Nos siga nas redes sociais

Pernambuco

Pernambuco confirma 13 novas mortes pela Covid-19, entre elas a de uma menina de 1 ano e 11 meses

Pernambuco confirma 13 novas mortes pela Covid-19, entre elas a de uma menina de 1 ano e 11 meses

Marcelo Passos

Publicado


A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) registrou, nesta sexta-feira (16/10), 654 novos casos da Covid-19. Entre os confirmados hoje, 17 (2,5%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 637 (97,5%) são leves. Agora, Pernambuco totaliza 155.520 casos confirmados da doença, sendo 26.659 graves e 128.861 leves, que estão distribuídos por todos os 184 municípios pernambucanos, além do arquipélago de Fernando de Noronha.

Além disso, o boletim registra um total de 138.012 pacientes recuperados da doença. Destes, 16.993 eram pacientes graves, que necessitaram de internamento hospitalar, e 121.019 eram casos leves.

Foram confirmados laboratorialmente 13 novos óbitos (6 do sexo feminino e 7 do sexo masculino), desde 18 de maio. Do total de mortes do informe de hoje, sete (54%) ocorreram nos últimos três dias, sendo uma na quinta-feira (15/10), seis na quarta (14/10). Os outros seis registros (46%) ocorreram entre os dias 18/05 e 12/10.

As novas mortes são de pessoas residentes dos municípios de Camaragibe (2), Garanhuns (1), Jaboatão dos Guararapes (3), Passira (1), Recife (2), Santa Cruz do Capibaribe (1), São Lourenço da Mata (1), Serrita (1) e Trindade (1). Com isso, o Estado totaliza 8.469 mortes pela doença.

Os pacientes tinham idades entre 38 e 90 anos, além de uma criança (sexo feminino) de 1 ano e 11 meses. As faixas etárias são: 0 a 9 (1), 30 a 39 (1), 50 a 59 (2), 60 a 69 (3), 70 a 79 (3) e 80 ou mais (3).

Dos 13 pacientes que vieram a óbito, 9 apresentavam comorbidades confirmadas: diabetes (5), doença cardiovascular (4), doença renal (2), hipertensão (1), tabagismo (1) e doença respiratória (1),– um paciente pode ter mais de uma comorbidade. Os demais estão em investigação.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pernambuco

Juiz eleitoral proíbe uso de carro de som para acompanhamento de militantes

Prática já é vedada pela legislação eleitoral e estava sendo realizada por candidatos.

Marcos Philipe Passos

Publicado

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

O juiz da propaganda eleitoral de Caruaru, Eliziongeber Freitas, proibiu a utilização de carro de som para acompanhamento de militantes, cabos eleitorais e contratados para distribuição de material de campanha.

De acordo com o juiz, alguns candidatos estariam praticando a irregularidade, já proibida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“A resolução 23.610, que regulamenta a propaganda eleitoral, proíbe a utilização de carro de som quando desvinculado de comício, passeata ou carreata. A ocorrência desses eventos tem que ser comunicada à Polícia Militar para que ela tome as medidas necessárias com relação ao local do evento e a questão do trânsito”, explicou.

Sanção

Ainda de acordo com o juiz, alguns candidatos “estão utilizando os cabos eleitorais ou os militantes, e fazendo passeata dentro da cidade e nos bairros com carros de som nesses eventos, o que é proibido”.

A pena para quem descumprir a determinação é apreensão do carro de som. Já o candidato pode ser multado e até incluído na lei de inelegibilidade.

*Com informações NE10 Interior

Continuar Lendo

Pernambuco

Morre médica recifense que esperava transplante de medula óssea

Familiares e amigos fizeram a campanha @todos.porjulia

Marcelo Passos

Publicado


Cinco meses após ser internada Hospital Clinic Barcelona, na Espanha, a médica recifense Julia Soares Alexandre, de 36 anos, não resistiu. À espera de um transplante de medula óssea, Julia morreu nessa última quinta-feira (22). O falecimento foi comunicado no dia seguinte pela família da médica em rede social.

Casada e mãe de uma menina de 5 anos, Julia foi internada após ser diagnosticada com aplasia medular severa, uma doença rara. Campanha idealizada por amigos e familiares de Julia – @todos.porjulia – mobilizou pessoas para fazer o teste e ver a compatibilidade. O transplante de medula óssea era a única chance de Julia sobreviver e voltar à vida normal.

