Nos siga nas redes sociais

Sem categoria

Gringos na Copa: muita paixão e pouco dinheiro no bolso

Turistas vieram com o intuito de gastar pouco e beber muito; compras, restaurantes e passeios caros ficam para a próxima

Avatar

Publicado

As expectativas eram altas: hotéis lotados, aeroportos movimentados, filas em renomados restaurantes, shopping centers fervilhando, táxis sempre ocupados e pontos turísticos cheios de estrangeiros ávidos por diversão e bons serviços — e com muito dinheiro para gastar. O comércio se preparou para um mês tão próspero quanto o de dezembro, mas se deparou com um dos períodos mais calmos — e frustrantes — dos últimos tempos. A decepção com o apetite por consumo dos gringos foi quase tão grande quanto aquela enfrentada com a seleção brasileira durante sua derrota para Alemanha na fatídica semifinal de terça-feira. Os endinheirados alemães, os consumistas japoneses, os bon vivants franceses e os perdulários russos parecem ter desembarcado em outras praias que não as brasileiras. O empresário Enrico Fermi, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih), arrisca descrever o perfil do turista tão aguardado pelos comerciantes — que não é nada animador: “Muitos vieram sem ingresso, sem dinheiro, querendo apenas aventura. São especialmente latino-americanos que querem participar deste momento, mas que não comem em restaurantes caros, não fazem questão de conforto e um banheiro decente para tomar banho “, diz.

 

 

Restaurantes, lojas, casas noturnas e até mesmo os hotéis tiveram movimento abaixo do esperado até mesmo na comparação com junho dos anos anteriores. Os gringos da Copa não estavam interessados na tal cerveja artesanal que faz a cabeça da classe média paulistana, ou no novo bistrô que acaba de abrir na Dias Ferreira, coração do Leblon, no Rio de Janeiro. Passeios com motoristas particulares em carros blindados para escapar de assaltos? Nem pensar. Transporte público foi a pedida. As festas badaladas da noite de São Paulo, em dias de jogos do Brasil, tinham o público de sempre: paulistano. Os gringos queriam beber cerveja vendida por ambulantes na Vila Madalena, sem cogitar pagar a consumação que os bares do bairro exigiam durante as partidas. Outros optavam pelas festas Fan Fest promovidas pela Fifa em locais de fácil acesso popular, cerveja barata e sem qualquer sofisticação. O balanço da Copa para os gringos foi positivo: amaram o Brasil (e as brasileiras). Mas as empresas, por sua vez, já começam a divulgar números mais desanimadores que o 7 a 1 de terça-feira.

 

 

O mico do setor hoteleiro é uma das maiores surpresas. Das doze cidades-sede da Copa, apenas Salvador, Porto Alegre, Cuiabá e Fortaleza tiveram aumento da taxa de ocupação na Copa em comparação à média do mesmo período do ano passado. Já Belo Horizonte, São Paulo e Recife tiveram queda ante 2013. Não só os turistas da Copa preferiram hostels, hospedarias ou casas de amigos, como os eventos corporativos que ajudavam a trazer estrangeiros ao país foram pausados durante os meses do Mundial. “O mercado corporativo antecipou-se e, no caso de São Paulo, os eventos ficaram concentrados no primeiro trimestre”, disse Fermi. A distribuição das partidas entre as cidades-sede também pautou a demanda por hotéis. “Curitiba, por exemplo, recebeu apenas a Espanha entre os times grandes. E espanhóis não lotam estádios. Mexicanos, argentinos, uruguaios e americanos, sim.”

Enquanto os turistas brasileiros reservam com meses de antecedência mesas em restaurantes estrelados quando vão a ao exterior, nem que seja apenas para postar a foto no Instagram, os gringos da Copa deixaram o Dom, de Alex Atala, às traças — e não se intimidaram com o status, digamos, espartano, dos restaurantes populares oferecidos pela prefeitura. “Os restaurantes simples e desconhecidos tiveram um fluxo maior. Não faz parte da cultura do turista estrangeiro gastar muito em viagens internacionais”, diz, em tom de resignação, o empresário Percival Maricato, presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-SP). Exemplo disso é a discrepância entre os gastos de brasileiros em viagens internacionais e turistas estrangeiros no Brasil — 25,34 bilhões de dólares contra  6,71 bilhões de dólares em 2013. 

