Nos siga nas redes sociais

Brasil

Policia Federal prende 4 prefeitos e 1 ex-deputado em Rondônia; suspeita é de propina

Operação Reciclagem investiga crimes contra a administração pública. Prefeitos de Ji-Paraná, Cacoal, São Francisco do Guaporé e Rolim de Moura foram presos, segundo a polícia.

Marcelo Passos

Publicado

Dinheiro apreendido durante Operação Reciclagem em RO — Foto: PF/Divulgação

A Polícia Federal (PF) e o Ministério Público do Estado de Rondônia (MP-RO) iniciaram, nesta sexta-feira (25), a Operação Reciclagem para apurar crimes contra a Administração Pública.

Quatro prefeitos e um ex-deputado estadual foram alvos de mandados de prisão preventiva, segundo a polícia.

Os prefeitos presos são:

Gislaine Clemente (a Lebrinha, filha do deputado estadual Lebrão) – prefeita de São Francisco do Guaporé;
Luiz Ademir Schock (o Luizão do Trento) – prefeito de Rolim de Moura;
Marcito Aparecido Pinto – prefeito de Ji-Paraná (2ª maior cidade de Rondônia);
Glaucione Maria Rodrigues Neri – prefeita de Cacoal (5ª cidade mais populosa do estado);
O ex-deputado investigado é Daniel Neri, marido da prefeita Glaucione. Daniel também foi preso preventivamente e deve ser ouvido na sede da PF de Ji-Paraná.

Investigação começou no ano passado

Segundo a PF, a investigação começou em dezembro de 2019. A denúncia partiu de um empresário que prestava serviços às prefeituras.

Uma das prefeituras, cujo nome ainda não foi detalhado pela PF, teria condicionado o pagamento de uma dívida com um prestador de serviço ao repasse de propina. Foi esse empresário que decidiu denunciar a fraude e delatou os outros três municípios que, segundo ele, adotavam a mesma prática de corrupção.

A PF diz que imagens de câmeras provaram que os investigados recebiam milhares de reais em dinheiro.

Além dos mandados de prisão, foi determinado o afastamento das funções públicas dos envolvidos e o bloqueio de ativos que ultrapassam R$ 1,5 milhão, valor que, em tese, teria sido recebido de forma ilícita.

Brasil

Dois candidatos a prefeito, três a vice-prefeito e 15 a vereador foram vítimas do novo coronavírus em 20 municípios

Ao menos 20 candidatos na eleição municipal deste ano morreram em decorrência da Covid-19 desde 27 de setembro

Marcelo Passos

Publicado

Ao menos 20 candidatos na eleição municipal deste ano morreram em decorrência da Covid-19 desde 27 de setembro, data que marca o início da campanha eleitoral.
Dois candidatos a prefeito, três a vice-prefeito e 15 a vereador foram vítimas do novo coronavírus em 20 municípios brasileiros.

No último domingo (25), foi registrada a primeira vítima da doença dentre os candidatos majoritários nas capitais: Edileusa Lóz (MDB), candidata a vice-prefeita de Boa Vista, capital de Roraima. Ex-secretária municipal de Gestão Social, Edileusa integrava a chapa de Arthur Henrique (MDB), atual vice-prefeito que disputa a sucessão com o apoio da prefeita Teresa Surita (MDB). Natural de João Pessoa, na Paraíba, ela tinha 57 anos e vivia em Roraima havia 20 anos.

A doença progrediu de maneira rápida. Edileusa foi internada em leito de terapia intensiva no Hospital Geral de Roraima na tarde da última quinta-feira (21). O quadro se agravou e ela morreu na manhã de domingo.

A campanha de Arthur Henrique paralisou as suas atividades por 24 horas. Em mensagem em rede social, o candidato lamentou a morte da companheira de chapa na disputa pela prefeitura.

“Precisamos seguir juntos e fortes por ela, para continuar esse projeto do qual ela fazia parte com tanto orgulho e dedicação. Que Deus nos dê forças para superar a dor de sua perda e seguirmos em frente”, afirmou Arthur Henrique. O MDB analisa nomes de possíveis substitutos para o posto de vice na chapa.

De acordo com a legislação eleitoral, um partido ou coligação pode substituir um candidato que morrer durante a campanha, desde que o pedido de registro do novo nome aconteça em um prazo máximo de dez dias após a morte. Caso haja substituição, esta deverá ser amplamente divulgada.

Na cidade de Montividiu (GO), o candidato a prefeito Ademir Serafim (DEM), 62, morreu com Covid-19 no dia 18 de outubro. Ele era vereador na cidade havia quatro mandatos e disputava a prefeitura da cidade pela primeira vez.

Em Ibema (PR), o ex-prefeito e candidato à prefeitura Aramitan Antônio Fortunato (PROS), 58, morreu após ficar cerca de um mês internado em um leito de terapia intensiva no Hospital Universitário do Oeste do Paraná.

Em Canguaretama (RN), cidade de 34 mil habitantes, o candidato a vice-prefeito Dr. Edson Jovino (PRTB), 48, morreu no último dia 18 após complicações em decorrência da Covid-19. Já na cidade de Novo Gama (GO), o candidato a vice-prefeito Chico Viana (PSOL), 73, morreu vítima da doença.

