Nos siga nas redes sociais

Esportes

Rafaela diz que é inocente e associa doping a uma brincadeira com bebê

Nesta sexta-feira, ela defendeu sua inocência em coletiva na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio)

Avatar

Publicado

A judoca Rafaela Silva acredita que o resultado analítico adverso para fenoterol, substância proibida pela Agência Mundial Antidoping (Wada), detectado durante os Jogos Pan-Americanos de Lima, pode estar relacionado a uma brincadeira com um bebê. Nesta sexta-feira, ela defendeu sua inocência em coletiva na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio).

A carioca contou que, no dia 4 de agosto deste ano, teve contato com Lara, de sete meses, filha da judoca Flavia Rodrigues. Ela teria deixado a criança chupar seu nariz, uma brincadeira que costuma fazer com seus sobrinhos. Essa pode ser a chave para explicar o problema. O fenaterol tem efeito broncodilatador e é utilizado no tratamento de doenças respiratórias, como a asma. É o caso da menina.

A substância é vetada pela Wada pois provoca aumento de performance, uma vez que permite melhor troca gasosa entre o sangue e o pulmão. O teste que trouxe dor de cabeça para a judoca foi feito no dia 9 de agosto, quando ela conquistou o ouro no evento continental, na categoria até 57kg.

– Eu tenho a mania de deixar as crianças chuparem meu nariz. Descobri que uma delas com quem tive contato fez o uso (da substância), então pode ser um dos motivos – disse Rafaela, em coletiva nesta sexta-feira, na Unirio, no Rio de Janeiro, ao lado do ex-judoca Flávio Canto, do Instituto Reação.

A judoca contou que ficou sabendo do resultado um dia antes de entrar no tatame do Campeonato Mundial, que aconteceu em Tóquio, no final de agosto. Ela voltou a ser testada no evento, no dia 29 de agosto, e todos os exames deram negativo. Na ocasião, levou dois bronzes, um no individual e outro por equipes.

– Tudo isso me fortaleceu. Coloquei na cabeça que tinha de subir no pódio para ser sorteada para o antidoping e, assim, provar que não tive culpa. Isso é mais uma batalha na minha vida e isso me fortalecerá – disse a campeã olímpica.

O bioquímico Luis Claudio Cameron, que compõe a equipe de defesa da atleta, afirmou que a tese é perfeitamente plausível e tranquila de ser defendida.

– Como o fenoterol tem meia vida bastante curta, não ha nenhuma incompatibilidade em relação aos dois resultados. É um broncodilatador, extremamente usado no dia a dia, É muito tranquilo considerar que uma criança que acabou de fazer nebulização levou à exposição. Como houve o contato com as vias aéreas, é plausível. As janelas de tempo e as quantidades que temos ate agora, parecem ser coerentes com a tese. Ela é tranquila de ser defendida – disse Cameron.

Rafaela não sofreu até o momento nenhuma suspensão e está livre para competir. O advogado Bichara Neto explicou que cabe agora à Federação Internacional de Judô (IJF) analisar o caso e aplicar ou não uma suspensão.

– É uma substância especificada, então a suspensão não é obrigatória. Sustentaremos que ela não deve ser suspensa preventivamente. Ela vai mostrar que não usou com culpa . No momento, o único processo iniciado foi perante o Pan. Aguardaremos a IJF abrir o prazo para ela se defender – disse.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Jornalista é agredida e agarrada no pescoço após filmar briga generalizada entre times

Profissional de imprensa do ge é confrontada por homem com uniforme do Altos, que toma à força celular de repórter durante tumulto. Equipe registra boletim de ocorrência.

PortalPE10 com informações G1

Publicado

Jornalista sofre agressão de homem não identificado durante tumulto entre Altos e Fluminense-PI — (Foto: TV Clube)

A jornalista Emanuele Madeira, do ge, foi agredida por um homem que usava o uniforme do Altos, do Piauí, durante confusão generalizada do clube com o Fluminense-PI após partida da 9ª rodada do campeonato estadual.

