Nos siga nas redes sociais

Política

Fogo Cruzado Inaldo Sampaio: A arte de saber esperar

O governador Eduardo Campos herdou do avô, Miguel Arraes, a capacidade de lidar com o tempo.

Avatar

Publicado

Além dos vivos olhos verdes, o governador Eduardo Campos herdou do avô, Miguel Arraes, a capacidade de lidar com o tempo. Ele estabeleceu em sua cabeça que ainda não chegou a hora de fazer o anúncio do candidato do PSB à sucessão estadual. E não abre a guarda para ninguém. Não conversa sobre este assunto com o vice-governador João Lyra Neto, com o chefe da Casa Civil, Tadeu Alencar, nem com o ex-ministro Fernando Bezerra Coelho. Este último, aliás, de temperamento mais impetuoso e mais extrovertido, deve estar passando os piores dias de sua vida política por não saber, ainda, a esta altura do processo, se terá o nome indicado ou não para compor a chapa majoritária do PSB. Porque o governador não abre o jogo. Pôs na cabeça que ainda não é tempo para colocar o time em campo e todos se submetem à sua orientação. No quesito “paciência” imita o avô, mas é menos aberto do que ele na tomada de grandes decisões.

O ex-ministro Fernando Bezerra Coelho deve estar vivendo os piores dias de sua vida

O terceiro “poste” de Lula
Paraense de nascimento, o ministro Alexandre Padilha (saúde) vai deixar a pasta no final do mês para preparar sua candidatura ao governo de SP pelo PT. Ele é o segundo ministro da saúde de governos petistas a tentar dar o salto para a chefia de um governo estadual (o 1º foi Humberto Costa). E se porventura for eleito terá sido o 3º “poste” consecutivo do ex-presidente Lula a derrotar um tucano. Os outros foram Dilma Rousseff e Fernando Haddad (prefeito de SP).

Cérebro – Não foi surpresa a escolha do argentino Diego Brandy para comandar o marketing político da campanha de Eduardo Campos a presidente da República. Ele faz pesquisas para candidatos do PSB desde a eleição de 2004. Foi por essa época que o apresentaram a Miguel Arraes, que após trocar com ele algumas ideias, disse: “Esse argentino tem coisa na cabeça!”.

Mistura – Já é palpável em muitas cidades do interior de Pernambuco o voto “eduando”, isto é, Eduardo Campos para presidente da República e Armando Monteiro (PTB) para governador.

Autoria – Pelo grande número de informações sobre Pernambuco, a “Balada de Eduardo Campos”, com críticas ao governador, postada no site oficial do PT, foi obra de pernambucanos. 

Salvação – O PMDB vai entrar no “chapão” do PSB- tanto para deputado estadual como parafederal – para tentar salvar os mandatos de Tony Gel, Gustavo Negromonte e Raul Henry. 

Chapinha – Alguns deputados do PSDB ainda estão avaliando se é mais conveniente disputar as próximas eleições no “chapão” do PSB ou numa “chapinha” isolada só com candidatos do partido. Mas pelo desejo de Sérgio Guerra (foto) vai todo mundo para o “chapão”.

O fico – Com a decisão do governador Teotônio Vilela Filho (PSDB-AL) de não se afastar do cargo agora em abril para disputar a vaga do Senado, o vice José Thomaz Nonô (DEM), que formou-se em Direito na UFPE, não assumirá mais o governo alagoano.

Recuo – Para não aumentar o sofrimento do primo, Pedro Corrêa (PP), autorizado pela Justiça a cumprir na penitenciária de Canhotinho a pena a que foi condenado no processo do mensalão, o ex-juiz Clóvis Corrêa Filho vai se afastar do caso. Ficou muito magoado com declarações da deputada e filha do ex-parlamentar, Aline Corrêa (SP), dizendo que ele não “fala” pela família.

Unidade – O deputado Diogo Moraes (PSB) já entrou em campo para tentar conter eventuais dissidências no PSB de Taquaritinga do Norte. Ele garante que os vereadores do partido – aos quais se atribuía o desejo de votar em Eduardo Campos para presidente da República e no senador Armando Monteiro (PTB) para governador – irão votar fechados no candidato do PSB.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Palmares

Eleições 2020: Agenaldo Lessa tem candidatura deferida após recurso em Palmares

Candidatura havia sido indeferida

Redação PortalPE10

Publicado

Candidato a Prefeito de Palmares Agenaldo Lessa (PSD) (Foto: Reprodução/PortalPE10)

Candidato a Prefeito de Palmares Agenaldo Lessa (PSD) (Foto: Reprodução/PortalPE10)

