Nos siga nas redes sociais

Brasil

Indiciado por 31 estupros é condenado a 9 anos de prisão por um dos casos

Crime julgado aconteceu em 2016, em Aparecida de Goiânia. Réu foi indiciado por outros 31 casos.

Marcelo Passos

Publicado

 

Considerado o maior estuprador em série de Goiás, Wellington Ribeiro da Silva foi condenado a 9 anos de prisão por um estupro que aconteceu em 2016 em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Ele foi indiciado por outros 31 estupros e está preso na Penitenciária Odenir Guimarães (POG). Cabe recurso da decisão.

A audiência aconteceu na quinta-feira (24) por videoconferência. Portanto, o condenado participou do julgamento em conexão de dentro da própria POG.

A Defensoria Pública informou, por meio de nota, que “atua na defesa do sr. Welinton Ribeiro da Silva, em processo sigiloso, sobre o qual não faremos comentário, respeitando-se o art. 234-B do Código Penal”.

Há cerca de um ano ele chegou a admitir que cometia os crimes sempre usando o capacete de moto.

Segundo a denúncia do crime que foi julgado, a vítima é uma mulher que estava saindo de uma escola na Vila Romana, em Aparecida de Goiânia, quando foi abordada pelo autor do crime.

De acordo com o Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), o criminoso estava sentado em sua moto usando o aparelho celular quando viu a vítima passar, sacou a arma e apontou para a cabeça dela anunciando um assalto.

Os relatos da ocorrência informam que o autor abordou a vítima pelas costas e a ameaçou de morte caso ela se virasse. Consta ainda que o homem pediu celular e aliança da mulher, mas ela não possuiu nenhum dos dois.

Segundo a denúncia, o autor forçou a vítima a entrar em lote baldio na região, onde cometeu o estupro.

Histórico dos Crimes
Os primeiros estupros foram registrados em 2008. Segundo a polícia, em 2011, Wellington chegou a ser preso depois de violentar uma mulher e a filha dela, recém-nascida, que tinha apenas cinco meses de vida.

Na época, ele foi levado para o Mato Grosso porque lá respondia por outros crimes como assaltos e assassinatos. Havia uma condenação de 57 anos de prisão pela morte de uma mulher e os dois filhos. Mas, em 2013, ele conseguiu fugir da prisão e voltou a Goiás.

Para não ser pego novamente, o estuprador, segundo a polícia, estrategicamente não tinha conta em banco, não usava redes sociais nem smartphones e ainda roubava identidades de pessoas que se pareciam com ele para usar os documentos e despistar a polícia.

Para os investigadores, ele se trata de um dos maiores maníacos do estado e sabia o que estava fazendo. “É um homem de altíssima periculosidade, de uma frieza que nos chama muito a atenção. Um cara perverso, que tenta se passar por alguém que tem problemas psiquiátricos. Nós requisitamos o laudo psicológico, e a Polícia Civil pode afirmar, por meio deste exame, que ele tem plena capacidade de responder por seus atos”, afirmou a delegada Ana Paula Machado à época que cuidou do caso.

Brasil

Anvisa aprova uso emergencial de vacina de Oxford e da Coronavac

Ainda faltam os votos de outros dois diretores. A reunião que segue em andamento.

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Reprodução)

O diretor da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) Alex Machado Campos, terceiro a votar na análise de liberação de uso emergencial das vacinas de Oxford/AstraZeneca e da Coronavac neste domingo (17), deu parecer favorável à utilização emergencial dos imunizantes no país. Com a decisão, as vacinas poderão ser aplicadas na população brasileira.

Para a liberação do uso emergencial dos imunizantes eram necessários três votos dos cinco possíveis na diretoria da Anvisa. Antes, Romison Rodrigues Mota e Meiruze Freitas, relatora da solicitação, já haviam dado o parecer favorável; mais dois diretores apresentarão suas análises.

A diretora da Anvisa Meiruze Freitas, relatora dos pedidos de uso emergencial das vacinas, foi a primeira a votar neste domingo, e deu parecer favorável à aprovação do uso emergencial temporário dos imunizantes.

“Ressalvadas algumas incertezas pelo estágio das vacinas em desenvolvimento, os benefícios das duas candidatas superam os riscos e ambas atendem os critérios de eficácia e segurança”

Meiruze Freitas, diretora da Anvisa e relatora da análise dos pedidos. Ainda faltam os votos de outros dois diretores. A reunião que segue em andamento.

Os votos seguiram as recomendações de três áreas técnicas da Anvisa: a Gerência-Geral de Medicamentos, a Coordenação de Inspeção e Fiscalização de Insumos Farmacêuticos e a Gerência-Geral de Monitoramento de Produtos Sujeitos à Vigilância Sanitária.

Em suas recomendações, as áreas técnicas afirmam que aprovaram o uso, mas que será preciso acompanhar a evolução das duas vacinas.

Análise da eficácia das vacinas

O gerente-geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Gustavo Mendes, disse que, apesar da falta de dados sobre as vacinas, o uso das mesmas teria benefícios pelo estágio da pandemia no Brasil e ausência de uma alternativa terapêutica contra a Covid-19.

