Nos siga nas redes sociais

Pernambuco

Procon PE: Escolas poderão incluir máscara de proteção como item obrigatório do fardamento escolar

Nota técnica proibiu inclusão de álcool em gel ou líquido a 70% na relação de produtos escolares pedidos por instituições.

PortalPE10 com informações G1

Publicado

Máscaras de proteção podem fazer parte da lista de material escolar obrigatório na rede privada em Pernambuco, segundo o Procon — Foto: Divulgação/Senai

Por causa da Covid-19, as escolas da rede particular em Pernambuco estão autorizadas a incluir máscaras de proteção na lista de fardamento obrigatório que pode ser cobrado pelas instituições, em 2021. A determinação faz parte de notas técnicas elaboradas pelo Procon do estado, divulgadas nesta segunda (23).

De acordo com a orientação do Procon, as máscaras fazem parte do protocolo de segurança. Os pais ou responsáveis podem escolher o modelo e onde comprar.

O órgão de defesa do consumidor, no entanto, proibiu a inclusão de álcool em gel ou líquido a 70% na relação de material escolar obrigatório. Esse item deve ser providenciado pelos estabelecimentos.

O Procon de Pernambuco elaborou duas notas técnicas. O objetivo é orientar as unidades de ensino e os pais e responsáveis sobre contratos de prestação educacional e a lista de material escolar.

De acordo com o órgão, o “documento é uma forma de resguardar o direito do consumidor, que muitas vezes fica à mercê de alguns estabelecimentos de ensino que insistem em desrespeitar e transferir para os pais de alunos pedidos de materiais que divergem ao plano político-pedagógico proposto”.

Por causa da pandemia, em março, as aulas presenciais foram suspensas. Por isso, segundo o Procon, com exceção dos livros didáticos, as escolas deverão informar quais os materiais que foram entregues no início do ano que não foram utilizados e devolvê-los, para que os pais possam reutilizar em 2021.

Conforme as notas técnicas, as escolas não podem determinar as marcas dos produtos permitidos nas listas de material.

Produtos de uso coletivo, de escritório e de higiene são proibidos de entrar na lista de material escolar, a exemplo de detergente, copos, giz, palitos, TNT.

Materiais como shampoo, sabonete, escova e pasta de dente, podem figurar na relação, desde que o aluno esteja matriculado na modalidade integral.

Cotidiano

Com mais 2.124 casos da Covid-19 e 22 óbitos, Pernambuco totaliza 253.415 infectados e 10.222 mortes

Com os números divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde nesta terça-feira (26), estado chegou a 30.800 casos graves e 222.615 quadros leves da doença.

PortalPE10 com informações G1

Publicado

(Foto: Governo de Pernambuco/Divulgação)

Com mais 2.124 casos da Covid-19 e 22 óbitos registrados no estado nesta terça-feira (26), Pernambuco passou a totalizar 253.415 infectados pelo novo coronavírus e 10.222 mortes causadas pela doença na pandemia. Os dados são contabilizados desde março de 2020.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) informou que os novos registros no estado incluem 79 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e 2.045 quadros leves da Covid-19. Com isso, Pernambuco chegou a 30.800 pacientes graves e 222.615 leves.

Com relação aos 22 óbitos, eles aconteceram entre o dia 12 de janeiro e a segunda-feira (25). “Os detalhes epidemiológicos serão repassados ao longo do dia pela Secretaria Estadual de Saúde”, informou o governo de Pernambuco, em nota.

Continuar Lendo

Cotidiano

Recife recebe mais 16 pacientes com Covid-19 transferidos de Manaus

Dos pacientes que chegaram na madrugada desta terça-feira (26), dez foram levados ao Hospital das Clínicas, e outros seis seguiram para o Hospital de Referência à Covid-19 – Unidade Boa Viagem. Ao todo, estado recebeu 26 infectados transferidos do Amazonas.

PortalPE10 com informações G1

Publicado

Paciente vindo de Manaus encaminhado ao Hospital das Clínicas da UFPE, no Recife, nesta terça-feira (26) — (Foto: Rodrigo Baltar/Divulgação)

Mais 16 pacientes com Covid-19 foram transferidos de Manaus para o Recife, onde chegaram na madrugada desta terça-feira (26). Eles foram levados para duas unidades de saúde na capital pernambucana devido ao colapso do sistema de saúde na capital do Amazonas. Desde o final de semana, Pernambuco recebeu 26 pacientes enviados pelo Ministério da Saúde.

Os novos pacientes chegaram em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), que aterrissou na Base Aérea do Recife, no bairro do Jordão, na Zona Sul do Recife, por volta da 1h desta terça-feira (26).

Dez pacientes foram encaminhados ao Hospital das Clínicas (HC), ligado à Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), na Zona Oeste do Recife, e outros seis seguiram para o Hospital de Referência à Covid-19 – Unidade Boa Viagem, conhecido como o antigo Hospital Alfa, na Zona Sul da cidade.