A aplasia medular severa é uma doença óssea que diminui a produção de todos os grupos de células sanguíneas (hemácias, plaquetas e leucócitos), levando à anemia e ao alto risco de sangramento, com necessidade de múltiplas transfusões de sangue, além de comprometer muito a imunidade, tornando o paciente ainda mais vulnerável a infecções graves por todos os tipos de agentes infecciosos (vírus, bactérias, fungos, etc).

Segundo o Hemope, no Recife, a campanha aumentou o número de pessoas que se cadastrou no banco de dados para ser doador, porém não foi encontrada a compatibilidade.

O corpo de Julia será cremado neste domingo (25), em Barcelona, às 11h30. Na página da campanha da campanha @todos.porjulia, a família agradeceu a todos:

“Pedimos a todos orações por ela, e por todos os amigos e familiares que agora ficam com sua ausência física.

Infelizmente não deu tempo para tentar o tratamento com a medula do(a) doador(a), mas certamente os esforços pra conseguir mobilizar a sociedade por algo tão nobre e necessário, vai frutificar.

Ela deu sentido, direção, força a sua existência. O momento é de luto. O sofrimento tem fim. A saudade cristaliza. A admiração é eternizada pelo legado deixado.

A todos vocês nossa eterna gratidão!

Paz no coração e luz no entendimento.”

 

Continuar Lendo

Pernambuco

Nordeste pode ter segunda onda de Covid-19 nos próximos meses, alerta comitê

A entidade reforça que o risco é causado pelo relaxamento nos cuidados, campanhas eleitorais e vinda de turistas europeus para o verão nas praias nordestinas.

Marcos Philipe Passos

Publicado

Teste de coronavírus - (Foto: Sajjad Hussain/AFP)

Teste de coronavírus – (Foto: Sajjad Hussain/AFP)

A segunda onda da pandemia de Covid-19, que já preocupa Europa e Estados Unidos, pode atingir o Nordeste nos próximos meses. É o que alerta o Comitê Científico do Consórcio Nordeste. A entidade reforça que o risco é causado pelo relaxamento nos cuidados, campanhas eleitorais e vinda de turistas europeus para o verão nas praias nordestinas.

“Há um risco real de que nos próximos meses tenhamos um fluxo de portadores do Sars-CoV-2, até de cepas diferentes das que aqui prevalecem”, alerta Miguel Nicolelis, neurocientista e um dos coordenadores do comitê. Para frear a possibilidade, o comitê alerta que sejam implantados em todos os aeroportos da região estandes sanitários com equipes de saúde munidas de folhetos informativos, equipamentos de aferição de temperatura e kits de testagem rápida de passageiros provenientes do exterior.

O comitê ressalta que turistas vindos de regiões com aumento de casos da Covid-19 e que não apresentarem atestados que comprovem a ausência de infecção devem ser colocados em quarentena de 14 dias. “Já passamos por essa situação de ver os acontecimentos primeiro na Europa e depois se reproduzindo aqui. Temos uma oportunidade, desta vez, de não deixar isso se repetir”, reforça Nicolelis.

Pico da pandemia

O boletim nº 12 do Comitê Científico mostra que a pandemia de Covid-19 já atingiu o seu pico em todos os estados da região Nordeste. A entidade usou modelos de previsão matemática para chegar à conclusão.

“Isso fez com que, em vários locais, as medidas de isolamento social fossem diminuídas além do necessário, resultando em alta probabilidade de uma possível segunda onda”, constata o ex-ministro da Ciência e Tecnologia e também coordenador do Comitê Científico do Nordeste.

O coordenador ainda frisa a “premência de se adotarem as medidas sugeridas pelo Comitê porque uma nova onda de Covid-19, obviamente, poderá trazer sérias consequências econômicas, sanitárias e sociais, complicando ainda mais o cenário delicado que já vimos enfrentando neste ano”.

Eleições

Cenas de aglomerações em comícios e atos da campanha eleitoral também preocupam o comitê. Em geral, as campanhas criam eventos “onde pessoas desprezam todas as normas sanitárias indicadas pela Organização Mundial de Saúde”, diz o boletim.

Invariavelmente, nas aglomerações o risco desse tipo de contaminação aumenta consideravelmente, gerando a expectativa de que, no período pós-eleição, possa ocorrer uma segunda onda da epidemia. Infelizmente, a maioria dos candidatos coloca sua eleição como prioridade, desconsiderando a vida de seus eleitores e as suas próprias”, criticam os cientistas.

Nas aglomerações as pessoas retiram as máscaras com muita frequência, o que potencializa o risco. “Um estudo publicado na revista Science indicou que o vírus pode permanecer no ar por algumas horas, ou seja, tirar a máscara em aglomerações é um grande risco”, alertam os cientistas.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.