Um bate-boca entre o técnico Wallace Lemos, do Flu-PI, e o presidente do Jacaré, Warton Lacerda, desencadeou uma batalha campal na porta dos vestiários do estádio Felipão, em Altos, a 40km de Teresina. Enquanto filmava a briga, a profissional da TV Clube, afiliada da Globo no estado, teve o celular arrancado à força e foi agredida no braço por uma pessoa que depois a agarrou pelo pescoço se recusando a devolver o material de trabalho da jornalista. As informações são do Globo Esporte.

Após se escoltada pela Polícia Militar, a jornalista do ge registrou boletim de ocorrências na Polícia Civil. O Altos negou que a pessoa flagrada usando camisa do clube faça parte do seu estafe. Ele se chama João Paulo dos Anjos. À Polícia Civil, a equipe de reportagem identificou o agressor apenas como “Joãozinho”, como ele é conhecido na cidade. O agressor não foi encontrado para comentar o episódio.

O vídeo gravado pela cronista mostra o bate-boca entre Wallace Lemos e Warton Lacerda, que são contidos por jogadores e funcionários dos dois times. O tumulto abre uma série de agressões físicas e verbais entre os envolvidos. Ao se afastar da aglomeração, a jornalista é confrontada por um homem com uniforme do Altos.

– Ei, ei, não tô sendo filmado aqui, não, moça – ameaça o funcionário.
– Nem toque – responde a jornalista.
– Pois é, pois não venha filmar ninguém aqui, não – diz o homem antes de tomar o celular da cronista.

Para recuperar o material de trabalho, Emanuele Madeira tentou tirar seu celular das mãos do homem, que agarrou a jornalista pelo pescoço. O agressor só entregou o aparelho quando percebeu estar sendo filmado pelo cinegrafista.

– Ele tomou o celular da minha mão, e eu fui para cima dele tentando recuperar. Ele tentou me impedir me afastando de lado. Por conta do cinegrafista ter chegado em cima, ele devolveu meu celular. A intenção dele era apagar o vídeo. Ainda tem a tentativa de obstruir o nosso trabalho – explicou a jornalista.

Altos nega envolvimento no episódio

Procurado após a confusão, o Altos negou ter envolvimento no caso de agressão à jornalista e informou que a pessoa filmada, embora esteja uniformizada, não é funcionária do clube. Warton Lacerda, presidente do Jacaré e um dos personagens do tumulto, informou que o homem “pode ser algum torcedor” que teve acesso ao gramado.

Por conta do protocolo de saúde adotado pela Federação de Futebol do Piauí e do decreto imposto pelo Governo do Piauí, não é permitida a entrada de torcedores em estádios de futebol durante a pandemia. Por conta das restrições, é permitida a entrada apenas de atletas, funcionários de clubes e federação, além da imprensa.

Jogo é ofuscado por tumulto

Dentro de campo, o Altos conquistou uma valiosa vitória no estadual. O time venceu o Fluminense-PI por 2 a 0 e assumiu a ponta da tabela. Os atacantes Klenisson e Betinho foram os autores do gol do jogo.

O Alviverde é o primeiro colocado com 19 pontos, um a mais que o Flu-PI. As duas equipes ocupam atualmente o G-2, a zona de classificação à final do Piauiense. Apenas os dois primeiros jogam a decisão. Restam três rodadas para o fim da primeira fase.

Continuar Lendo

Cotidiano

Gabriel Medina prevalece na Austrália e vence sua 1ª etapa na temporada

Na decisão do título, ele superou o americano Conner Coffin com duas notas altíssimas: 9,27 e 9,50.

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Reprodução)

Desta vez ele não deu deu chances. Após dois vices nas duas primeiras etapas do Mundial de surfe, Gabriel Medina, 27, emplacou sua primeira vitória na temporada em North Narrabeen (região de Sydney, na costa leste australiana), nesta terça-feira (20).

Na decisão do título, ele superou o americano Conner Coffin com duas notas altíssimas: 9,27 e 9,50. Os 18,77 pontos são o melhor placar do ano, superando os 18,16 de John John Florence em Pipeline. Naquela etapa, o havaiano saiu campeão após derrotar Medina na decisão. As informações são da Folhapress.

