo o veterano de 70 anos. Ele mostrou descontentamento com os rumos da pandemia e o relaxamento no isolamento.

“Quanta coisa que acho que começou antes da hora… A doença é um problema muito sério. Algumas pessoas fizeram questão de não levar tão a sério. É um drama, estamos atravessando uma turbulência terrível no mundo inteiro. Veja, neste momento a Europa volta a aumentar o número de casos, passamos de 1 milhão de mortos. Parece que as pessoas relaxaram no isolamento, mas continuamos com esse problema”, criticou Galvão.

O narrador ainda brincou com o fato de ter virado “namoradinho da internet”, fazendo receitas para ajudar a promover as vendas dos vinhos de sua marca. “Vai pegar o lugar da Ana Maria Braga daqui a pouco”, brincou Serginho.

“Vou dar uma ligadinha pra ela pra gente fazer uma parceria”, riu Galvão. “Pra um cara de 70 anos, esse negócio de namoradinho da internet chega a ser engraçado, é hilário. Aproveito as receitas para ajudar nas vendas online dos meus vinhos, então, a coisa ficou divertida”, contou Galvão.

*Com informações FolhaPress

Continuar Lendo

Esportes

Flamengo goleia Corinthians por 5 a 1 e assume liderança

Everton Ribeiro, Vitinho, Natan, Bruno Henrique e Diego marcaram os gols dos visitantes na goleada histórica. Gil fez o único do Alvinegro

Marcelo Passos

Publicado


O Corinthians recebeu o Flamengo neste domingo e foi goleado por 5 a 1, em duelo válido pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. Absoluto na partida, o Rubro-Negro dominou os mandantes e chegou à liderança provisória do torneio nacional. Já o Timão voltou a perder e segue próximo à zona de rebaixamento.

Everton Ribeiro, Vitinho, Natan, Bruno Henrique e Diego marcaram os gols dos visitantes na goleada histórica. Gil fez o único do Alvinegro.

Domínio do Fla no 1º tempo
Em início bastante movimentado, o Flamengo balançou as redes aos nove minutos. Vitinho roubou a bola de Fagner na lateral, e com a defesa do Corinthians mal postada, conduziu pela esquerda e passou para Everton Ribeiro bater, a bola explodiu em Marllon e sobrou para Pedro dentro da área. O centro-avante pegou de primeira e marcou.

O VAR checou o lance e detectou que a bola saiu no início da jogada, logo após o desarme do Vitinho e cancelou o gol.

Com maior posse de bola, o Rubro-Negro tomou o controle do jogo e passou a criar mais chances. Aos 24 minutos, Everton Ribeiro tabelou com Vitinho e recebeu no meio da área para bater de primeira. O camisa 7 pegou embaixo e a bola saiu por cima da trave de Cássio.

Aos 31 minutos, Everton Ribeiro apareceu mais uma vez na área do Corinthians, agora para abrir o placar. Bruno Henrique centralizou a jogada, puxou a marcação para o meia e abriu na esquerda para a descida de Felipe Luis. Com espaço, o lateral cruzou com precisão para Everton Ribeiro, que ganhou o duelo com Lucas Piton para cabecear e marcar.

Bruno Henrique não deu tempo para a defesa corintiana respirar. Dois minutos depois do gol, o atacante fez nova jogada pelo meio e abriu para Vitinho bater na entrada da área. A bola desviou na zaga e saiu em escanteio.

A única chance real do Corinthians veio aos 43 minutos. Everaldo fez jogada pelo lado esquerdo da área e rolou para trás. Camacho dominou na intermediária, pensou, ajeitou e bateu firme no travessão de Hugo.

Apesar da bola na trave no fim, o Corinthians criou pouco e foi dominado pelo Fla por grande parte da primeira etapa. O Rubro-Negro terminou com 63% de posse de bola e duas finalizações no gol, contra nenhuma do Alvinegro.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.