No mesmo período, foram registradas as mortes de ao menos 15 candidatos a vereador com Covid-19, sendo dois deles em capitais: o Pastor Damaceno Júnior (PSD), 43, em Curitiba, e Ronaldo Miguel Bezerra (PSL), 54, que disputava uma cadeira na Câmara Municipal de João Pessoa.

Em Pau Brasil (BA), morreu o candidato Gerson Pataxó, 57. Ele era um importante líder indígena no sul da Bahia, exerceu quatro mandatos como vereador e disputava a reeleição pelo PT.

Também morreram de Covid-19 candidatos a vereador nas cidades paulistas de Santo André, Sorocaba, Penápolis e Guareí, em General Carneiro (MT), Arquimedes (RO), Sousa (PB), Carira (SE), Guamaré (RN), Santa Quitéria (CE), Nova Serrana (MG) e Mineiros (GO).

Em pelo menos quatro capitais, houve casos de candidatos a prefeito contaminados pela Covid-19 durante a campanha eleitoral, mas que ainda estão em recuperação ou já se recuperaram.

Em São Luís, onde a campanha tem sido marcada por convenções e atos com aglomerações, dois candidatos a prefeito foram contaminados. Rubens Pereira Júnior (PC do B) teve apenas sintomas leves, cumpriu quarentena e recuperou-se da doença. Já o candidato Carlos Madeira (Solidariedade) desistiu da disputa após ser acometido por uma síndrome pós-Covid.

Em Manaus, foram dois candidatos contaminados após o início da campanha: Chico Preto (DC) e Romero Reis (Novo). O candidato David Almeida (Avante) também foi infectado, mas poucos dias antes do começo da campanha. Os três estão recuperados.

Já em Fortaleza, o candidato Sarto Nogueira (PDT) foi contaminado. Ele se recuperou e retomou as atividades de campanha.

Em Goiânia, o ex-governador e candidato a prefeito Maguito Vilela (MDB), 71, foi transferido para um leito de UTI na manhã da segunda-feira (26) após ser infectado pelo novo coronavírus. Com uma inflamação nos pulmões, o quadro do emedebista é considerado estável.

 

Continuar Lendo

Brasil

Estudo revela que morcegos praticam distanciamento social quando estão doentes

Eles interagiram com quatro morcegos a menos

Marcelo Passos

Publicado

Morcegos

Uma pesquisa realizada pela Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos, mostrou que morcegos têm o costume de se distanciar uns dos outros quando estão doentes, passando menos tempo perto uns dos outros.

O distanciamento social entre os morcegos já tinha sido notado por pesquisadores em laboratório, mas agora foi comprovado em morcegos-vampiros selvagens em Belize, na América Central.

As informações foram divulgadas na revista Behavioral Ecology. Os pesquisadores monitoraram um grupo que morava em uma árvore oca. Os animais foram equipados com sensores de proximidade.

Além disto, os cientistas injetaram uma substância em 16 morcegos, para que seus sistemas imunológicos reagissem como se estivessem doentes.

Outros 15 morcegos receberam injeções de uma solução salina que não interferiram no sistema imunológico deles. Os cientistas disseram que nenhum morcego foi ferido durante o estudo.

Distanciamento
Durante o experimento, os morcegos “doentes” interagiram com quatro morcegos a menos do que os saudáveis. Os pesquisadores apontaram o costume como “distanciamento social passivo”, que seria útil para evitar que a doença se espalhe.

*Com informações da BBC

Continuar Lendo

Brasil

Guarda civil é preso suspeito de se vestir de mulher para matar o namorado da ex

Relatos da ex-namorada do guarda revelam que, dias antes do crime, o suspeito havia efetuado disparos contra a porta da casa dela, como informou a polícia.

PortalPE10 com informações G1

Publicado

Lucas Pires foi morto a tiros em Bela Vista de Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Um guarda civil de Goiânia foi preso na segunda-feira (26) em Bela Vista de Goiás, na Região Metropolitana da capital. Ele é suspeito de colocar uma peruca para se fingir de mulher e matar o namorado da ex dele.

A assessoria de imprensa da Guarda Civil Metropolitana informou que “está averiguando os fatos e vai se pronunciar quando tiver todas as informações levantadas”. O G1 não conseguiu localizar a defesa do suspeito, William Davi, até a última atualização desta reportagem.

Segundo a Polícia civil, o crime aconteceu no dia 14 deste mês. O guarda é o principal suspeito de ter matado Lucas Pires do Nascimento. A polícia também cumpriu mandado de busca e apreensão e encontrou a arma utilizada no crime.

O corpo da vítima foi encontrado ao lado de um mercado no povoado de Mata Feia, distrito de Bela Vista de Goiás. A polícia disse que havia marcas de disparos no corpo e no capacete do homem.

Relatos da ex-namorada do guarda aos investigadores revelam que, dias antes do crime, o suspeito havia efetuado disparos contra a porta da casa dela.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.