Nos siga nas redes sociais

Brasil

Vacina de injeção única da Johnson & Johnson contra coronavírus será testada em 60 mil pessoas

A vacina experimental que está sendo desenvolvida pela gigante farmacêutica Johnson & Johnson é a quarta nos EUA a entrar nos grandes ensaios da Fase 3, os quais determinarão se é eficaz e segura

Lucas Passos

Publicado

A primeira vacina contra o coronavírus que tentará proteger as pessoas com uma única injeção entrou nos estágios finais de testagem nos Estados Unidos, com um ensaio clínico internacional que recrutará até 60 mil participantes.

A vacina experimental que está sendo desenvolvida pela gigante farmacêutica Johnson & Johnson é a quarta nos EUA a entrar nos grandes ensaios da Fase 3, os quais determinarão se é eficaz e segura. Paul Stoffels, diretor científico da J&J, previu que pode haver dados suficientes para se obter um resultado conclusivo até o final do ano e disse que a empresa planeja fabricar 1 bilhão de doses no ano que vem.

Outras três candidatas estão à frente, com testes que começaram no início do verão nos EUA, mas a vacina que está sendo desenvolvida pela Janssen Pharmaceutical Companies, uma divisão da J&J, tem várias vantagens que podem facilitar a logística de sua administração e distribuição, caso sua segurança e eficácia sejam comprovadas.

A empresa inicialmente está testando uma dose única, enquanto as outras vacinas testadas nos EUA exigem um retorno e uma segunda injeção, de três a quatro semanas após a primeira, para desencadear uma resposta imune protetora. A vacina da J&J também pode ser armazenada em forma líquida, sob temperaturas de geladeira, por três meses, ao passo que duas das candidatas favoritas precisam ser congeladas ou mantidas sob temperaturas ultracongeladas para o armazenamento de longo prazo.

“A vacina de dose única, se for segura e eficaz, terá vantagens logísticas substanciais para o controle da pandemia global”, disse Dan Barouch, diretor do Centro de Virologia e Pesquisa de Vacinas do Beth Israel Deaconess Medical Center em Boston, que fez parceria com a J&J para desenvolver a vacina.

Os Estados Unidos investiram bilhões de dólares em uma série de tecnologias de vacinas, entre os quais cerca de US $ 1,5 bilhão para apoiar o desenvolvimento da vacina da J&J e garantir uma compra antecipada de 100 milhões de doses. A vacina da J&J é a segunda a usar uma abordagem de vetor viral, pegando um vírus inofensivo e inserindo nele um gene que contém o diagrama de uma parte característica do novo coronavírus.

“É muito bom termos essa diversidade de plataformas, porque esta é uma crise crucial em termos de nossa situação global”, disse Francis Collins, diretor do Instituto Nacional de Saúde. “Agora, com 200 mil mortes aqui nos Estados Unidos, queremos fazer tudo o que pudermos, sem sacrificar a segurança nem a eficácia”.

Em um estudo com macacos publicado na Nature em julho, Barouch demonstrou que sua abordagem teve sucesso ao ensinar o sistema imunológico a se proteger contra uma infecção de verdade. Dados de testes em estágio inicial com 400 participantes humanos nos Estados Unidos e na Bélgica devem ser submetidos a um servidor de pré-publicação na quarta-feira, mas Stoffels disse que, de maneira geral, a vacina deu provas de que desencadeou uma resposta imune promissora e que seus efeitos colaterais foram toleráveis – como febres que desapareceram em um ou dois dias.

A J&J, como outras fabricantes de vacinas, prometeu publicar o protocolo completo de seu ensaio, o qual traz informações detalhadas sobre como os pesquisadores determinarão se a vacina é segura e eficaz. O protocolo também inclui as regras pelas quais um comitê independente examiná os dados ao longo do estudo para ver se há sinais claros de sucesso ou fracasso.

Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, disse que, como havia 154 casos de covid-19 no ensaio, seria possível dizer se a vacina foi eficaz. Mas também há intervalos predeterminados nos quais um conselho de monitoramento de dados e segurança avalia o progresso, para ver se a vacina mostra sinais precoces que exigiriam a interrupção do ensaio por alguma de várias razões – se a vacina for muito bem-sucedida, se estiver fazendo mal ou se for inútil, ou seja, se for improvável que produza algum resultado.

