Nos siga nas redes sociais

Cotidiano

Médicos são presos por retirar órgãos de menino ainda vivo

Dois dos três acusados de remover órgãos do menino Pavesi estão presos. Exame de arteriografia mostra atividade cerebral

Avatar

Publicado

O juiz Narciso Alvarenga Monteiro de Castro concedeu uma entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (7) no Fórum de Poços de Caldas (MG) para falar sobre as prisões dos médicos envolvidos no caso que ficou conhecido como a “Máfia dos Órgãos”. Durante a entrevista, o juiz afirmou estar certo do envolvimento dos profissionais com a retirada dos órgãos do menino Paulo Pavesi, morto aos 10 anos no ano 2000.

“Eles sabiam que a criança estava viva. Eles retiraram os órgãos do garoto enquanto ele ainda estava vivo. A tese apresentada pela defesa não me convenceu. Eles tinham plena consciência da ilicitude do ato. O único exame de arteriografia feito no Hospital Pedro Sanches e apresentado por eles à Justiça mostra, claramente, que havia circulação de sangue no cérebro do garoto o que comprova que ele não tinha tido morte encefálica”, enfatizou o juiz.

O pai do menino Paulo Pavesi, que vive asilado na Europa, disse que já esperava pela condenação dos médicos.

“Eles sabiam que o Paulinho estava vivo quando retiraram os órgãos. Eles tinham todo o conhecimento da ilegalidade que estava sendo praticada e continuaram fazendo o que fizeram. Eu honestamente não estou sendo informado sobre nada, não sei do que está acontecendo e muito menos qual será o próximo passo. Eu hoje tenho certa maturidade para saber que é mais uma etapa porque tem muito ainda pela frente. Isso pode levar mais uns três anos. Honestamente, eu acho que não é a conclusão”, disse Paulo Airton Pavesi pela internet.

As prisões

Os médicos Cláudio Rogério Carneiro Fernandes e Celso Roberto Frasson Scaffi estão presos no Presídio de Poços de Caldas em uma cela especial, isolada dos demais detentos. Eles foram detidos pela Polícia Militar na noite de quinta-feira (6), nas respectivas casas. O médico Sérgio Poli Gaspar não foi encontrado e é considerado foragido.

Por telefone, o advogado dos médicos, José Arthur Di Spirito Kalil, disse que não teve acesso a nenhum documento referente às prisões e não soube dizer o motivo dos mandados. Ele informou também que vai recorrer da decisão e fazer os pedidos de habeas corpus.

 

 

As condenações

O urologista Celso Scafi foi preso nesta quinta-feira (6).  (Foto: Marcelo Rodrigues/ EPTV)

Na sentença de mais de 150 páginas, o juiz condenou Cláudio Fernandes a 17 anos de prisão. O texto informa que durante o atendimento ao menino Paulinho, o médico removeu os órgãos da vítima com consciência de que ela estava viva e não examinou o protocolo de morte encefálica. A sentença informa ainda que o médico confessou à Justiça ter grande renda com os transplantes e que sabia das atividades ilícitas da Ong MG Sul Transplantes, que atuava na cidade na época.

Já o urologista Celso Scaffi foi condenado a 18 anos de prisão. De acordo com o juiz, o médico removeu órgãos em desacordo com a disposição legal, levando a vítima à morte, além de escrever que a criança não estava em morte encefálica, já que não houve o exame de arteriografia na Santa Casa. “Ele tentou ainda fraudar provas e inseriu dados falsos no prontuário médico”, declarou.

Médico Cláudio Rogério Carneiro Fernandes foi detido pela PM (Foto: Marcelo Rodrigues/ EPTV)O médico Sérgio Poli Gaspar, condenado a 14 anos de prisão, é o único que ainda não foi encontrado e já é considerado foragido, pois tinha até esta sexta-feira para apresentar-se à Justiça. Na sentença, o juiz afirma que o médico ajudou a remover as córneas e rins da criança e que tinha plena condição de entender o caráter ilícito da conduta. “Ele não procurou saber se o protocolo de morte encefálica havia sido feito corretamente”, completou.

