Nos siga nas redes sociais

Política

Raul Henry comemora decisão do STF e garante que fica no MDB

Raul Henry esteve reunido com seu advogado, Carlos Neves, na manhã deste sábado (07).

Avatar

Publicado


Foto: Reprodução
No último dia da janela partidária, o vice-governador e presidente do MDB-PE, Raul Henry, garante que ficará no seu partido, apesar da guerra jurídica travada contra o senador Fernando Bezerra Coelho. Ao Blog da Folha, ele afirmou, neste sábado (07), que não vai deixar a sigla, após conseguir derrubar, no STF, a resolução interna que obrigava o partido a ter candidatura própria no Estado.

Raul Henry esteve reunido com seu advogado, Carlos Neves, na manhã deste sábado (07). Em almoço com sua equipe de gabinete, no Centro, foi taxativo: “Desde o começo desse processo, dizíamos que não iríamos deixar o partido e iríamos lutar até o final desta guerra. Não vamos sair do MDB. Estamos firmes”, garantiu, enterrando as especulações de que estava de malas prontas para se filiar a outra legenda.

A mudança do estatuto era uma tentativa do presidente nacional do MDB, Romero Jucá, de tentar tirar a autonomia do grupo de e Jarbas Vasconcelos. Mas, nesta sexta (07), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, derrubou a resolução, impondo mais uma derrota ao grupo de FBC.

Fernando Filho

Diante do impasse, o deputado federal Fernando Filho, ex-ministro de Minas e Energia, se filiou ao DEM. A migração aconteceu na manhã deste sábado (7), no mesmo dia em que a frente de oposição “Pernambuco quer Mudar” realizou seu quarto encontro, em Porto de Galinhas, Ipojuca. Sem ato político para oficializar o gesto, o filho do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) acertou sua ida com o presidente da Câmara e pré-candidato à Presidência, Rodrigo Maia, e o deputado Mendonça Filho, lideranças do Democratas.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Prefeito eleito em Goiânia está intubado com Covid e ainda não sabe da vitória

Neste domingo, o seu vice Rogério Cruz (Republicanos) foi votar acompanhado da esposa e do filho de Maguito.

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Reprodução)

O candidato Maguito Vilela (MDB) foi eleito prefeito de Goiânia (GO) neste domingo (29). Maguito, que levou 52,60% dos votos válidos, derrotou o adversário, Vanderlan Cardoso (PSD), que conquistou 47,40% do eleitorado da capital goina. Foram 277.497 votos no total.

Aos 71 anos, o prefeito eleito ainda não sabe o resultado das eleições, pois, há mais de um mês, está internado em tratamento da Covid-19. Ele está sedado e entubado na UTI do Hospital Albert Einstein São Paulo.

Neste domingo, o seu vice Rogério Cruz (Republicanos) foi votar acompanhado da esposa e do filho de Maguito.

“Acabei de votar. Eu estava em São Paulo com Maguito, mas como ele vem melhorando, meu coração pediu para eu vir aqui votar e agradecer as orações”, disse Flávia, em vídeo publicado nas redes sociais.”Eu sei que Maguito, quando voltar, vai retribuir carinho trabalhando por Goiânia, lutando por Goiânia como está lutando pela vida dele”, acrescentou.

*Com informações Diário de Pernambuco.

Continuar Lendo

Política

PT não elege prefeito em capitais pela primeira vez desde 1985

A primeira vitória do PT em uma capital, na história, foi em Fortaleza (CE), com Maria Luiza Fontenele, em 1985.

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Reprodução)

Pela primeira vez na sua história, o PT não terá prefeito em nenhuma das capitais. Com a derrota de Marília Arraes no Recife e João Coser em Vitória neste domingo, o Partido dos Trabalhadores termina as eleições 2020 sem comandar, desde 1985, uma capital do país.

A primeira vitória do PT em uma capital, na história, foi em Fortaleza (CE), com Maria Luiza Fontenele, em 1985. De lá até as eleições de 2016, sempre teve representantes nos poderes municipais – aquele ano havia sido o pior pleito do PT na conquista de prefeituras.

A sigla do ex-presidente Lula passa por uma crise desde a Operação Lava Jato e o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016.

Em Vitória, Coser foi derrotado pelo bolsonarista Lorenzo Pazolini (Republicanos) por 58,50% a 41,40%. Já Marília perdeu para o primo João Campos, que pertence ao PSB, outro partido identificado com a esquerda. Campos teve 56,01% dos votos, contra 43,99% da petista. O PT fez uma força-tarefa para eleger Marília, com participação direta do ex-presidente Lula na campanha, enquanto Campos obteve apoio de partidos de centro-direita no segundo turno.

*Com informações Sobral Online.

Continuar Lendo

Pernambuco

Presidente de seção eleitoral morre após passar mal no Recife

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral, mulher foi socorrida, mas não resistiu. Filha dela trabalhava como mesária na mesma escola.

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Reprodução/TV Globo)

Uma mesária que trabalhava como presidente de seção eleitoral morreu no domingo (29), dia de segundo turno das eleições municipais, no Recife. A informação foi divulgada pelo Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) nesta segunda-feira (30), que apontou que passou mal logo no começo dos trabalhos.

O caso aconteceu por volta das 7h em uma seção localizada na Escola Pintor Lauro Vilares, no bairro do Bongi, na Zona Oeste da cidade. Ainda de acordo com o TRE, agentes da Polícia Militar que estavam no local fizeram o socorro de Ana Cláudia de Souza.

De acordo com o diretor do TRE, Orson Lemos, a filha da presidente de seção também trabalhava como mesária no mesmo colégio, mas em outra seção eleitoral. “A filha dela era secretária da seção ao lado, a mãe era presidente da seção. Então, a filha foi liberada e substituímos elas depois”, declarou.

Lemos afirmou que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas a mulher acabou sendo socorrida por um carro particular até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro do Torrões, na Zona Oeste da cidade, onde faleceu.

*As informações são do G1

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.