Equipes dos dois hospitais foram encarregadas de recebê-los e instalá-los nas unidades. Para o HC, foram encaminhados seis homens e quatro mulheres, com idades entre 40 e 63 anos. Quatro deles foram internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e os outros seis foram levados à Enfermaria de Doenças Infecciosas e Parasitárias (DIP).

Pacientes chegaram ao Recife por volta da 1h desta terça-feira (26) — (Foto: Hospital de Referência à Covid-19 Unidade Boa Viagem/Divulgação)

Já no Hospital de Referência à Covid-19, cinco homens e uma mulher, com idades entre 55 e 21 anos, foram internados na UTI, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES, responsável pela gestão do hospital. Ao menos, seis ambulâncias fizeram o transporte dos infectados. No local, uma bandeira de Pernambuco foi pendurada ao lado da bandeira do Amazonas, em homenagem aos pacientes.

De acordo com a SES, ao todo, o Hospital de Referência à Covid-19 recebeu 11 pacientes do Amazonas. Desse total, dois respiram em ar ambiente, e três usam dispositivos de oxigenação para auxiliar na respiração (cateter nasal e máscara não reinalante). Todos seguem conscientes e orientados, informou a secretaria.

Continuar Lendo

Cotidiano

Municípios devem receber doses para vacinar idosos com 85 anos ou mais contra Covid-19 até esta terça

Secretário de Saúde acredita que, até meia-noite, todas as cidades recebam as doses da Astrazeneca/Oxford, que vai ser usada para imunizar 71,5 mil pessoas dessa faixa etária.

PortalPE10 com informações G1

Publicado

(Foto: Reprodução/PortalPE10)

Com a chegada de 84 mil doses da vacina Astrazeneca/Oxford a Pernambuco, o secretário de Saúde do estado, André Longo, espera que, até a meia-noite desta terça (26), todos os municípios tenham recebido as remessas para vacinar idosos com mais de 85 anos (veja vídeo acima). As doses já começaram a ser distribuídas.

A imunização fica a cargo de cada cidade, mas o estado pede às prefeituras a montagem de planos de comunicação para que a vacina chegue, de fato, ao público-alvo da vez. Alguns municípios, como o Recife, anunciaram que começam a vacinar na quarta-feira (27).

“Cada município deve montar a estratégia de acordo com a própria realidade. Todos os municípios têm capacidade para vacinar, mas cabe a cada um decidir se vai adotar drive-thru, busca ativa ou outra estratégia”, disse o secretário estadual de Saúde.

Segundo o secretário, a população a partir de 85 anos foi priorizada neste momento devido a altas taxas de mortalidade e de internação nos leitos da rede pública de Pernambuco.

Doses da vacina de Oxford deixam a central de distribuição da Secretaria Estadual de Saúde, no Recife, nesta terça-feira (26) — (Foto: Miva Filho/SES-PE/Divulgação)

“Mais de 2,7 mil pessoas nessa faixa etária morreram no estado. A taxa de mortalidade é muito alta para quem desenvolve Síndrome Respiratória Aguda Grave. Atualmente, também temos 60 pessoas com essa idade internadas em UTI”, disse Longo.

Com as 84 mil doses, a expectativa é imunizar cerca de 71,5 mil idosos com 85 anos ou mais. Há uma margem maior porque o estado considera um percentual de perda, já que que cada frasco da vacina de Oxford contém um total para dez doses.

“Vai ter casos em que vai ser possível retirar as dez doses, mas vai ter frasco que só vai dar para nove. A perda é algo em torno de 5%”, explicou o secretário.

No caso da vacina de Oxford, a segunda dose pode ser aplicada em até três meses, mas o governo acredita que, até 10 de fevereiro, o imunizante contra a Covid-19 do mesmo fabricante chegue novamente ao estado.

Caixa da vacina de Oxford, que chegou a Pernambuco na madrugada de domingo (24) — (Foto: Heudes Regis/Governo de Pernambuco)

Segundo Longo, se chegarem de fato 10 milhões de doses da Astrazeneca/Oxford ao Brasil, Pernambuco espera receber 450 mil. Quanto às 3,2 milhões da CoronaVac do Instituto Butantan, o estado espera receber 144 mil doses.

“Pelas notícias que chegam, é muito provável que consigamos cumprir a primeira fase do cronograma do Plano Nacional de Imunização. Temos uma perspectiva realista”, afirmou o secretário.

Além dos idosos com 85 anos ou mais, a primeira fase do calendário de vacinação engloba trabalhadores de saúde, indígenas em aldeias, deficientes institucionalizados e idosos com 75 anos ou mais. Ao todo, são 666.010 pessoas, segundo a Secretaria Estadual de Saúde.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.