Nos siga nas redes sociais

Esportes

Palmeiras reserva perde do São Caetano e é vaiado

Apontado por muitos como o elenco mais forte do país, o Palmeiras não conseguiu mostrar isso na prática

Avatar

Publicado

Apontado por muitos como o elenco mais forte do país, o Palmeiras não conseguiu mostrar isso na prática. Nesta segunda-feira, com uma equipe alternativa escalada por Roger Machado, o Verdão foi vaiado durante e após o jogo, e acabou derrotado pelo São Caetano por 1 a 0 no Palestra Itália. Chiquinho marcou o tento do Azulão.

Quando o Palmeiras tem seus titulares em campo, o nível de atuação da equipe é refletido em grande parte pelo desempenho de Felipe Melo, Lucas Lima e Dudu. Quando o trio joga um bom futebol, o Verdão vai bem. Nesta segunda-feira, nenhum destes esteve em campo e a partida palestrina foi reflexo da (má) performance de Fabiano, Juninho e companhia.

Antes de a bola rolar, o elenco palmeirense se reuniu em um círculo no centro do campo. Se o jogo desta noite não representava muito para os torcedores no Palestra Itália – com público de 22.597 pagantes, muito abaixo de sua média – valia muito para alguns atletas. Luan e Fabiano estrearam na temporada, Gustavo Scarpa e Juninho fizeram os primeiros jogos como titular, enquanto Tchê Tchê tentava retomar essa condição, e Guerra teve a primeira chance de atuar desde o início como falso 9.

As motivações eram muitas, mas só vontade não vence partidas. A equipe de Roger Machado jogou pela primeira vez no ano sem um atleta criativo no meio-campo – Scarpa atuou pela direita – e sofreu para criar oportunidades. O São Caetano, por sua vez, precisou de apenas seis minutos para explorar a falha de cobertura de Fabiano e abrir o placar com Chiquinho.

O gol visitante fez o Palmeiras se lançar ainda mais ao ataque, literalmente. Com dificuldades para infiltrar a zaga do Azulão, e sem ter a jogada de pivô com um centroavante, o Alviverde se resumiu a bolas paradas e passes longos de Tchê Tchê e Thiago Santos, que erraram a maioria das tentativas.

Defensivamente, a situação era ainda pior. Na reta final do primeiro tempo, mesmo com o São Caetano se limitando a marcar, Fernando Prass precisou deixar a área e desarmar o atacante Erminio por duas vezes.

Ao final da primeira etapa, torcida e imprensa eram unânimes: Fabiano e Juninho – vaiados – erraram quase tudo que tentaram, o time não teve criatividade e Guerra como falso 9 não funcionou. Assim, o técnico Roger Machado sacou o apagado Tchê Tchê para a entrada de Willian, que atuou como centroavante, enquanto Guerra foi para o meio.

Em sua posição original, o venezuelano conseguiu finalmente dar trabalho ao São Caetano e deixar Keno na cara do gol em duas oportunidades claras. Mesmo assim, o gol não saiu e Roger colocou Moisés em campo na vaga de Bruno Henrique, deixando a linha de quatro do meio-campo com o camisa 10, Scarpa, Keno e Guerra – que depois deu lugar a Papagaio.

Com tamanho poderio ofensivo, o Palmeiras não criou o que se esperava, mas teve chances de empatar. As finalizações erradas e até a trave, em cobrança de falta de Scarpa nos acréscimos, porém, impediram a torcida alviverde de gritar gol no Palestra Itália.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 0 X 1 SÃO CAETANO

Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo (SP)

Data: 5 de março de 2018, segunda-feira

Horário: 20h30 horas (de Brasília)

Árbitro: Vinicius Furlan

Assistentes: Herman Brumel Vani e Alberto Poletto Masseira

Público: 22.597 pessoas

Renda: R$ 1.176.356,00

Cartões amarelos: Moisés e Gustavo Scarpa (PALMEIRAS); Esley, Paes e Alex Reinaldo (SÃO CAETANO)

GOL

SÃO CAETANO: Chiquinho, aos sete minutos do primeiro tempo

PALMEIRAS: Fernando Prass; Fabiano, Luan, Juninho e Michel Bastos; Thiago Santos; Keno, Bruno Henrique (Moisés), Tchê Tchê (Willian) e Gustavo Scarpa; Guerra (Papagaio)

Técnico: Roger Machado

SÃO CAETANO: Helton Leite (Paes); Alex Reinaldo, Sandoval, Max e Bruno Recife; Vinícius Kiss, Diego Rosa e Ferreira; Erminio (Esley), Niltinho (Carlão) e Chiquinho

Técnico: Pintado

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esportes

Corpo de Maradona é enterrado em cemitério na periferia de Buenos Aires

Ídolo argentino foi enterrado no Jardim da Paz, em Bellavista, onde estão seus pais.