O candidato a prefeito de Palmares , Agenaldo Lessa (PSD), teve o registro deferido pela Justiça Eleitoral. A candidatura havia sido indeferida na semana passada e o vice-prefeito entrou com recurso para tentar reverter a decisão. Com isso, ele permanece na disputa para eleições de 2020 em Palmares.
Deferimento

No TRE-PE, após ser apreciado o processo, o registro do candidato pode ser considerado “apto” ou “inapto”. Caso o candidato preencha todas as condições de elegibilidade, isto é, não tenha nenhuma contestação e o pedido tenha sido acatado, a situação que aparecerá no sistema será “apto” e “deferido”.

Outro caso é quando o candidato aparece como apto, mas houve impugnações e a decisão é no sentido de negar o registro.
Nesse caso, a situação será “apto”, e o complemento será “indeferido com recurso”. Existe ainda o caso do candidato que apresentou o registro, e as condições de elegibilidade avaliadas foram deferidas pelo juiz; contudo, o Ministério Público Eleitoral (MPE) ou o partido recorreu da decisão. Nessa hipótese, a condição será “apto” e “deferido com recurso”.

Na situação de registro julgado como apto, ainda existem as possibilidades de “cassado com recurso” ou “cancelado com recurso”. Isso ocorre quando o candidato teve o registro cassado ou cancelado pelo partido ou por decisão judicial, porém apresentou recurso e aguarda uma nova decisão.

Continuar Lendo

Brasil

Mesários de Pernambuco receberão auxílio por aplicativo do Banco do Brasil

TREs estabelecerão valores e data de depósito do benefício

Marcelo Passos

Publicado

Urnas eletrônicas - (Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters)

Urnas eletrônicas – (Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters)

Os mesários de 23 estados nas eleições municipais de novembro deste ano receberão o auxílio-alimentação por meio do smartphone. O benefício será pago por meio do aplicativo Carteira bB, carteira digital fornecida pelo Banco do Brasil.

O pagamento por meio digital resulta da parceria entre o Banco do Brasil e os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) dos seguintes estados: Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Caberá a cada TRE definir o valor e a data de pagamento do auxílio-alimentação. As condições de recebimento podem ser verificadas no site da Justiça Eleitoral de cada estado.

Para receber o auxílio-alimentação, os mesários deverão instalar o aplicativo, disponível nos sistemas operacionais Android e iOS, e cadastrar-se na Carteira bB. Cada TRE encaminhará aos mesários um código que será usado para resgatar o benefício na data indicada. O saldo disponível aparecerá na tela inicial do aplicativo.

As eleições municipais ocorrerão em 15 de novembro, com o segundo turno em 29 do mesmo mês. Ao todo, serão preenchidos 67,8 mil cargos públicos eletivos de prefeitos e vereadores.

Lançamento
Lançada em março, a Carteira bB tem cerca de 1 milhão de clientes em todo o país. O aplicativo permite pagamentos por meio de Código QR (versão avançada do código de barras) em máquinas da bandeira Cielo. Também é possível fazer saques nos caixas eletrônicos do Banco do Brasil, recarregar celular, fazer transferências para qualquer conta bancária convencional e efetuar pagamentos com cartão virtual, usados em compras online, aplicativos de transporte e serviços de entrega.

Segundo o Banco do Brasil, o funcionamento simplificado do aplicativo atende às necessidades imediatas de serviços como os usados pelos mesários.

 

Continuar Lendo

Política

Eleições 2020: Saiba como encontrar seu local de votação

O aplicativo e-Título é outra maneira de consultar as informações.

Marcos Philipe Passos

Publicado

(Foto: Aldo V. Silva / Arquivo JCS)

(Foto: Aldo V. Silva / Arquivo JCS)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) possui uma ferramenta de consulta que informa o número do título de eleitoral, da zona eleitoral e do endereço de seção da votação. Basta indicar o nome completo, a data de nascimento e o nome da mãe. Clique aqui para ter consultar seu local de votação.

O aplicativo e-Título é outra maneira de consultar as informações. Ele pode ser baixado em tablets ou smartphones que utilizam os sistemas operacionais Android ou iOS.

Além disso, você pode ligar para a Central do Eleitor de seu estado para obter informações. Em Pernambuco, o número é: (81) 3194-9400. Se você for de outro estado confira os número de cada Central neste link.

Vale ressaltar que você pode votar sem ter o título de eleitor em suas mãos. Para votar é necessário que você tenha em mãos qualquer documento oficial com foto e saiba o local de sua votação.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.