Nos siga nas redes sociais

Brasil

Organização suspende prova de concurso público da Polícia Civil que estava marcada para este domingo (21)

PortalPE10 com informações G1

Publicado

A organização do concurso público da Polícia Civil do Paraná suspendeu a realização da prova do processo, prevista para acontecer neste domingo (21). O processo seletivo prevê contratação de delegados, investigadores e papiloscopistas.

A publicação do adiamento foi feita às 5h42 deste domingo.

Conforme documento, a organização alegou que durante “a última checagem realizada na madrugada” foi constatado que não havia condições de segurança indispensáveis para a realização da prova em todos os locais de Curitiba e Região Metropolitana.

Em meio à pandemia do novo coronavírus, ainda de acordo com o texto, tais condições poderiam “colocar em risco a integridade das avaliações e o tratamento isonômico dos candidatos”.

Confira a íntegra do comunicado
Segundo a organização, a prova aconteceria em 350 locais em Curitiba e 19 em outras cidades do estado.

A nova data para a realização da prova não foi divulgada.

Adiamento por conta da pandemia
O concurso com 400 vagas também foi adiado em junho em função da pandemia do novo coronavírus. À época, as provas estavam previstas para serem aplicadas no dia 26 de julho.

As novas datas foram marcadas após um plano de biossegurança, elaborado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), ser aprovado pela Secretaria de Estado da Saúde. Veja mais abaixo as orientações.

O que diz a Polícia Civil
Por meio de nota, a Polícia Civil afirmou que foi surpreendida pelo anúncio e que encaminhou ofício ao Núcleo de Concursos da Universidade Federal do Paraná, responsável pelo concurso, requisitando as justificativas para a suspensão.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Escalada da pandemia: Brasil bate novo recorde e acumula 10 mil mortes por Covid-19 em uma semana

Redação PortalPE10

Publicado

A patient suspected of having COVID-19 is received at the HRAN Hospital in Brasilia, Brazil, Wednesday, March 3, 2021. The number of new COVID-19 cases in Brazil is still surging, with a new record high of deaths reported on Tuesday. (AP Photo/Eraldo Peres)

O Brasil registrou 1.498 novas mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas. Com isso, neste sábado (6), o país registrou mais de 10 mil mortes pela doença em sete dias. É a primeira vez desde o início da pandemia que isso acontece.

Na última semana, o país completou ainda sete dias seguidos com novos recordes de média móvel de mortes, com o último alcançado neste sábado (6), de 1.455. O recorde anterior era de 1.423.

Dessa forma, o país completa 45 dias com média móvel acima de 1.000. O número de casos nas últimas 24 horas foi de 67.477.

Como tem ocorrido, o elevado número de mortes é acompanhado por altas taxas de contaminação. Os últimos três dias fazem parte do ranking de datas nas quais foram registrados mais casos da Covid. Na última sexta-feira (5), foram 75.337 casos, no dia 3 foram 74.376 e no dia 4 foram 74.285.

O dia 8 de janeiro, com 84.997 infecções, ainda lidera o ranking, mas nele ocorreu uma revisão de dados do Paraná que elevou artificialmente o dado geral de casos do país.

Continuar Lendo

Brasil

Major Olímpio piora da Covid e é levado para UTI

PortalPE10 com informações G1

Publicado

O senador Major Olímpio (PSL-SP), de 58 anos, foi diagnosticado com Covid-19 e está internado desde terça-feira (2) no Hospital São Camilo, em São Paulo. Segundo a assessoria do parlamentar, ele foi levado para uma unidade de tratamento intensivo (UTI) do hospital nesta sexta (5), “por conta da gravidade do quadro”.

“A assessoria do senador Major Olimpio agradece as orações pela sua recuperação e informa que o senador não está intubado. Os médicos o transferiram para a UTI por conta da gravidade do quadro, mas não houve necessidade de intubação. Vamos continuar em oração por todos que foram acometidos por essa doença”, disse o comunicado oficial do gabinete do parlamentar.

O hospital não divulgou o estado de saúde dele, seguindo orientação da família. Através das redes sociais, entretanto, o senador disse nesta quinta-feira (4) que está “evoluindo satisfatoriamente”.

“Gostaria de agradecer todos vocês pelas mensagens de carinho e orações pela minha recuperação. Segundo o médico, meu quadro está evoluindo bem apesar da gravidade e tenho fé que em breve estou de volta ao combate! Estou internado em razão da Covid-19, mas tenho fé que em breve estarei recuperado. Minha solidariedade a todos os brasileiros neste momento difícil. Juntos vamos vencer”, afirmou o senador em suas redes sociais nesta quinta (4).

Continuar Lendo

Brasil

Ministério da Saúde inclui professores no grupo prioritário da vacina contra a Covid

Informação foi divulgada nesta sexta-feira (5/3). Campanha abrangerá docentes e funcionários de escolas e universidades, públicas e privadas.

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Gustavo Moreno/Especial Metrópoles)

O Ministério da Saúde (MS) incluiu professores e funcionários de escolas públicas e privadas (do ensino básico e superior) na lista de grupos prioritários para a imunização contra a Covid-19. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (5/3), pelo Ministério da Educação (MEC).

De acordo com o MEC, a inclusão foi realizada após o ministro da Educação, Milton Ribeiro, enviar um ofício à Casa Civil solicitando a entrada dos professores na lista de grupos prioritários. Os profissionais da área aparecem no documento oficial do Plano de Vacinação Contra a Covid-19, disponível na página da Saúde.

Segundo o documento, fazem parte desse grupo “todos os professores e funcionários das escolas públicas e privadas do ensino básico (creche, pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizantes e EJA) e do ensino superior”.

Para serem vacinados, os profissionais deverão apresentar um documento que comprove vínculo ativo com a escola ou uma declaração emitida pela instituição de ensino. As informações são do Metrópoles.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sinalizou interesse em vacinar professores, após pressão de políticos e profissionais da área. Em reunião com a Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), no dia 24 de fevereiro, o titular da Saúde disse aos gestores municipais que, no mês de março, adicionaria funcionários da educação aos grupos prioritários.

Apesar do anúncio do Ministério da Educação, a Saúde informou, em nota, que professores sempre fizeram parte do grupo prioritário, mas que, no momento, não há previsão de datas para iniciar a imunização desses profissionais. Segundo a pasta, “não há ampla disponibilidade da vacina no mercado mundial”.

“Neste momento, não há ampla disponibilidade da vacina no mercado mundial, e por isso a pasta definiu a priorização da vacinação para determinados grupos, considerando a necessidade de preservação do funcionamento dos serviços de saúde; a proteção dos indivíduos com maior risco de desenvolver formas graves da doença; a proteção dos demais indivíduos vulneráveis aos maiores impactos da pandemia; além da preservação do funcionamento dos serviços essenciais”, informou.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.