Além da condenação, o juiz decretou que os três médicos percam os cargos públicos e que sejam afastados do atendimento pelo SUS.

 

 

Juiz pede que deputado estadual e Santa Casa sejam investigados

Ao final da sentença, o juiz pediu à presidência do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) para que providencie junto à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) autorização para investigação do envolvimento do deputado Carlos Mosconi com o caso. Na época dos acontecimentos, Mosconi era presidente do MG Sul Transplantes. “Eu tenho indícios fortes para investigá-lo como o idealizador da Máfia dos Órgãos, já que ele foi o idealizador da MG Sul Transplantes”, comentou.

O deputado Carlos Mosconi emitiu uma nota manuscrita com a opinião sobre o caso, onde afirmou que não tem nenhum envolvimento nos procedimentos de transplantes ora julgados e que quando tais fatos ocorreram, não se encontrava no exercício da medicina há tempos.

“As diversas auditorias feitas pelo Ministério da Saúde, pelo Ministério Público e pela Polícia Federal não citam meu nome em nenhum momento. Minha ligação com o caso se deve ao fato da defesa que faço dos médicos por acreditar em sua inocência e por testemunhar a seu favor. Afirmo que estou à disposição da Justiça para quaisquer esclarecimentos que se fizerem necessários”, disse. Em uma rede social, Mosconi também reafirmou a crença na inocência dos médicos.

Ainda na sentença, o juiz pede que a Receita Federal e Estadual sejam notificadas para que providenciem apuração sobre recolhimentos tributários no âmbito da Irmandade da Santa Casa de Poços, bem como suspeitas de lavagem de dinheiro.

Entenda o Caso Pavesi

Paulinho Pavesi morreu aos 10 anos após cair, passar por cirurgia e ter os órgãos removidos (Foto: Paulo Pavesi/ Arquivo Pessoal)

As investigações do ‘Caso Pavesi’ já duram quase 14 anos. Em 2002, quatro médicos, José Luis Gomes da Silva; José Luis Bonfitto; Marco Alexandre Pacheco da Fonseca e Álvaro Ianhez; foram denunciados pelo Ministério Público por homicídio qualificado. Na denúncia consta que cada um cometeu atos encadeados que causaram a morte do menino. Entre eles, a admissão em hospital inadequado, a demora no atendimento neurocirúrgico, a realização de uma cirurgia feita por um profissional sem habilitação legal que resultou em erro médico e a inexistência de um tratamento efetivo e eficaz. A denúncia aponta também fraude no exame que determinou a morte encefálica do menino.

A investigação deu origem a outros sete inquéritos e a Santa Casa de Misericórdia de Poços de Caldas perdeu o credenciamento para realizar os transplantes em 2002. O caso foi tema de discussões também no Congresso Nacional em 2004, durante a CPI que investigou o tráfico de órgãos. Os médicos foram acusados de homicídio doloso qualificado pelo Ministério Público Federal.

Em janeiro deste ano, o pai do menino, Paulo Airton Pavesi, que vive na Europa, publicou o livro “Tráfico de Órgãos no Brasil – O que a máfia não quer que você saiba”. Com diferentes passagens que relatam a despedida do garoto, a exumação do corpo e a luta para provar que o menino foi vítima da chama ‘Máfia dos Órgãos’, Pavesi enfatiza que a história toda foi censurada e por isso, optou por lançar o livro de maneira independente e distribuir livremente pela internet.

Associação dos Médicos defende profissionais
Durante a tarde desta sexta-feira (7), o presidente da Associação Médica de Poços de Caldas, Paulo Negrão e a diretora clínica da Santa Casa, Francisca Barreiro, realizaram uma coletiva à imprensa, para expressar o pesar sobre a prisão dos profissionais.

“Lamentamos muito o caso e as prisões, já que são médicos que atenderam pelo SUS a vida toda e prestaram um grande serviço à saúde da cidade. Prestamos aqui o nosso acolhimento aos colegas e aos familiares. São os profissionais de caráter inquestionável”, disse a diretora clínica da Santa Casa.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cotidiano

Karol Conká e Carla Diaz confirmadas no BBB 21; confira mais nomes

Público começa a conhecer os novos moradores da casa durante a programação da TV Globo.