Após três meses de paralisação do circuito, a 1ª etapa das 4 que serão disputadas em sequência na Austrália teve vitória de Italo Ferreira, que superou o rival brasileiro nas ondas de Newcastle no último dia 10.

Em North Narrabeen, Italo e John John caíram nas oitavas de final. Com isso Medina assumiu a ponta da classificação e abriu vantagem. Soma 25,600 pontos no ranking da temporada, contra 19,405 do rival potiguar (líder até então) e 14,650 do havaiano.

“Foi uma final com boas ondas e bastante oportunidade para surfar, e eu acertei todos os meus aéreos. É muito bom ganhar um evento e eu estava com saudade dessa emoção. Tenho chegado em várias finais, mas estava cometendo alguns erros que corrigi nessa”, afirmou o bicampeão na saída da água, quando foi cercado e carregado por fãs.

As etapas na Austrália estão sendo realizadas após os surfistas cumprirem quarentena de duas semanas num hotel em Sydney e com controle de acesso do público, o que não impediu que muitas pessoas acompanhassem o triunfo de Medina da areia.

Considerado um bom exemplo no combate à pandemia de Covid-19, o país registrou 29.543 casos da doença e 910 mortes em decorrência dela. O primeiro óbito de 2021 ocorreu na semana passada.

Na dispta feminina, o Brasil ficou perto de fazer uma dobradinha de campeões graças ao ótimo desempenho de Tatiana Weston-Webb, que derrotou a tetracampeã mundial Carissa Moore nas semifinais.

Na decisão, porém, foi superada pela americana Caroline Marks e terminou com o vice, subindo para a terceira colocação na temporada.

Medina, 27, Italo, 26, Tatiana, 24, e Silvana Lima, 36, fora da elite do circuito nesta temporada, serão os representantes brasileiros na Olimpíada de Tóquio, quando o surfe fará sua estreia nos Jogos.

As próximas etapas da perna australiana serão na costa oeste, em Margaret River, a partir de 2 de maio, e em Rottnest Island, a partir do dia 16.

Continuar Lendo

Cotidiano

Covid-19: Coreia do Norte não participará dos Jogos Olímpicos

A última participação olímpica do isolado e nuclearizado país norte-coreano foi em Jogos de Inverno, em Pyeongchang, na Coreia do Sul.

Redação PortalPE10

Publicado

Coreia do Norte – (Foto: Ed JONES/AFP)

A Coreia do Norte não participará dos Jogos Olímpicos de Tóquio, devido aos riscos do novo coronavírus, anunciou nesta terça-feira o ministro dos Esportes daquele país.

O Comitê Olímpico Norte-Coreano decidiu em reunião “não participar da 32ª edição dos Jogos, para proteger os atletas da crise de saúde mundial gerada pela Covid-19”, indicou o serviço de informações do Ministério dos Esportes. As informações são da AFP.

A última participação olímpica do isolado e nuclearizado país norte-coreano foi em Jogos de Inverno, em Pyeongchang, na Coreia do Sul, e contribuiu para a reaproximação diplomática entre os dois vizinhos em 2018.

O líder norte-coreano, Kim Jong Un, enviou a irmã Kim Yo Jong para esses jogos, nos quais o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, aproveitou para promover negociações entre Pyongyang e Washington que resultaram em dois encontros entre Kim e o presidente americano, que na época era Donald Trump.

O anúncio de Pyongyang põe fim às esperanças de Seul de transformar os adiados Jogos de Tóquio em uma nova oportunidade para reativar o processo de negociação da paz que atualmente está paralisado.

O anúncio, que data desta segunda-feira, publicado no site do Ministério dos Esportes, indica que trata-se de uma decisão do Comitê Olímpico Nacional ocorrida no dia 25 de março.

A agência de notícias estatal KCNA já havia informado sobre a reunião, mas sem mencionar a decisão.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2021 PortalPE10. Todos os direitos reservados.