Nos siga nas redes sociais

Brasil

Revista ‘Time’ inclui Bolsonaro e Felipe Neto na lista de 100 mais influentes do mundo em 2020

Presidente brasileiro aparece na categoria ‘Líderes’ e tem números negativos de seu mandato destacados por publicação. Já o influenciador digital, com 51 milhões de seguidores nas redes sociais, está entre ‘Ícones’.

João Marcelo Passos

Publicado

Bolsonaro e Felipe Neto — Foto: Montagem/G1

O presidente Jair Bolsonaro e o influenciador digital Felipe Neto são os únicos brasileiros na lista de 100 pessoas mais influentes do mundo em 2020 elaborada pela revista ‘Time’. Os eleitos foram divulgados na noite desta quarta-feira (23).

Na categoria “Líderes”, o perfil de Bolsonaro informa números negativos de seu mandato, como os 137 mil mortos pelo coronavírus no Brasil, a “pior recessão em 40 anos” e os “mais de 29 mil incêndios na floresta amazônica apenas em agosto”, mas também o apoio de 37% dos brasileiros.

Bolsonaro foi citado ao lado de nomes como dos presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, a chanceler alemã, Angela Merkel, e o candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden.

A lista dos 100 mais influentes é publicada pela revista “Time” desde 2004. Bolsonaro também havia sido incluído na lista dos cem mais influentes em 2019. Dilma Rousseff foi citada em 2011 e 2012, e o ex-presidente Lula, em 2004 e 2010.As informações são do G1

 

 


Whatsapp Portal PE10 Canal direto com nossa redação - Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.

Participe do nosso grupo no whatsapp

Brasil

Prefeito confirma participação do irmão em morte de candidato a vereador

Deiró Marra (PSB) disse que o fato de um parente matar outra pessoa ”pode acontecer com qualquer um”. Político também decretou luto oficial de três dias e exonerou o suspeito de matar o candidato a vereador Cássio Remis

João Marcelo Passos

Publicado

Para Deiró Marra, ter o irmão como suspeito de um assassinato ”pode acontecer com qualquer um”

O prefeito de Patrocínio, no Alto Paranaíba, Deiró Marra (PSB) em Minas Gerais, deu entrevista coletiva no início da noite desta quinta-feira (24) depois da morte do candidato a vereador pela cidade, Cássio Remis. O principal suspeito do crime é o irmão de Deiró, Jairo Marra, atual secretário de Obras da prefeitura.

Na ocasião, o prefeito afirmou diversas vezes que o crime não muda em nada a sua campanha para as eleições deste ano e reiterou que será candidato à reeleição. Deiró Marra disse que o fato de um parente tirar a vida de um adversário político “pode acontecer com qualquer um”.

“Isso aqui não tem nada a ver com a campanha. Foi uma tragédia. Eu me enluto com a família. É um fato que fatalmente pode acontecer com qualquer um, qualquer cidadão. Não é isso. (O assassinato) não tem nada a ver com o nosso projeto político”, disse Deiró Marra em coletiva.

Ainda na coletiva, o prefeito decretou luto oficial de três dias pela morte de Cássio Remis. E confirmou que os disparos de arma de fogo partiram do seu irmão, Jorge Marra.

“Lamentamos tudo que aconteceu, essa sequência de fatos absolutamente injustificáveis que culminaram (sic) com a morte do (candidato a) vereador, Cássio Remis, por disparos de arma de fogo, infelizmente, pelas mãos do meu irmão, Jorge Marra”, afirmou.

“Esperamos que todos esses fatos possam ser elucidados. Possam ser, de forma transparente, apurados pela Justiça, pela Polícia Civil, Polícia Militar. Estão todos empenhados”, completou o chefe do Executivo municipal.

Deiró Marra também adiantou que já exonerou o secretário de Obras do cargo para que ele responda pelas acusações. Afirmou, ainda, que não sabe do paradeiro do irmão, foragido da polícia após o crime.