PortalPE10 com informações G1

Publicado

Parentes e amigos próximos carregam caixão de Diego Maradona antes de cerimônia restrita e enterro no cemitério Jardim da Paz, em Bella Vista, na Argentina, na quinta-feira (26) — Foto: Ronaldo Schemidt/AFP

O corpo do ídolo argentino Diego Maradona foi sepultado por volta das 20 horas desta quinta-feira (26) no Jardim da Paz, em Bella Vista, mesmo cemitério na periferia de Buenos Aires onde seus pais estão enterrados.

O acesso ao cemitério foi restrito a poucas pessoas pela família de Maradona. A entrada da imprensa foi proibida.

Um cortejo, acompanhado por escolta policial, levou o caixão da Casa Rosada, onde aconteceu o velório, até o cemitério, um percurso de 47 quilômetros.

Enquanto o carro fúnebre e sua escolta seguiam por uma pista exclusiva, ao lado centenas de pessoas acompanhavam o trajeto em uma caravana de motos. Pessoas também se amontoavam nas laterais ou até se arriscavam em pé nas muretas entre as pistas, além de ocupar passarelas em alguns trechos.

O enterro atrasou após seu velório ser prorrogado, para que mais pessoas tivessem tempo de se despedir do ex-jogador da seleção argentina.

Uma imensa multidão esteve na Casa Rosada, sede do governo da Argentina, e o fim oficial do velório, previsto para às 16 horas, foi adiado para às 19 horas. Mas um enorme tumulto fez com que ele fosse encerrado às 17 horas.

 

Continuar Lendo

Brasil

Um dia vamos bater bola no céu, diz Pelé sobre morte de Maradona

PortalPE10 com informações UOL

Publicado


Pelé se manifestou em publicação nas redes sociais sobre o falecimento de Maradona, ocorrido nesta quarta-feira, pouco depois da confirmação do falecimento. O Rei do Futebol declarou ter perdido um “grande amigo”, afirmando esperar que “possam jogar bola juntos no céu”.

“Que notícia triste. Eu perdi um grande amigo e o mundo perdeu uma lenda. Ainda há muito a ser dito, mas por agora, que Deus dê força para os familiares. Um dia, eu espero que possamos jogar bola juntos no céu”, escreveu Pelé, em publicação no Instagram com foto de Maradona com a taça da Copa do Mundo de 1986, vencida pela seleção argentina.

Maradona ficou internado por cerca de dez dias no início de novembro, onde se detectou uma hematoma no cérebro, do qual foi operado com êxito. Depois disso, vinha se recuperando na sua residência, em Tigre, na região metropolitana de Buenos Aires, faleceu depois de sofrer uma parada cardíaca, nesta quarta. Ele tinha 60 anos.

Maradona teve ao longo da sua vida uma relação de amor e ódio com Pelé. Nos últimos anos, no entanto, os dois selaram a paz e até trocaram afagos em público. No centro do embate entre o argentino e o Rei do Futebol esteve principalmente a disputa em quem foi o maior jogador de todos os tempos. Apesar de para a ampla maioria dos fãs do futebol de todo o mundo não haver dúvidas de que não existiu ninguém maior do que Pelé, na Argentina muitos colocam Maradona como o melhor jogador da história.

No último dia 23 de outubro, Maradona deu os parabéns a Pelé pelo seu aniversário em uma mensagem publicada nas redes sociais. Pelé retribuiu a gentileza no dia 30, quando Maradona completou 60 anos, e publicou uma foto de ambos antes da final do Copa de 1990, na Itália com a seguinte legenda: “Meu grande amigo, eu vou sempre te aplaudir. Eu vou sempre torcer por você. Que a sua jornada seja longa e que você continue sempre sorrindo, e me fazendo sorrir também!”

 

Continuar Lendo

Esportes

Morre aos 69 anos o jornalista Fernando Vanucci

Profissional teve passagem pela Globo e cobriu seis Copas do Mundo

PortalPE10 com informações UOL

Publicado

Morreu nesta terça-feira em São Paulo, aos 69 anos, o jornalista Fernando Vanucci. Locutor, apresentador e comentarista esportivo, Vanucci deixa quatro filhos. A causa da morte não foi divulgada. Velório e sepultamento devem ocorrer no Rio de Janeiro.

O jornalista passou mal pela manhã, socorrido pela empregada e levado ao Pronto Socorro Central de Barueri, na Grande São Paulo. No entanto, não resistiu.

Vanucci havia sofrido um infarto em 2019 e colocado um marca-passo. Desde então, tinha a saúde comprometida.

Fernando Vanucci trabalhou na Globo Minas entre 1973 e 1977. Em seguida, passou a trabalhar no Rio de Janeiro, apresentando diversos programas, como Globo Esporte, RJTV, Esporte Espetacular, Jornal Nacional, Jornal Hoje e Fantástico.

Na passagem pela Globo, Fernando Vanucci cobriu seis Copas do Mundo: 1978, 1982, 1986, 1990, 1994 e 1998. Ainda ficou marcado pela criação do bordão “Alô, você!”.

Ele também trabalhou em TV Bandeirantes, TV Record, Rede TV e Rede Brasil de Televisão.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.