O estudo foi projetado para ser duas vezes maior que o desenho inicial de outros testes de Fase 3 nos Estados Unidos, embora o estudo da Pfizer também tenha se expandido para abranger 44 mil participantes. Metade dos participantes receberá a vacina e metade receberá o placebo.

Como os outros estudos sobre coronavírus nos Estados Unidos têm enfrentado dificuldades para recrutar populações diversas, o tamanho e o escopo internacional do estudo da J&J podem ser uma vantagem.

“Os testes de vacinas precisam ter participantes que reflitam a diversidade de nossa nação”, disse Michelle Andrasik, diretora de envolvimento comunitário da Rede de Prevenção à Covid-19, uma rede federal que faz parceria com empresas para realizar os testes. “Precisamos que todos se envolvam para garantir que encontremos uma vacina eficaz para todo mundo”.

Além disso, neste momento em que a segurança da vacina tomou o debate público por causa das preocupações de que colocá-la às pressas no mercado poderia ser um atalho arriscado, os estudos podem fornecer mais dados para tranquilizar as pessoas quanto ao histórico da vacina.

“Com uma testagem maior, também aumentamos o conjunto de dados de segurança”, disse Barouch. “A segurança agora está no foco da atenção pública, e aumentar o tamanho dos testes aumenta também o conjunto de dados de segurança”. / Tradução de Renato Prelorentzou

Informações: Estadão

Brasil

Falso ‘sugar daddy’ suspeito de estuprar e ameaçar mulheres é preso no Rio

Segundo a polícia, Eliézer de Queiroz Moreira, de 33 anos, fingia ser milionário para aplicar golpes nas vítimas.

Marcelo Passos

Publicado

Um homem que fingia ser milionário para aplicar golpes em mulheres foi preso preventivamente na tarde de quinta-feira (22), no Rio, por agentes da 20ª DP (Vila Isabel). De acordo com a polícia, Eliézer de Queiroz Moreira, de 33 anos, é suspeito de estuprar e ameaçar vítimas.

O delegado responsável pela investigação, Cristiano Maia, contou ao G1 que Eliézer vai responder por quatro crimes.

“Ele fez mais de 50 mulheres de vítimas, algumas de outros estados, que gastaram dinheiro para vir ao Rio. Ele já foi denunciado, vai responder por quatro crimes: estupro, estelionato, constrangimento ilegal e corrupção de menores. Se condenado, pode pegar mais de 30 anos”, detalhou.

Eliézer usava perfil falso em um site de relacionamentos para atrair as vítimas. Uma reportagem exibida em agosto deste ano no Fantástico (veja no vídeo abaixo) mostra que ele se apresentava como “sugar daddy” — homem que oferece a mulheres dinheiro ou pagamento de contas, além de presentes e viagens, em troca de um relacionamento.

Em uma rede de relacionamentos, Eliézer se passava por outra pessoa e exibia fotos do jornalista americano Freddy Shermann, com carros e itens de luxos, como sendo ele.

Durante as conversas, o falso milionário dizia às mulheres que tinha um sobrinho, que sofria de depressão, e elas poderiam se relacionar com ele em troca de presentes, dinheiro e outras vantagens.

O tal sobrinho era, na verdade, Eliézer, o mesmo que aplicava os golpes. No entanto, as vítimas acreditavam na história do “sugar daddy” pois recebiam um comprovante de pagamento antes do encontro. Um deles chegou a ter valor de R$ 7 mil.

Eliézer de Queiroz Moreira, de 33 anos, já havia sido preso em agosto — Foto: Reprodução

Somente depois as vítimas descobriam se tratar de um golpista, que ameaçava, agredia e abusava das vítimas, de acordo com as investigações da polícia.