A área técnica do órgão regulador recomendou neste domingo a aprovação do uso emergencial das duas vacinas. Nos dois casos, a recomendação foi para aprovação com monitoramento das “incertezas e reavaliação periódica” dos dados o imunizante.

A eficácia geral da vacina de Oxford/AstraZeneca é de 70,42%, calculou a agência. O dado considera mais de uma forma de aplicação e intervalo entre doses. No Brasil, com duas doses, a eficácia ficou em 62%. No caso da Coronavac, a eficácia calculada é de 50,39%.

Mendes apontou ainda uma série de lacunas de dados para comprovar que o produto importado da Índia é equivalente ao que a AstraZeneca pretende, no futuro, registrar no Brasil. “Pode constituir produtos diferentes, ainda que possuam categorias similares”, disse.

Mendes afirmou também que há dúvidas sobre a eficácia dos imunizantes na população acima de 65 anos e sobre resultados do uso de doses mais baixas ou da aplicação de apenas uma dose.

Mendes ainda afirmou que os dados não permitem conclusões sobre a eficácia na forma mais grave da doenças. “Existe tendência favorável à proteção, mas precisamos acompanhar mais de perto.”

*Com informações do Estadão Conteúdo

Continuar Lendo

Brasil

Técnicos da Anvisa recomendam aprovar o uso da CoronaVac

Redação PortalPE10

Publicado

Diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, e diretores Meiruze Freitas e Alex Machado Campos em reunião extraordinária da Diretoria Colegiada da Anvisa de 17/1/2021, para discutir liberação de uso emergencial de vacinas contra a Covid-19 - Divulgação/Anvisa

Diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, e diretores Meiruze Freitas e Alex Machado Campos em reunião extraordinária da Diretoria Colegiada da Anvisa de 17/1/2021, para discutir liberação de uso emergencial de vacinas contra a Covid-19 – Divulgação/Anvisa

Após análise de dados enviados pelo Butantan, a área técnica da gerência-geral de medicamentos da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recomendou a aprovação da Coronavac, vacina desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac em parceria com o instituto paulista.

Agora, essa recomendação deve ser analisada pela diretoria da agência, que decidirá sobre a liberação ou não do uso emergencial. A votação ocorrerá nas próximas horas.

O Butantan pede aval para uso de 6 milhões de doses da vacina importada da China.

O parecer pela aprovação ocorre “tendo em vista o cenário da pandemia, o aumento do número de casos da Covid e a ausência de alternativas terapêuticas”, disse o gerente-geral de medicamentos, Gustavo Mendes.

A medida, diz, é condicionada ao monitoramento e ao acompanhamento próximo de incertezas apontadas, como esclarecimentos que ainda precisam ser enviados pelo instituto sobre dados de aplicação de uma segunda dose e eficácia, por exemplo.

A recomendação também é sujeita à reavaliação periódica, diz. “Se não olharmos com muito cuidado e de maneira muito próxima como vai ser o desempenho dessa vacina ao longo do tempo, temos o risco de não conhecermos a eficácia real com dados robustos”, ponderou.*

A agência agendou para 25 de janeiro uma inspeção de boas práticas clínicas para checagem de dados junto ao Butantan. “O objetivo dos especialistas é ir a fundo em todos os documentos.”

Continuar Lendo

Brasil

Leão do Parque de Dois Irmãos morre por complicações do câncer

Redação PortalPE10

Publicado

O leão do Parque de Dois Irmãos – uma das principais atrações do equipamento e carinhosamente chamado de Léo pela equipe técnica do zoológico – morreu na manhã deste sábado (16), em virtude das complicações de uma neoplasia (presença de células cancerígenas) na região da mandíbula, além de um comprometimento das funções hepáticas. Desde o diagnóstico, o felino considerado idoso para a sua espécie vinha sendo cuidado por uma junta de especialistas na área veterinária, que trabalharam incansavelmente para reverter a taxa de crescimento do tumor e melhorar a sua função renal.

Márcio Silva, médico veterinário e gerente técnico científico de fauna do zoológico, falou: “A junta de especialistas que cuidava de Léo, entre oncologista, cirurgiões, anestesistas, tratadores, além de doutores com experiência em terapias alternativas para animais silvestres, fez um tratamento muito cuidadoso para melhorar as condições de saúde do animal, tendo como principal objetivo garantir o seu bem-estar. Infelizmente, como havíamos comunicado anteriormente, este tipo de neoplasia é a maior causa de morte entre os felinos abrigados sob os cuidados humanos, e não conseguimos reverter o seu quadro, apesar de todo empenho da equipe técnica envolvida.”

Léo havia completado 21 anos no dia 30 de dezembro do ano passado. Na data, os técnicos do Parque, equipamento ligado à Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco (Semas-PE), prepararam um presente especial para ele: picolé de sangue e uma caixa de presente com carne. Desde quando foram notados os primeiros sinais da existência de um problema e a realização de exames, o Parque de Dois Irmãos intensificou a rotina de acompanhamento de Léo, com visitas e avaliações diárias de veterinários e biólogos, inclusive com câmeras noturnas. Tudo foi registrado em um prontuário próprio para ele para acompanhamento da junta veterinária.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.