Nos siga nas redes sociais

Mundo

Vídeo:Em parto humanizado, homem trans dá à luz uma menina; assista

Homem trans, Danny dá à luz Wilder Lea em parto humanizado

PortalPE10 com informações UOL

Publicado


O influencer e pai trans norte-americano Danny Wakefield, que ficou famoso por mostrar nos últimos dez anos a sua transição de gênero de feminino para masculino na web, deu à luz sua primeira filha, Wilder Lea, no último sábado (28).

Com parto humanizado em sua casa, ele contou com a ajuda da parteira e de sua mãe, que o acompanhou no momento, feito dentro de uma piscina. Em seu Instagram, ele divulgou fotos e vídeos sobre o parto.

“Nunca me senti com tanto poder e orgulho em toda a minha vida. É a coisa mais épica que já fiz. Que time incrível tive neste parto”, elogiou ele, que também divulgou seus primeiros cliques com a filhota.

“O momento em que ouvi seu primeiro suspiro vai ficar pra sempre gravado em meu coração. Minha vida mudou para sempre”, descreveu ele, que também divulgou vídeos, tanto um resumo de toda a gravidez até os primeiros momentos como pai.

“Vocês todos falavam a verdade: este foi o momento mais incrível da minha vida. Mal posso esperar para dividir todos os detalhes dessa experiência mas, por enquanto, vou ficar admirando minha bebê”, ainda escreveu o papai coruja.

Em seu último post antes do parto, Danny exibiu o barrigão e deu um resumo sobre a aventura da gravidez. “Gosto de barrigão e não posso mentir! Esta bebê ainda está no forninho, mas tudo bem. Quando eu olho para baixo, para esta minha barriga, eu nunca vi uma beleza como essa em meu corpo antes. A gravidez me deu a permissão de que precisei durante toda a minha vida para amar meu corpo no nível que minha alma sente. Eu nunca esperei amar minha barriga grande de forma tão evidente e, quanto mais perto eu fico de conhecer, Wilder, maior fica o amor e parte de mim não quer que acabe nunca”, começou ele.

 

Cotidiano

Após 18 anos no ar, programa de Ellen De Generes chega ao fim

Apresentadora anunciou que não se sente mais desafiada e que seu talk show não será mais exibido a partir de 2022.

Redação PortalPE10

Publicado

(Foto: Andrew Harnik, Archivo/AP)

Acabou. Um dos talk shows mais famosos do mundo, o ‘The Ellen DeGeneres Show’, comandado por Ellen DeGeneres, chegou ao fim. No ar há 18 anos, a apresentadora, de 63 anos, afirmou que não se sente mais desafiada profissionalmente e resolveu deixar a atração.

“Quando você é uma pessoa criativa, você precisa ser constantemente desafiado. Por mais legal e divertido que o programa seja, não é mais um desafio”, afirmou Ellen ao The Hollywood Reporter. O programa teve 19 temporadas e mais de 3 mil episódios. As informações são do R7.

Ela já havia dado sinais de que deixaria o programa em 2018, mas continuou. Nos últimos dois anos, Ellen e o programa foram investigados internamente pela emissora após uma série de acusações de assédio moral envolvendo a apresentadora e profissionais da equipe.

Em setembro de 2020, ela falou abertamente sobre os rumores de ambiente tóxico do programa.

“Como você deve ter ouvido, recentemente houve alegações de um ambiente de trabalho tóxico em nosso show. E então houve uma investigação. Aprendi que aqui aconteceram coisas que nunca deveriam ter acontecido … Levo isso muito a sério. Sinto muito pelas pessoas que foram afetadas”, afirmou Ellen na época.

Agora, ela quer voltar a fazer filmes e se dedicar a projetos relacionados ao meio ambiente.

The Ellen DeGeneres Show, será encerrado em 2022, na 19ª temporada.

Continuar Lendo

Mundo

Médicos da Índia pedem para que população não use estrume contra a Covid-19

Redação PortalPE10

Publicado

Médicos na Índia se viram obrigados a alertar a população que espalhar estrume de vaca pelo corpo não protege contra a Covid-19 e que ainda há risco de contágio por outras doenças.
 
No estado de Gujarat, algumas pessoas têm ido a currais uma vez por semana para cobrir o corpo de esterco e urina de vaca, na esperança de que isso fortaleça a imunidade contra o coronavírus ou mesmo que possa ajudá-los a se recuperar da doença
 
O coronavírus já infectou mais de 22,6 milhões de pessoas na Índia. Até agora, foram mais de 246 mil mortes notificadas oficialmente (os especialistas dizem que o número real pode ser até 10 vezes maior). Há falta de leitos hospitalares, oxigênio e remédios e, assim, muitos morrem sem tratamento.
 
A vaca é sagrada no hinduísmo. É um símbolo da vida e da terra. Durante séculos, os hindus usaram estrume de vaca em rituais religiosos. Eles acreditam que o material tem propriedades terapêuticas.
 
“Vemos até mesmo médicos aqui. A crença deles é que essa terapia melhora a imunidade e que eles podem atender os pacientes sem receio”, disse Gautam Manilal Borisa, um gerente de uma empresa farmacêutica.
Ele mesmo vai com frequência a uma escola de monges hindus para passar pelo banho de estrume.
 
Os participantes passam uma mistura de estrume e urina nos corpos e esperam secar. Eles se abraçam e fazem homenagens às vacas no recinto e também praticam yoga. Depois, eles se lavam com leite.
 
Médicos e cientistas na Índia e em outros países já avisaram que tratamentos sem eficácia podem levar a uma falsa sensação de segurança em relação à pandemia e piorar a situação epidemiológica.
Continuar Lendo

Mundo

Índia: Corpos de vítimas da Covid-19 aparecem às margens do rio Ganges

PortalPE10 com informações UOL

Publicado

Cerca de 50 cadáveres de supostas vítimas da Covid-19 foram encontrados às margens do rio Ganges nesta segunda-feira, 10. Eles foram localizados principalmente perto da fronteira entre os estados de Bihar e Uttar Pradesh, dois dos mais pobres da Índia, e serão enterrados ou incinerados por funcionários públicos locais. Alguns deles estavam em estado adiantado de decomposição, o que indica que foram deixados na água há vários dias. A principal suspeita é que os parentes desses falecidos não puderam pagar ou não conseguiram ser atendidos pelos serviços funerários, já que a pandemia do novo coronavírus vem causando a sobrecarga dos crematórios e cemitérios do país. Segundo as estatísticas oficiais, atualmente cerca de 4 mil pessoas morrem de Covid-19 a cada dia na Índia.

Essa semana, os médicos da Índia se viram obrigados a alertar que o hábito de espalhar esterco bovino pelo corpo não é capaz de proteger contra a Covid-19 e expõe a outros tipos de doenças. Esse tipo de comportamento se tornou comum no estado de Gujarat, onde algumas pessoas têm ido a currais uma vez por semana para se cobrir com excremento de gado na esperança de aumentarem sua imunidade contra o novo coronavírus. Os crentes fazem orações e homenagens enquanto a mistura seca na pele e depois se lavam com leite. A utilização do estrume em rituais religiosos é muito anterior à pandemia, já que a vaca é um animal sagrado pelo hinduísmo, sendo que os seus excrementos são considerados terapêuticos.

Continuar Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2013 - 2021 PortalPE10. Todos os direitos reservados.