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Divulgação/Globo)

A lista de participantes do BBB21 está sendo divulgada nesta terça-feira (19). A cada intervalo Vale a Pena Ver de Novo, quatro novos brothers e sisters da Pipoca e do Camarote já foram revelados. A primeira dupla a ter os nomes divulgados foram Arthur Piccoli da pipoca e a cantora Karol Conká, em seguida a atriz Carla Diaz e o fazendeiro Caio.

Dona de um discurso forte sobre empoderamento feminino e contra o preconceito, a cantora Karol Conká começou a cantar aos 16 anos numa festa de rap e usa de sua arte e visibilidade para falar sobre a diversidade.

(Foto: Divulgação/Globo)

Já o instrutor de crossfit Arthur é um competidor nato. Ex-jogador de futebol, o capixaba de 26 anos conta que não gosta de perder nem no videogame, muito menos em um jogo valendo R$ 1,5 milhão. Em 2016, a beleza do capixaba chamou tanto a atenção que ele foi convidado a participar do concurso Mister Espírito Santo e conquistou o título

(Foto: Divulgação/Globo)

A atriz Carla Diaz, 30 anos, começou a carreira artística aos 2 anos de idade na publicidade, é sucesso desde criança e já fez mais de 300 comerciais, está no ar na reapresentação de “A Força do Querer” e aparecia como forte candidata nas listas de participantes.

(Foto: Divulgação/Globo)

O Fazendeiro Caio tem 32 anos e é pai de duas meninas, Alice, de 6 anos, e Manuella, de 10 meses. Fã do programa, ele já se inscreveu duas vezes e acompanhou várias edições.

(Foto: Divulgação/Globo)

Camilla de Lucas, influenciadora digital de 26 anos, tem mais de 7 milhões de seguidores ao todo em suas quatro redes sociais e já se inscreveu duas vezes no reality. Mas como o mundo dá voltas, esse ano ela celebra o convite para estar no Grupo Camarote.

(Foto: Divulgação/Globo)

João Luiz é professor de geografia e tem 21 anos e dá aulas para alunos de 14 a 17 anos em uma escola do Estado. Filho de mãe branca e pai negro, já sofreu muito preconceito e entrar no BBB é a realização de um projeto de vida para ele.

*Com informações Folha de Pernambuco.

Continuar Lendo

Cotidiano

Governo de Pernambuco inicia vacinação no Hospital de Referência à Covid-19 Unidade Boa Viagem

Cerca de 1,3 mil profissionais de saúde que atuam na instituição serão imunizados. Categoria tem prioridade absoluta no cronograma de vacinação.

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Aluísio Moreira/SEI)

Unidade com maior número de leitos exclusivos para casos do novo coronavírus, o Hospital de Referência à Covid-19 Unidade Boa Viagem (antigo Hospital Alfa) começou, nesta terça-feira (19.01), a vacinar seus profissionais. O Hospital conta atualmente com 1.309 funcionários, sendo 1.225 aqueles que atuam na assistência direta nas enfermarias e UTIs. Prestigiando o ato, o governador Paulo Câmara agradeceu a todos os profissionais de saúde que estão na linha de frente na unidade desde o início da pandemia, se dedicando a salvar vidas.

“Temos ainda uma longa trajetória, mas estamos muito felizes por tudo que conseguimos avançar até este momento, onde iniciamos uma nova fase com a vacinação. Pernambuco está pronto para cumprir todas as etapas com o planejamento que já fizemos e, ao mesmo tempo, com toda determinação que temos para cuidar das pessoas como estamos fazendo desde o início dessa pandemia”, disse Paulo Câmara.

A vacina chegou ao Recife na noite da segunda-feira e a campanha foi iniciada logo em seguida. “A distribuição das vacinas está ocorrendo e, até às 14h de hoje, todas as Gerências Regionais de Saúde já terão recebido a vacina. Esse processo começou, mas não podemos descuidar em nenhum momento. Vamos usar máscara, manter o distanciamento social e a população pode ter certeza que não vamos descansar enquanto não cumprirmos as etapas do Plano Nacional de Imunização”, concluiu o governador.

