Nos siga nas redes sociais

Brasil

Ministro da Educação associa “homossexualismo” a “famílias desajustadas”

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse que não concorda com o “homossexualismo” e que o adolescente que muitas vezes “opta por andar no caminho” vive em 1 contexto familiar muito próximo

Lucas Passos

Publicado

© Reprodução/Facebook   O pastor Milton Ribeiro é o 4º ministro da Educação do governo Bolsonaro

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse que não concorda com o “homossexualismo” e que o adolescente que muitas vezes “opta por andar no caminho” vive em 1 contexto familiar muito próximo. “São famílias desajustadas, algumas”, disse em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, publicada nesta 5ª feira (24.set.2020).

“A biologia diz que não é normal a questão de gênero. A opção que você tem como adulto de ser um homossexual, eu respeito, não concordo (…)”, disse.

O ministro usou o termo “homossexualismo” ao tratar sobre a homossexualidade, que possui uma qualidade pejorativa devido ao sufixo “ismo“, associado a patologias, doutrinas e ideologias.

“Acho que o adolescente que muitas vezes opta por andar no caminho do homossexualismo tem um contexto familiar muito próximo, basta fazer uma pesquisa. São famílias desajustadas, algumas. Falta atenção do pai, falta atenção da mãe. Vejo menino de 12, 13 anos optando por ser gay, nunca esteve com uma mulher de fato, com um homem de fato e caminhar por aí. São questões de valores e princípios”, disse.

Na mesma entrevista, Milton Ribeiro afirmou que a volta às aulas não é 1 tema a ser decidido por ele, mas por Estados e municípios.

“Não temos o poder de determinar [a volta às aulas]. Por mim, voltava na semana passada, uma vez que já superamos alguns itens, saímos da crista da onda e temos de voltar. Mas essa volta deverá ser de acordo com os critérios de biossegurança”, disse.

“A lei é clara. Quem tem jurisdição sobre escolas é Estado e município. Não temos esse tipo de interferência. Se eu começo a falar demais, dizem que estou querendo interferir; se eu fico calado, dizem que se sentem abandonados”, afirmou.

Sobre a dificuldade de alunos brasileiros em ter acesso a internet, problema evidenciado pela pandemia de covid-19, o ministro disse que essa é uma questão que também é de responsabilidade dos Estados e municípios.

“Esse problema só foi evidenciado pela pandemia, não foi causado pela pandemia. Mas hoje, se você entrar numa escola, mesmo na pública, é um número muito pequeno que não tem o seu celular. É o Estado e o município que têm de cuidar disso aí. Nós não temos recurso para atender. Esse não é um problema do MEC, é um problema do Brasil. Não tem como, vai fazer o quê? É a iniciativa de cada 1, de cada escola. Não foi 1 problema criado por nós. A sociedade brasileira é desigual e não é agora que a gente, por meio do MEC, vai conseguir deixar todos iguais”, afirmou.

Indagado sobre o Ministério da Educação trabalhada para reduzir desigualdades, Ribeiro afirmou que “em termos” sim. “O MEC, em termos, né? Essa é uma responsabilidade de Estados e municípios, que poderiam verificar e ter as iniciativas para tentar minimizar esse tipo de problema. Alguns já fizeram. Algumas universidades federais deram até tablet”, disse.

Milton Ribeiro também admitiu que foi cobrado pelo presidente Jair Bolsonaro por ter recebido a deputada Tabata Amaral (PDT-SP) em seu gabinete. Após o encontro, a congressista postou uma foto ao lado do ministro nas redes sociais. Ele disse que não recebeu a deputada individualmente.

“Não [recebi]. Eu recebi a Comissão Externa da Câmara, que os 2 [além de Tabata, o ministro se referiu ao deputado Felipe Rigoni (PSB-ES)] integram e acompanham o trabalho do MEC”, declarou.

“Ele [Bolsonaro] queria entender porque a Tabata publicou uma foto. Eu falei ao presidente que recebi a comissão. É diferente isso. A mídia conservadora estranhou o fato de tê-los recebido, mas eu não vou mudar”, disse.

O ministro também falou sobre seu posicionamento em relação ao educador Paulo Freire.

“Tive a pachorra de ler o texto mais famoso dele, que é a “Pedagogia do Oprimido”. Eu desafio um professor e um acadêmico que venha me explicar onde ele quer chegar com as metáforas, com os valores. Ele transplanta valores do marxismo e tenta incluir dentro do ensino e da pedagogia”, afirmou.