“Ele marcava os encontros sempre às sextas-feiras e mandava o comprovante do depósito. As vítimas arcavam com os custos de motel, restaurantes, achando que receberiam o dinheiro para cobrir os gastos. Quando chegava na segunda, o dinheiro não caía na conta delas, e somente nesse momento elas ficavam sabendo que foram vítimas dele”, revelou o delegado.

Eliézer chegou a ser preso em agosto, com prisão temporária, mas foi solto logo depois. O delegado explicou que a prisão de agosto não foi convertida para preventiva pois a investigação ainda estava em andamento e as provas ainda estavam sendo analisadas. Ainda de acordo com as investigações, Eliézer continuou praticando crimes após ser solto.

“Uma das vítimas tinha uma filha com câncer, e ele prometeu que cuidaria do tratamento da menina em troca de favores sexuais. Esse foi um caso que chamou a atenção”, apontou o delegado Cristiano

Continuar Lendo

Brasil

Polícia Federal apreende mais de 1 tonelada de cocaína próximo a divisa de RO com MT

Entorpecentes foram encaminhados neste sábado (24) para destruição. Drogas foram encontradas em caminhonete.

Redação PortalPE10

Publicado

Mais de uma tonelada de cocaína encontrada em caminhonete foi encaminhada para destruição — Foto: PF/Divulgação

Uma ação integrada entre Polícia Federal, CIOPAER/MT, GEFRON/MT, PM/MT e SAEG/GO, resultou na apreensão de mais de uma tonelada de cocaína e de uma caminhonete na divisa entre Mato Grosso e Rondônia, nessa sexta-feira, 23.

A apreensão da droga aconteceu em uma região de mata próximo à fronteira entre Brasil e Bolivia. Segundo a PF, a cocaína vai passar por procedimento para destruição, nos termos de legislação vigente.

A polícia também informou que as investigações a fim de identificar todos os envolvidos no crime continuam. Eles responderão pela prática de tráfico internacional de drogas e, também, por integrarem organização criminosa, além de outros crimes que sejam verificados.

A operação contou com a participação de mais de 30 policiais dos estados de Mato Grosso, Rondônia e Goiás , além de um helicóptero e diversas viaturas por terra.

Mais de uma tonelada de cocaína encontrada em caminhonete foi encaminhada para destruição — Foto: PF/Divulgação

Continuar Lendo

Brasil

Polícia captura suspeito da morte de PM e de empresário em Maranguape

O suspeito do crime foi localizado no distrito de Boa Vista dos Valentins, em Maranguape, e foi levado para a Delegacia Metropolitana da cidade

PortalPE10 com informações G1

Publicado

Equipes da Polícia Civil e Militar prenderam um homem de 25 anos na tarde desta sexta-feira (23), suspeito de participar da morte de um sargento da reserva da Polícia Militar e de um empresário que atuava no ramo de venda de frangos em Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza. O crime aconteceu na noite desta quinta-feira (22).

Os levantamentos iniciais da polícia são de que o empresário e o PM trafegavam em um veículo, quando colidiram o carro e foram abordados por homens armados. O empresário não resistiu aos ferimentos e morreu dentro do veículo. Após a colisão, o sargento conseguiu sair do carro e tentou fugir, porém foi perseguido e morto.

O suspeito do crime, identificado como Francisco Erverson Xavier Ferreira de Moura, foi localizado no distrito de Boa Vista dos Valentins, em Maranguape, e foi levado para a Delegacia Metropolitana da cidade, onde foi autuado em flagrante por homicídio doloso após prestar esclarecimentos sobre o caso.

A Polícia Civil segue realizando diligências para capturar outros envolvidos do crime e descobrir a motivação.

Sargento da PM e empresário são mortos a tiros em distrito de Maranguape

 

Nota de pesar

A Polícia Militar do Ceará (PMCE) divulgou uma nota de pesar pelo falecimento do do 1º Sargento PM RR Juscelino Araújo Chaves, que ingressou na corporação em 20 de julho de 1981. Atualmente, o militar estava na reserva remunerada.

“O Comando da Corporação se solidariza com a dor dos familiares e amigos, ao tempo em que coloca o aparato da Instituição à disposição”, diz um trecho da nota.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2020 PortalPE10. Todos os direitos reservados.