Funcionando hoje com 100% de sua capacidade, o antigo Hospital Alfa tem 270 leitos ativos, sendo 150 de enfermaria e 120 de UTI. O equipamento foi requisitado administrativamente pelo Governo de Pernambuco em março e, em tempo recorde, a estrutura passou por ampla reestruturação e abriu as portas no dia 15 de abril, atuando de forma dedicada à atenção aos pacientes com a Covid-19. Pela unidade passaram, de abril até agora, 4.018 pacientes, dos quais 2.650 já tiveram alta.

O Hospital conta com equipamentos de tomografia computadorizada, raios x, ultrassonografia, ecocardiograma, eletrocardiograma, endoscopia digestiva, colonoscopia e broncoscopia. Entre os meses de abril e dezembro de 2020 foram realizados 7.171 exames de raios x, 2.209 tomografias e 257.836 exames laboratoriais.

“Pelo público prioritário deste momento, a orientação da secretaria é que ações como essa sejam desenvolvidas. Que a gente leve a vacina até os profissionais, que os municípios levem até os asilos, para que a vacinação seja feita no local. São mais de 1.200 profissionais da saúde que trabalham aqui e que serão priorizados para que a gente tenha mais segurança e eles possam continuar salvando vidas neste que é o maior Hospital de Referência para a Covid-19 no Estado”, afirmou o secretário estadual de Saúde, André Longo.

De acordo com Longo, 270.900 doses chegaram a Pernambuco e a distribuição foi pactuada com os municípios. “O Estado ficou com uma parte desses insumos para vacinar unidades como esta, que são prioridade absoluta neste primeiro momento. Então a gente pegou algumas das vacinas que viriam para o Recife para colocar em unidades como esta, que estão dentro do município, mas sob a égide do Estado”, explicou o secretário.

A primeira pessoa a ser vacinada na instituição foi a técnica de enfermagem Alexina Codeceira, de 50 anos. Muito emocionada, a profissional, que está na linha de frente desde abril de 2020, falou sobre a importância de todos se imunizarem assim que possível. “Temos que acreditar na vacina. É a chance que temos de mudar essa história. A gente que está na UTI está vendo cenas muito tristes, então, se vacinem. Não tenham medo. É o recado que eu deixo para todos. E, mesmo vacinados, continuem usando máscara, álcool em gel e não se exponham de novo”, aconselhou.

Na sequência também foram imunizados a enfermeira Cristiane Correia, o médico Manoel Alves, a auxiliar de farmácia Sandra Silva, a nutricionista Janaína Nascimento, a assistente social Valmira Melo, a fonoaudióloga Cristiane Neves, a psicóloga Maria Renata Braga e a fisioterapeuta Lidier Nogueira – todos trabalhadores da linha de frente do combate à pandemia.

Continuar Lendo

Cotidiano

Jovem que foi assassinado próximo a Sulanca em Palmares é identificado

Crime ocorreu na Avenida Coronel Pedro Paranhos, na madrugada desta terça-feira (19).

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Reprodução/Whatsapp)

A Polícia Civil de Pernambuco identificou as vítimas do homicídio e de uma tentativa de homicídio na madrugada desta terça-feira (19) no município de Palmares, na Mata Sul de Pernambuco: a vítima do óbito trata-se de José Mario Barreto de Oliveira.

De acordo com informações, o jovem estava pilotando uma motocicleta acompanhado de uma mulher, quando em determinado momento um veículo Fiat teria parado próximo e elementos armados desceram do carro foi quando começaram a efetuar vários disparos que atingiram José Mario e Jaciara Pereira da Silva.

Uma equipe do Samu foi acionada e esteve no local, porém o homem já estava sem vida, a mulher foi atingida por um disparo no braço e foi socorrida para a emergência do Hospital Regional de Palmares (HRP)

Buscas foram realizadas, mas os suspeitas de cometer o assassinato não foram localizados. O corpo de José Mario foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML). A Polícia Civil, da 18ª Delegacia de Polícia de Homicídios (DPH), está investigando o caso.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.