 

 

Os taxistas tampouco pouparam reclamações. Acostumados a levar turistas durante o ano, afirmaram que a Copa foi uma grande frustração. “O problema é que a prefeitura deu preferência ao transporte público. Ônibus e vans foram colocados para levar os turistas ao jogos. E comportam um número maior de pessoas do que o táxi”, explica o presidente do Sindicato dos Taxista Autônomos do Município do Rio de Janeiro, Luiz Antônio Barbosa da Silva. Não se pode dizer ainda que houve prejuízo, diz Silva, mas o aumento no número de corridas foi insignificante. Em São Paulo, que conta com uma rede maior de transporte metroviário, não foi diferente. “A Secretaria de Transportes estava muito preocupada com o movimento. Mas foi, na verdade, um fracasso total. Os taxistas não faturaram nem a metade do que eles imaginavam”, desabafa Natalício Bezerra, presidente do Sindicato dos Taxistas Autônomos de São Paulo. 

 

 

Entre as empresas aéreas, apenas a Avianca arriscou fazer um balanço do evento antes da final, neste domingo. Segundo o presidente em empresa, José Efromovich, houve redução de cerca de 15% na demanda, na comparação com o mesmo período do ano passado. “Em 20 ou 30 dias, devemos ter um número mais definido”, disse. A Gol deve divulgar um balanço no início da próxima semana. 

 

 

 

 

Nem os brasileiros — O cenário poderia ter sido menos frustrante se os turistas brasileiros, gastadores inveterados, tivessem decidido viajar no período de férias escolares. Contudo, o medo do caos nas estradas e aeroportos coibiu os passeios. “O jargão ‘imagina na Copa’ foi muito forte e os brasileiros evitaram aeroportos e hotéis com medo do que pudesse acontecer”, diz Marco Ferraz, presidente da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa). O público local também ficou acanhado em ir às compras. Com os inúmeros feriados durante o Mundial, as vendas recuaram não apenas nas cidades-sede, como em todo o país. “Em dias de jogos do Brasil, as vendas caem entre 30% a 35%. É como se fosse um feriado, mas sem o fator agregador de vendas. A atenção dos consumidores se volta para o evento e a demanda fica reprimida”, afirma Luís Augusto Ildefonso, diretor de relações institucionais da Alshop, a associação que representa os lojistas de shoppings. A expectativa dos lojistas é que, para curar a alma da frustração da derrota, os brasileiros apelem para a terapia dos gastos. 

 

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sem categoria

Mutação da Covid-19 fecha fronteiras e acende novo alerta às vésperas do Natal

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Divulgação/Getty Imagens)

O alerta veio do Reino Unido, que classificou como “fora de controle” uma variação do novo coronavírus, em uma cepa que indica ser muito mais contagiosa do que a que se disseminava até então no país.

O sinal amarelo provocou uma reação em cadeia, com diversos países anunciando restrições a viajantes oriundos do Reino Unido e de outras nações onde há indicativos ou casos confirmados dessa mutação da Covid-19.

Em solo britânico, o primeiro-ministro Boris Johnson fez um recuo brusco na reabertura do país e anunciou uma série de novas restrições, a fim de conter a disseminação do novo coronavírus.

O primeiro-ministro vinha indicando que iria no sentido contrário, flexibilizando as orientações com a proximidade das festas de final de ano. “Isso agora está se espalhando muito rápido”, alertou Johnson. “É com o coração muito pesado que digo que não podemos continuar com o Natal como planejado.”

Como quase tudo que diz respeito à pandemia, as decisões políticas estão tendo de ser tomadas com o carro andando, quando ainda não se sabe tudo a respeito dos desafios pela frente. Até agora, o panorama é de uma contaminação mais rápida, mas não mais mortal ou imune a uma vacina.

“Existe alguma evidência de que esta cepa pode ser mais infecciosa. Não há evidência de que seja mais mortal e não há evidência de que será mais resistente a uma vacina”, resumiu, em entrevista à analista da CNN Abby Philip, o médico Ashish Jha, da Escola de Saúde Pública da Universidade de Brown.

Origem e disseminação
Em entrevista à rede britânica BBC nesse domingo (20), a líder técnica da Organização Mundial da Saúde (OMS), Maria Van Kerkhove, afirmou que os dados atuais indicam que a nova variante surgiu na Inglaterra, entre o sudeste do país e a capital, Londres.

Maria afirmou que casos de Covid-19 causados pela cepa mais contagiosa foram verificados na Dinamarca, na Holanda e na Austrália. No final do domingo, ao menos um caso já havia sido registrado também na Itália.

O final de semana se encerrou com crescentes anúncios de países impondo restrições de viagem a passageiros oriundos do Reino Unido.

A Holanda adotou uma das restrições mais longas, decidindo que voos oriundos do Reino Unido estarão impedidos de pousar no país até o final de 2020. O governo holandês afirmou que a cepa foi identificada em um paciente, diagnosticado no início de dezembro, e que está investigando se há outros casos.