Informações: Poder360

Brasil

Vacina chinesa é segura e começa a ser produzida este mês, diz diretor do Butantan

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, anunciou, nesta segunda-feira (19), que a vacina produzida pela empresa chinesa Sinovac deverá ter sua eficácia comprovada até o final de ano

Lucas Passos

Publicado

Foto: Koen Van Weel/AFP

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, anunciou, nesta segunda-feira (19), que a vacina produzida pela empresa chinesa Sinovac deverá ter sua eficácia comprovada até o final de ano. Segundo Covas, a imunização, cujo estudo vem sendo conduzido em parceria com o instituto, é a mais segura das que estão em desenvolvimento.

“É uma vacina muito segura, isso já é esperado pela própria tecnologia envolvida nessa vacina. Na realidade, neste momento, é a vacina que tem o perfil de segurança melhor entre todas as vacinas que estão sendo testadas”, disse o diretor do Butantan em entrevista à GloboNews.

A declaração foi dada no mesmo dia em que o governo de São Paulo, responsável pelo Instituto Butantan, divulgou  os resultados da segurança da vacina com base nos testes clínicos feitos em 9 mil voluntários no Brasil.

“As manifestações clínicas adversas são muito leves, não tivemos nenhuma manifestação clínica que tenha exigido uma atenção médica maior. Então, é um perfil de segurança muito apropriado. Nós aguardamos o fim dessa fase de estudos, obviamente que é um estudo clínico que ainda demanda outras fases, principalmente a fase de eficácia, e que nós aguardamos aí até o fim do ano que possa ocorrer a demonstração da eficácia para que a nossa Anvisa possa registrar a nossa vacina”, disse Covas.

De acordo com diretor, os resultados dos ensaios realizados no Brasil foram similares aos da China, onde 94,7% dos mais de 50 mil voluntários que participam dos testes não apresentaram efeito adverso.

“As manifestações clínicas adversas são muito leves, não tivemos nenhuma manifestação clínica que tenha exigido uma atenção médica maior. Então, é um perfil de segurança muito apropriado. Nós aguardamos o fim dessa fase de estudos, obviamente que é um estudo clínico que ainda demanda outras fases, principalmente a fase de eficácia, e que nós aguardamos aí até o fim do ano que possa ocorrer a demonstração da eficácia para que a nossa Anvisa possa registrar a nossa vacina”, disse diretor.

Com informações da Globo News.

Continuar Lendo

Brasil

Ministra Damares Alves pede ‘cadeia imediatamente’ para Robinho

Jogador foi condenado por violência sexual contra uma mulher embriagada, mas recorre e diz ser inocente. Processo tramita na Itália, e jogador não pode ser preso no Brasil.

Marcelo Passos

Publicado


A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou nesta segunda-feira (19) que defende “cadeia imediatamente” para o jogador Robinho, condenado na Itália por violência sexual contra uma mulher embriagada.

O jogador foi condenado em primeira instância, mas recorreu e diz ser inocente. No estágio atual do processo, Robinho não pode ser preso no Brasil. Quando as possibilidades de recursos se esgotarem, se a condenação for mantida, Brasil e Itália deverão chegar a um acordo sobre o cumprimento da pena.

“Cadeia imediatamente, não tenho outra palavra para falar. Ainda cabe recurso, mas o vazamento dos áudios, gente. Querem mais o quê? Cadeia. Nenhum estuprador pode ser aplaudido. O cara quer voltar para o campo para posar como herói”, declarou.

Damares comentou o caso ao chegar ao Palácio do Planalto, nesta segunda, para uma cerimônia com o presidente Jair Bolsonaro sobre tratamentos para a Covid-19. A ministra disse acreditar que o Santos Futebol Clube agiu certo ao rescindir o contrato com Robinho, que havia acertado seu retorno ao time no último dia 10.

Continuar Lendo

Brasil

Genro ateia fogo em sogra de 82 anos para chamar atenção de esposa

Ele foi preso e autuado por tentativa de homicídio doloso, quando há intenção de matar.

Marcos Philipe Passos

Publicado

(Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)

(Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)

Para chamar atenção da esposa, um homem ateou fogo na própria sogra, uma idosa de 82 anos, neste domingo (18), em Limoeiro do Norte, no Ceará.

Ele foi preso e autuado por tentativa de homicídio doloso, quando há intenção de matar.

O caso ocorreu no Bairro Doutor José Simões. A idosa foi socorrida para uma unidade hospitalar da cidade, mas não há informações sobre seu estado de saúde.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS), o genro estava sob efeito de bebida alcoólica e confessou o crime.

O Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBMCE) foi acionado e esteve no local para apagar as chamas que atingiram parte da casa.

Um inquérito policial foi instaurado na Delegacia Regional de Russas, da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), e as circunstâncias do caso serão apuradas pela Delegacia Municipal de Limoeiro do Norte.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.