Whatsapp Portal PE10 Canal direto com nossa redação - Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.

Participe do nosso grupo no whatsapp
Continuar Lendo

Brasil

Mandetta diz que alertou Bolsonaro sobre 180 mil mortes se governo não agisse: ‘Nunca falei em público, mas para ele eu mostrei’

Ex-ministro da Saúde é o entrevistado do ‘Conversa com Bial’ de quinta-feira, 24/9

João Marcelo Passos

Publicado

Luiz Henrique Mandetta é o entrevistado do ‘Conversa com Bial’ de quinta-feira, 24/9 — Foto: Reprodução/TV Globo

O médico ortopedista, ex-deputado federal e ex-ministro Luiz Henrique Mandetta é o entrevistado do Conversa com Bial de quinta-feira, 24/9. Ele está lançando o livro “Um paciente chamado Brasil: Os bastidores da luta contra o coronavírus”, em que narra como o Ministério da Saúde tentou conter a epidemia da Covid-19 no Brasil durante sua gestão.

No livro e em sua conversa com Pedro Bial, Mandetta recorre ao conceito psiquiátrico das fases do luto para explicar a reação do presidente Jair Bolsonaro na pandemia: negação, raiva, negociação, depressão e aceitação. Depois de negar a gravidade da situação, sua próxima reação foi a ira:

“Eu simbolizava a notícia e ele ficou com raiva do ‘carteiro’, ficou com raiva do Ministério da Saúde.”

Depois, de acordo com o ex-ministro, veio a fase do apelo a alguma chance ou ao sobrenatural: “Ele se apegou àquela cantilena de pessoas que vão ao seu redor e começam a falar o que ele queria escutar”. Mandetta explica que trabalho psiquiátrico busca chegar logo à fase da aceitação, em que a pessoa age de forma colaborativa, adere ao tratamento, supera a dor e retoma a vida.

“Eu tentava puxar ele logo para a fase proativa. Eu nunca falei em público que eu trabalhava com 180 mil óbitos se nós não interviéssemos, mas para ele eu mostrei, entreguei por escrito, para que ele pudesse saber a responsabilidade dos caminhos que ele fosse optar. Foi realmente uma reação bem negacionista e bem raivosa.”As informações são do G1


Whatsapp Portal PE10 Canal direto com nossa redação - Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.

Participe do nosso grupo no whatsapp
Continuar Lendo

Brasil

Vídeo:Candidato a vereador é assassinado durante live ;autor é irmão do prefeito, diz polícia

João Marcelo Passos

Publicado

O ex-vereador e pré-candidato ao Legislativo de Patrocínio nas eleições deste ano, Cassio Remis (PSDB), foi morto na tarde desta quinta-feira (24) por Jorge Marra, irmão do prefeito da cidade. A vítima fazia uma live no Facebook quando o autor desceu de um veículo e tomou o celular do político. Após o crime, a Prefeitura informou que se pronunciará durante coletiva para a imprensa.

Segundo informações do tenente-coronel Salomão Queiroz Caixeta, a vítima estava na Avenida João Alves do Nascimento, que está em processo de revitalização e, durante a transmissão ao vivo alegou que funcionários da Prefeitura eram usados para fazer serviços particulares em frente a uma residência que seria o comitê de campanha do atual prefeito, Deiró Moreira Marra.

Em seguida, Jorge Marra, irmão do prefeito, chegou ao local, tomou o telefone celular que estava sendo usado na live e entrou numa camioneta. Depois seguiu sentido à secretaria de obras. Ainda conforme o tenente, Cássio Remis foi atrás do autor e, na porta da Secretaria de Obras, tentou pegar o telefone de volta, mas Marra atirou e fugiu do local.

Cassio Remis levou diversos tiros após tentar recuperar celular — Foto: Divulgação


Whatsapp Portal PE10 Canal direto com nossa redação - Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.

Participe do nosso grupo no whatsapp
Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.