Continuar Lendo

Sem categoria

Suspeitos de matar adolescente de 13 anos por causa de R$ 10,00 são presos em Caruaru

Os dois suspeitos foram levados para Delegacia de Polícia Civil de Bezerros onde prestam depoimento.

Redação PortalPE10

Publicado

Menina de 13 anos foi encontrada com ferimento no pescoço em Encruzilhada de São João.

Os suspeitos de matar uma adolescente de 13 anos em Encruzilhada de São João, em Bezerros, no Agreste de Pernambuco, foram presos nesta sexta-feira (18), em Caruaru. Segundo a Polícia Civil, um dos homens assumiu que teria matado a menina por causa de R$ 10.

Ainda de acordo com a polícia, a vítima, que tinha envolvimento com droga, comprou maconha ao suspeito. A polícia está investigando se o outro homem teve participação no crime.

Os dois suspeitos foram levados para Delegacia de Polícia Civil de Bezerros onde prestam depoimento.

Continuar Lendo

Mata Sul

Em São Benedito do Sul, Paulo Câmara entrega restauração da APE-48 e anuncia obra de abastecimento de água

Governador inaugurou o novo acesso, totalmente requalificado, e anunciou obra hídrica que vai eliminar o rodízio de abastecimento no município.

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Douglas Fagner/SEI)

SÃO BENEDITO DO SUL – O governador Paulo Câmara esteve, na manhã desta quinta-feira (17.12), neste município da Mata Sul de Pernambuco, onde inaugurou a total restauração da APE-48, com o novo acesso à cidade, e anunciou o projeto de construção da barragem de nível no Riacho Bom Destino, além de uma estação elevatória de água bruta. A ação na rodovia, que contempla um trecho de 3 km de extensão, faz parte do programa Caminhos de Pernambuco, e teve um investimento de cerca de R$ 1 milhão.

“Estamos inaugurando o novo acesso da APE-48. São três quilômetros totalmente recuperados, um pleito da prefeitura. Agora, a gente vai iniciar uma nova etapa de uma obra que também é fundamental, que vai acabar com qualquer tipo de rodízio no abastecimento de água aqui em São Benedito do Sul. Vai haver a licitação e a gente quer, no máximo em março, iniciar a obra, para que no segundo semestre São Benedito já esteja totalmente livre de rodízio. É mais uma obra importante que vai se juntar a tantas outras que temos feito em parceria com o município”, afirmou Paulo Câmara.

Foram realizados na rodovia serviços de limpeza dos dispositivos de drenagem e recapeamento da pista, além da sinalização vertical e horizontal, incluindo tachas luminosas para garantir a segurança na trafegabilidade no período noturno. As obras foram executadas de setembro a novembro deste ano.

A secretária de Infraestrutura e Recursos Hídricos, Fernandha Batista, destacou o potencial turístico de São Benedito do Sul e afirmou que novo acesso totalmente requalificado vai melhorar ainda mais essa vocação. “Esse investimento de R$ 1 milhão, em que três quilômetros foram totalmente reconstruídos, além da sinalização feita, vai melhorar a vida dos moradores e de quem passa por aqui. O governador também autorizou novos investimentos para retirar o município do rodízio de abastecimento de água. Essa obra vai ser iniciada no primeiro semestre de 2021 e vai ser concluída no segundo semestre”, ressaltou.

O caminhoneiro Alexandro Campos da Silva, de 45 anos, faz o trajeto pela via todos os dias. Para ele, depois da restauração, a estrada ficou bem melhor. “Agora melhorou nosso tempo de viagem, porque tem menos buraco para desviar. Além disso, também melhorou a iluminação e sinalização, então temos mais segurança no caminho”, avaliou.

MAIS ÁGUA – O projeto de construção da barragem de nível no Riacho Bom Destino, anunciado pelo governador, inclui ainda uma estação elevatória de água bruta, com vazão de 19 litros por segundo, a reforma da Estação de Tratamento de Água (ETA) e a instalação de um macromedidor para controle da vazão de água na ETA. Na prática, será possível eliminar totalmente o rodízio da cidade e as pessoas vão receber água todos os dias, 24 horas por dia. A obra, que terá um investimento de R$ 315 mil, beneficiará cerca de 14 mil habitantes.

O diretor Regional do Interior da Compesa, Mário Heitor, explicou que a captação que era feita no riacho Água Fria sofria um problema de intermitência ao longo do ano. “O rio secava e a gente parava o abastecimento da cidade, que hoje fica 24 horas sem água. Com essa captação agora, no riacho Bom Destino, a gente vai conseguir ter uma continuidade no abastecimento da cidade e beneficiará toda a população de São Benedito do Sul”, disse o gestor, complementando que a obra terá duração de quatro meses, após a licitação.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.